PERFIL DE CAMPEÕES – MARIO OLIVETTI

MÁRIO, DAS MOTOS AO CITROEN AVANT TRACTION

A tempos vem formatando a idéia de falar sobre os circuitos realizados da Cidade de Petrópolis e seus pilotos. E sendo Petrópolis, conhecida como celeiro de pilotos, vou de Mário Olivetti, a quem vi competir por várias vezes, no circuito da terrinha e no antigo Autódromo de Jacarepaguá. Tenho um respeito especial pelo Mário, porque, na minha opinião, foi um empreendedor automobilístico e um “piloto independente” que triunfou no meio das grandes equipes com apoio das fábricas.
Voltar no tempo e colocar as coisas em ordem, leva tempo, as informações adquiridas ao longo dos anos, ficam guardadas, mais o importante, são os papos com os camaradas comparsas, Joca, Napoleão, Rubens e por aí vai…Olivetti, sempre foi um cara acelerado e apaixonado por velocidade.
Morador do bairro do Bingen em Petrópolis, que ficava perto do galpão do Renato Peixoto, o cara das idéias, e projetos maravilhosos como o Repe, mas aí é outra história…
Não conheci o Mário apaixonado por motos e só a pouco tempo fiquei sabendo, que ele junto com a turma desafiava as ruas de paralelepípedo da terrinha com a sua…

…Harley 1000 Black Lightning-1950, foto tirada na antigo avenida XV de Novembro, hoje Rua do Imperador, que fazia parte do retão do circuito.
(imagens www.mcdepetropolis.com). Também tive uma turma boa de moto, como Passarinho, Caçamba, Alemão, Jaranda e vai por aí.

Voltando ao Citroen Avant Traction, carro que Mário usou para começar sua vida automobilística, fez sua estréia numa prova de regularidade entre as cidades de Niterói e Cabo Frio, no Estado do Rio de Janeiro. Aí ele usava o numeral #27, largou no início da Rodovia Amaral Peixoto, e parecia tudo normal, quando na altura do KM 36, percebeu uma baixa de rendimento, quando estava na segunda posição, sendo obrigado a abandonar a prova.

Depois de fazer uma revisão e preparar mais a barata, o Citroen, decidiu participar do I Circuito de Volta Redonda, no mês seguinte, e passou a usar o nemeral #77. Inscrito na categoria até 2.000 cc, Na prova, venceu na categoria e se colocou em segundo na geral. E era esse empurrão que precisar, para entusiasmar mais sua vontade de pilotar.

Circuito de Volta Redonda, novembro de 1956
1. Godofredo Viana Filho, Ferrari (acima)
2. Gilberto Machado, Ferrari
3. Joaquim Sampaio, Maserati
4. Celso L. Barberis, Ferrari
Outros participantes H. Casini, Severino Silva, Pinheiro Pires

O Ford 37 de Helio Kreischer (DELEGADO)  a direita e na segunda fila o Citroen de Mario Olivetti…
O Citroen #77, de Mario Olivetti, na frente o VW de Euclides Silva. 1º Circuito de Volta Redonda…
Mário ainda passou pelo Ford, preparando e participando da II Mil Milhas Brasileiras, e depois de algumas voltas, teve problemas de aceleração. Em 1958, participa do VI Circuito Automobilístico Cidade de Petrópolis (abaixo), com um grid de mais de 30 carros, conseguiu se manter na primeira colocação, mas com problemas mecânicos, perdeu a colocação.


Olivetti, Circuito Automobilístico Cidade de Petrópolis .

O Citroen e a Ferrari Monza em Petrópolis.

Ainda em 1958, depois das desventuras com o Ford e no limite de preparação do Citroen, substituí-los por uma Ferrari (acima), estreando no grande Prêmio Cidade do Rio de Janeiro, terminando em quarto lugar.
Em janeiro de 1959, participa do II Circuito da Barra da Tijuca, alcançando sua primeira vitória no automobilísmo nacional, com o valente Citroen #77, encerrando sua participação nas provas automobilísticas.
No ano seguinte, antes de rumar para as marcas italianas, que seriam sua marca de referência, ainda participou de Fusca, com numeral #77, em duas provas no Rio. No festival da Guanabara e no Circuito da Barra da Tijuca, obtendo segundo lugar em ambas as provas.
Daí para frente, começa a era JK… Alfas Giulia… GTA … Protótipos e Porsche 910 ! Mas aí é outra história…

 

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

2 comentários em “PERFIL DE CAMPEÕES – MARIO OLIVETTI

  • 12 de junho de 2020 em 19:00
    Permalink

    Aprendi muito ouvindo meu amigo Mario.O podium dele hoje é ao lado de Deus.Meus sentimentos a toda familia.

    Resposta
  • 12 de junho de 2020 em 19:49
    Permalink

    Muito bom ver alguém que registra e conhece a história do automobilismo no Brasil e principalmente em Petrópolis.
    Obrigada!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.