MM BRASILEIRAS, INTERLAGOS, 1973…(2)

E pinga mais material sobre as MM de 1973, agora do brother Luiz Evandro Águia e Julio Caio, com o pinico atômico D# da Gledson/Amador, o curador do Okrasinha…
LS(reprodução/arq. pessoal)

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

38 comentários em “MM BRASILEIRAS, INTERLAGOS, 1973…(2)

  • 15 de novembro de 2008 em 11:51
    Permalink

    Ao contrário do mestre Joa e outros, minha CPU VAX (como dizia o saudoso Veloz HP) não é tão poderosa assim. Apenas agora, vendo as fotos, soube que o brother Aguia fez dupla Julio Caio de Azevedo Marques de D3, no início do patrocínio da Gledson na parceria do Amador Pedro! Sensacional.
    Na outra foto, o velho #29 Vermelho, da Autozoom, reproduzindo as batalhas do campeonato paulista com os “dois Alfredos”: o Menezes de Mattos e o Guaraná Menezes, pra mim o melhor piloto de sua época, superando Piquet inclusive.
    E na foto segundao uma amostra de como éramos felizes: Reparem ali atrás do guard-rail a gente circulando livremente… Andava-se pela pista assim, na boa. Depois perguntam como a matuzada “conhece os caminhos…” Me enfiei em cada lugar lá…

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 11:51
    Permalink

    Ao contrário do mestre Joa e outros, minha CPU VAX (como dizia o saudoso Veloz HP) não é tão poderosa assim. Apenas agora, vendo as fotos, soube que o brother Aguia fez dupla Julio Caio de Azevedo Marques de D3, no início do patrocínio da Gledson na parceria do Amador Pedro! Sensacional.
    Na outra foto, o velho #29 Vermelho, da Autozoom, reproduzindo as batalhas do campeonato paulista com os “dois Alfredos”: o Menezes de Mattos e o Guaraná Menezes, pra mim o melhor piloto de sua época, superando Piquet inclusive.
    E na foto segundao uma amostra de como éramos felizes: Reparem ali atrás do guard-rail a gente circulando livremente… Andava-se pela pista assim, na boa. Depois perguntam como a matuzada “conhece os caminhos…” Me enfiei em cada lugar lá…

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 13:04
    Permalink

    E na segunda foto o super VW da Autozoom pilotado por Alfredo Guaraná Menezes, que depois foi para a Gledson-Amador. Esse VW no. 29 barbarizou nessa prova.

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 13:04
    Permalink

    E na segunda foto o super VW da Autozoom pilotado por Alfredo Guaraná Menezes, que depois foi para a Gledson-Amador. Esse VW no. 29 barbarizou nessa prova.

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 21:02
    Permalink

    Vicente , o Guaraná andou um tempão em segundo na geral nésaa prova , dois fatores fizeram êle não chegar melhor colocado . 1º o parceiro dêle o Luiggi Giobbi , a diferença de tempos dêles éra enorme , inclusive acho que foi por isso que aguentou até o fim , quando o Luiggi guiava , na minha opinião o foguete tomava um refresco , porque com o Guaraná , éra BUTINA o tempo todo , bem ao estilo dêle , aliás , outras duplas que poderiam ir bem néssa prova , afundaram o barco por escolherem mal os parceiro$ , isso éra uma constante em provas longas . Depois , já éra bem de manhã , êles estavam em 2ª, quebrou o párabrisa , os cacos entraram embaixo da pedaleira o Guaraná ficou com o pedal da embreagem preso no fundo , foi puxar com a mão e acabou rodando na entrada da Ferradura , o carro morreu teve dificuldade pra fazer funcionar , arreou a batéra e pra fazer pegar no tranco com a caixa trez foi outro sufoco , depois no box outra demóra pra limpar o assolho do carro , aí não deu mais , foram 5º na geral e 1º na categoria . CORRIDÃO …
    Foi o primeiro motor feito pelo Robertinho depois que êle voltou da Europa . Êle tinha ido com o Teléco e ficou quase um ano trabalhando na Novamotor preparando motores pra Formulas 2 e 3 . Na realidade , foram feito dois carros o outro éra o 90 êsse sim éra uma dupla boa , Teléco e Carióca (Alfredo Menezes de Mattos) , mas resolveram correr na última hora e foi feito tudo as pressas , o carro ficou pronto no dia da corrida , sem amaciamento não classificaram , largaram lá atráz . Na corrida o Teléco largou , enfiou o pé a barata não aguentou e travou , deram poucas voltas , não lembro direito , mas acho que o Carióca nem guiou . Mas éra um carro bom , inclusive , melhor que o do Guaraná , com uma dupla boa , infelizmente não deu certo . Alguns mêses depois , quando o campeonato de 74 estava no começo , o Robertinho morreu em Biguaçu SC , em um acidente na estrada indo pra Pôrto Alegre pra etapa de Tarumã . Na minha opinião o automobilismo perdeu o melhor preparador na época . Um cara bom de caráter , coisa rara no meio , inteligente , dedicado e com tôda a bagagem que trouxe da Europa que não deu tempo de por em prática . Realmente uma perda lamentável . Até hoje me emociono quando lembro dêsse grande amigo .
    É isso aí , um abraço a todos .

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 21:02
    Permalink

    Vicente , o Guaraná andou um tempão em segundo na geral nésaa prova , dois fatores fizeram êle não chegar melhor colocado . 1º o parceiro dêle o Luiggi Giobbi , a diferença de tempos dêles éra enorme , inclusive acho que foi por isso que aguentou até o fim , quando o Luiggi guiava , na minha opinião o foguete tomava um refresco , porque com o Guaraná , éra BUTINA o tempo todo , bem ao estilo dêle , aliás , outras duplas que poderiam ir bem néssa prova , afundaram o barco por escolherem mal os parceiro$ , isso éra uma constante em provas longas . Depois , já éra bem de manhã , êles estavam em 2ª, quebrou o párabrisa , os cacos entraram embaixo da pedaleira o Guaraná ficou com o pedal da embreagem preso no fundo , foi puxar com a mão e acabou rodando na entrada da Ferradura , o carro morreu teve dificuldade pra fazer funcionar , arreou a batéra e pra fazer pegar no tranco com a caixa trez foi outro sufoco , depois no box outra demóra pra limpar o assolho do carro , aí não deu mais , foram 5º na geral e 1º na categoria . CORRIDÃO …
    Foi o primeiro motor feito pelo Robertinho depois que êle voltou da Europa . Êle tinha ido com o Teléco e ficou quase um ano trabalhando na Novamotor preparando motores pra Formulas 2 e 3 . Na realidade , foram feito dois carros o outro éra o 90 êsse sim éra uma dupla boa , Teléco e Carióca (Alfredo Menezes de Mattos) , mas resolveram correr na última hora e foi feito tudo as pressas , o carro ficou pronto no dia da corrida , sem amaciamento não classificaram , largaram lá atráz . Na corrida o Teléco largou , enfiou o pé a barata não aguentou e travou , deram poucas voltas , não lembro direito , mas acho que o Carióca nem guiou . Mas éra um carro bom , inclusive , melhor que o do Guaraná , com uma dupla boa , infelizmente não deu certo . Alguns mêses depois , quando o campeonato de 74 estava no começo , o Robertinho morreu em Biguaçu SC , em um acidente na estrada indo pra Pôrto Alegre pra etapa de Tarumã . Na minha opinião o automobilismo perdeu o melhor preparador na época . Um cara bom de caráter , coisa rara no meio , inteligente , dedicado e com tôda a bagagem que trouxe da Europa que não deu tempo de por em prática . Realmente uma perda lamentável . Até hoje me emociono quando lembro dêsse grande amigo .
    É isso aí , um abraço a todos .

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 22:50
    Permalink

    Caros Claudio/Vicente/ Luca
    Fui convidado pelo amigo Amador ( irmao do João Torneiro..que sempre me ajudou nas preparaçães dos motores da Kinko )a participar desta Mil Milhas..de 1973 .A Equipe Gledson era comandada pelo próprio Amador e era ele que contratava os pilotos …A dupla com o Julio Caio foi montada de ultima hora..Eu sempre fui um piloto que tratava o motor e cambio com muito carinho,, por isso, por varias vezes finalizei provas de longa duraçao,, nas primeiras colocações..O Julio Caio,,,era um piloto muito agressivo,,,e rápido claro,, mais nessa prova eu havia combinado com ele que para chegar ao final deveriamos poupar o maximo,,andar pelo menos de 2 a 3 segundos por volta acima do que o carro permitia- O motor era um canhão,,! o “Pinico” descia o retào a quase 200 Kms/h e vibrava,, tudo la dentro do cok Pit.. Mais la pelo meio da noite o Julio Caio estava pilotando muito forte e a caixa 3 acabou quebrando,,- as engrenagens “fritaram” todas..Uma pena,, pq poderiamos ter chegado ao final entre os 5 primeiros.. com certeza…abraços do Águia

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 22:50
    Permalink

    Caros Claudio/Vicente/ Luca
    Fui convidado pelo amigo Amador ( irmao do João Torneiro..que sempre me ajudou nas preparaçães dos motores da Kinko )a participar desta Mil Milhas..de 1973 .A Equipe Gledson era comandada pelo próprio Amador e era ele que contratava os pilotos …A dupla com o Julio Caio foi montada de ultima hora..Eu sempre fui um piloto que tratava o motor e cambio com muito carinho,, por isso, por varias vezes finalizei provas de longa duraçao,, nas primeiras colocações..O Julio Caio,,,era um piloto muito agressivo,,,e rápido claro,, mais nessa prova eu havia combinado com ele que para chegar ao final deveriamos poupar o maximo,,andar pelo menos de 2 a 3 segundos por volta acima do que o carro permitia- O motor era um canhão,,! o “Pinico” descia o retào a quase 200 Kms/h e vibrava,, tudo la dentro do cok Pit.. Mais la pelo meio da noite o Julio Caio estava pilotando muito forte e a caixa 3 acabou quebrando,,- as engrenagens “fritaram” todas..Uma pena,, pq poderiamos ter chegado ao final entre os 5 primeiros.. com certeza…abraços do Águia

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 22:50
    Permalink

    Luca,
    Eu sei dessa história e era fã dos carros feitos pelo Robertinho. Apenas gosto de encher o saco do Saloma porque ele “esquece” que o foguetão do Guaraná tinha sido feito na Autozoom.

    Resposta
  • 15 de novembro de 2008 em 22:50
    Permalink

    Luca,
    Eu sei dessa história e era fã dos carros feitos pelo Robertinho. Apenas gosto de encher o saco do Saloma porque ele “esquece” que o foguetão do Guaraná tinha sido feito na Autozoom.

    Resposta
  • 16 de novembro de 2008 em 02:15
    Permalink

    Vicente , néssa história da Autozoom e Gledson teve um acontecimento deplorável que não dá pra contar aquí . Tem tudo a ver com aquêle lance de caráter que citei . Tem nêgo que paga de bonzinho e na realidade é um grande FDP . Infelizmente é o que mais tem , estamos rodeados déssa raça . Desculpem-me o desabafo , mas é a pura realidade .
    Saloma , não se apoquente , não tem absolutamente NADA haver com o Amador , uma pessôa pela qual tenho a maior estíma , sempre me dei muito bem com êle e não está incluído néssa córja . Pra você ter uma idéia , conheço êle dêsde o tempo que êle ainda montava Formula Vê de uma fórma , que pra trocar o óleo do cambio tinham que virar a barata de cabeça pra baixo .(Pior Que É Verdade) rsrs e quem levantou a lébre fui eu , tinha 14 anos , moléque de tudo . Se êle ainda não ti contou éssa estória , pede pra êle contar , é de chorar de rir .
    Abs té mais

    Resposta
  • 16 de novembro de 2008 em 02:15
    Permalink

    Vicente , néssa história da Autozoom e Gledson teve um acontecimento deplorável que não dá pra contar aquí . Tem tudo a ver com aquêle lance de caráter que citei . Tem nêgo que paga de bonzinho e na realidade é um grande FDP . Infelizmente é o que mais tem , estamos rodeados déssa raça . Desculpem-me o desabafo , mas é a pura realidade .
    Saloma , não se apoquente , não tem absolutamente NADA haver com o Amador , uma pessôa pela qual tenho a maior estíma , sempre me dei muito bem com êle e não está incluído néssa córja . Pra você ter uma idéia , conheço êle dêsde o tempo que êle ainda montava Formula Vê de uma fórma , que pra trocar o óleo do cambio tinham que virar a barata de cabeça pra baixo .(Pior Que É Verdade) rsrs e quem levantou a lébre fui eu , tinha 14 anos , moléque de tudo . Se êle ainda não ti contou éssa estória , pede pra êle contar , é de chorar de rir .
    Abs té mais

    Resposta
  • 16 de novembro de 2008 em 02:37
    Permalink

    Saloma , desculpe a sinceridade , mas néssa época (70/71/72) o Amador éra freguês de caderninho , do Robertinho e Anézio em 72 o Giba começou a se sobressair com o Ingo aí deslanchhou , mas até pegar a mão , o Ingo tomou uns bélos charutos do Guaraná . O Amador podia até ter um carro bom , mas até o Guaraná e o Fabinho irem pra lá , êle nunca teve piloto a altura do Guaraná , Teléco e Carióca . E depois que o Robertinho morreu , éra Giba , Amador e Anézio , o resto éra resto . Tava esquecendo , néssa mesma época tinha um outro que éra féra , o Roger Resnny .
    Abs .

    Resposta
  • 16 de novembro de 2008 em 02:37
    Permalink

    Saloma , desculpe a sinceridade , mas néssa época (70/71/72) o Amador éra freguês de caderninho , do Robertinho e Anézio em 72 o Giba começou a se sobressair com o Ingo aí deslanchhou , mas até pegar a mão , o Ingo tomou uns bélos charutos do Guaraná . O Amador podia até ter um carro bom , mas até o Guaraná e o Fabinho irem pra lá , êle nunca teve piloto a altura do Guaraná , Teléco e Carióca . E depois que o Robertinho morreu , éra Giba , Amador e Anézio , o resto éra resto . Tava esquecendo , néssa mesma época tinha um outro que éra féra , o Roger Resnny .
    Abs .

    Resposta
  • 16 de novembro de 2008 em 08:57
    Permalink

    Luca. tenho uma liberdade muiyo grnade em falar do Amador Pedro. Um amigo e curador do meu Okrasinha. Frequento sua casa e conversamos bons papos a base de uma boa cachaça mineira de Araxá. É um cara de uma compet~wncia e determinação muito grande e vc disse bem, Amador, Anézio e Resnny que preparava as Vê dos Fittipaldi…

    Resposta
  • 16 de novembro de 2008 em 08:57
    Permalink

    Luca. tenho uma liberdade muiyo grnade em falar do Amador Pedro. Um amigo e curador do meu Okrasinha. Frequento sua casa e conversamos bons papos a base de uma boa cachaça mineira de Araxá. É um cara de uma compet~wncia e determinação muito grande e vc disse bem, Amador, Anézio e Resnny que preparava as Vê dos Fittipaldi…

    Resposta
  • 17 de novembro de 2008 em 09:29
    Permalink

    Luca,
    Teve uma época em que o Giba e o Cosmo eram sócios, lembra-se? Depois que se separaram, lá pelos idos de 1974, Cosmo preparava os carros do Aloisio Andrade Filho, do Paulo Della Volpe, do carioca Henrique Camara (VW verde garrafa no. 191) e, se não me engano, do Jean Dufaux.

    Resposta
  • 17 de novembro de 2008 em 09:29
    Permalink

    Luca,
    Teve uma época em que o Giba e o Cosmo eram sócios, lembra-se? Depois que se separaram, lá pelos idos de 1974, Cosmo preparava os carros do Aloisio Andrade Filho, do Paulo Della Volpe, do carioca Henrique Camara (VW verde garrafa no. 191) e, se não me engano, do Jean Dufaux.

    Resposta
  • 17 de novembro de 2008 em 16:32
    Permalink

    E já que estamos falando de preparadores de VW Divisão 3, não nos esqueçamos do Amandio Ferreira, o Gigante, que preparava o próprio carro (no 54) e o do Mario Patti Jr. (no. 2), e também do Lulu Lara Campos, que preparava o carro do filho, Luis Carlos Lara Campos.

    Resposta
  • 17 de novembro de 2008 em 16:32
    Permalink

    E já que estamos falando de preparadores de VW Divisão 3, não nos esqueçamos do Amandio Ferreira, o Gigante, que preparava o próprio carro (no 54) e o do Mario Patti Jr. (no. 2), e também do Lulu Lara Campos, que preparava o carro do filho, Luis Carlos Lara Campos.

    Resposta
  • 18 de novembro de 2008 em 08:52
    Permalink

    E no ABC paulista o Zé Galinha, que preparou o fusca Divisão 3 número 26 que o Arturo “Torito” Fernandes estreou, e tambem a Motorgirus do Toninho, que fazia os carros do Alvaro “Bico” Guimarães e depois os do J. Bruno

    Resposta
  • 18 de novembro de 2008 em 08:52
    Permalink

    E no ABC paulista o Zé Galinha, que preparou o fusca Divisão 3 número 26 que o Arturo “Torito” Fernandes estreou, e tambem a Motorgirus do Toninho, que fazia os carros do Alvaro “Bico” Guimarães e depois os do J. Bruno

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 09:03
    Permalink

    Ola Turma., Descobri o email e o endereço do nosso amigo Teleco !! ele reside na cidade de Cunha, aqui vai :
    Luis Antonio Siqueira Veiga “Teleco ”
    João Manoel Rodrigues, 50
    Cep:12530-000 – Centro
    CUNHA – S.P.
    Fone:12-31113277
    Cel :12-97203412
    email :
    la-sv@uol.com.br
    lasv@itelefonica.com.br

    Div- 3- Não se esqueçam do “bota “Kenith yohimoto” que andava com um Pinicão preparado pelos meus amigos e preparadores dos meus carros , os irmaos Shiro e Takeo da “Kinko” la da Av Rouxinol em Moema-SP

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 09:03
    Permalink

    Ola Turma., Descobri o email e o endereço do nosso amigo Teleco !! ele reside na cidade de Cunha, aqui vai :
    Luis Antonio Siqueira Veiga “Teleco ”
    João Manoel Rodrigues, 50
    Cep:12530-000 – Centro
    CUNHA – S.P.
    Fone:12-31113277
    Cel :12-97203412
    email :
    la-sv@uol.com.br
    lasv@itelefonica.com.br

    Div- 3- Não se esqueçam do “bota “Kenith yohimoto” que andava com um Pinicão preparado pelos meus amigos e preparadores dos meus carros , os irmaos Shiro e Takeo da “Kinko” la da Av Rouxinol em Moema-SP

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 14:36
    Permalink

    Aguia,
    Que eu me lembre os VW D3 da Kinko largavam bem atrás ….

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 14:36
    Permalink

    Aguia,
    Que eu me lembre os VW D3 da Kinko largavam bem atrás ….

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 18:56
    Permalink

    Vicente

    Você tem razão , largavam e chegavam atrás .
    Mas esse japones o Kenith ,quando éra novato , fez umas boas corridas , não lembro se ganhou alguma ,mas sempre andava bem . E foi só tambèm .

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 18:56
    Permalink

    Vicente

    Você tem razão , largavam e chegavam atrás .
    Mas esse japones o Kenith ,quando éra novato , fez umas boas corridas , não lembro se ganhou alguma ,mas sempre andava bem . E foi só tambèm .

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 19:17
    Permalink

    Caro Vicente…Só tinha um Div 3 da Kinko,,,o do japones Kenith que correu poucas vezes,,e dava muito trabalho para todos os conconrrebtes,, só que ele era um “vaca brava”e quebrava muito ,,O meu Prot.Kinko Div 4..( utilizava o mesmo motor dos VW D- 3 ) foi o que nos deu muita alegria,,finalizamos ( eu e o Stanley Ostrower ) os 150O Kms de Intelagos de 1971 na 1a colocaçao entre os prot nacionais e 4o na geral.. a prova foi vencida pela BMW de Ciro Caires/Jan Balder – abração..do aguia

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 19:17
    Permalink

    Caro Vicente…Só tinha um Div 3 da Kinko,,,o do japones Kenith que correu poucas vezes,,e dava muito trabalho para todos os conconrrebtes,, só que ele era um “vaca brava”e quebrava muito ,,O meu Prot.Kinko Div 4..( utilizava o mesmo motor dos VW D- 3 ) foi o que nos deu muita alegria,,finalizamos ( eu e o Stanley Ostrower ) os 150O Kms de Intelagos de 1971 na 1a colocaçao entre os prot nacionais e 4o na geral.. a prova foi vencida pela BMW de Ciro Caires/Jan Balder – abração..do aguia

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 22:14
    Permalink

    Águia,

    “Mutatis mutandis”, O conjuntO da Kinko na Divisão 3 não andava lá essas coisas não. Taí o Luca que não me deixa mentir. Corria até uma piada que o carro largava lá atrás porque a rampa na reta dos boxes era mais suave no fim do pelotão, o que ajudava a embalar a barata que, sinceramente, não era páreo para os carros de metade do grid para frente. Subia a reta dos boxes queimando embreagem para subir de giro.
    Que o seu protótipo tenha andado bem no início dos anos 70, tudo bem, mas que o VW dos japas não andava nada, isso não andava mesmo.
    Como diz o ditado: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa…. Quanta filosofia, hein?

    PS: tive contato com Stanley e Ricardo Ostrower quando eles se mudaram para o Rio e compraram uma revenda Suzuki na Gávea, em frente à PUC, lá por volta de 1974, até andaram se aventurando a preparar um kart e bancaram o Kokito (Eduardo Levy), gerente da oficina, em provas de velocidade.

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 22:14
    Permalink

    Águia,

    “Mutatis mutandis”, O conjuntO da Kinko na Divisão 3 não andava lá essas coisas não. Taí o Luca que não me deixa mentir. Corria até uma piada que o carro largava lá atrás porque a rampa na reta dos boxes era mais suave no fim do pelotão, o que ajudava a embalar a barata que, sinceramente, não era páreo para os carros de metade do grid para frente. Subia a reta dos boxes queimando embreagem para subir de giro.
    Que o seu protótipo tenha andado bem no início dos anos 70, tudo bem, mas que o VW dos japas não andava nada, isso não andava mesmo.
    Como diz o ditado: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa…. Quanta filosofia, hein?

    PS: tive contato com Stanley e Ricardo Ostrower quando eles se mudaram para o Rio e compraram uma revenda Suzuki na Gávea, em frente à PUC, lá por volta de 1974, até andaram se aventurando a preparar um kart e bancaram o Kokito (Eduardo Levy), gerente da oficina, em provas de velocidade.

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 23:41
    Permalink

    águia

    Vicente e eu , estamos comentando de preparadores que fizeram carros de ALTO DESEMPENHO o que no caso do Kinko , só fez aquele VW do Kenith , porque mesmo ele sendo uma Vaca Brava , se a usina não empurasse , milagre ele não ia fazer , certo ? Mesmo porque o Guaraná , Teléco , Julio Caio , Carióca e outros , tambèm eram Vaca Brava e ganhavam corridas direto . Carros feitos para provas curtas como as do Campeonato Brasileiro de Div.3 , tem que aguentar uma hora de pau , se quebrar é porque não estava bom , concorda ? O Seu protótipo Kinko em uma prova do Campeonato Brasileiro de Div.4 , você faz idéia do tamanho e da grossura do Nabo que vocês tomariam ?
    Vou lhe dar um exemplo bem prático , que você vai entender bem a diferença de um carro com Alto Desempenho e outro só confiável . O Stock Car que você chegou em 2º lugar nas Mil Milhas de 1983 e só não ganharam por um monte de bobagens que fizeram , é exatamente o mesmo carro que o LUIZINHO PEREIRA BUENO pilotando e o Mike tambèm porque a diferença de tempo de um pro outro éra de aproximadamente 1(UM) segundo , óbviamente em favor do Luizinho , no Campeonato Brasileiro de Stock Car , o mesmo carro tomava 15 (QUINZE) segundos dos ponteiros .
    Então , carros com Alto Desempenho E Confiáveis , na época só o Robertinho o Amador o Anézio e o Roger , os outros éram café com leite . Entendeu ?
    É isso
    Fui …

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 23:41
    Permalink

    águia

    Vicente e eu , estamos comentando de preparadores que fizeram carros de ALTO DESEMPENHO o que no caso do Kinko , só fez aquele VW do Kenith , porque mesmo ele sendo uma Vaca Brava , se a usina não empurasse , milagre ele não ia fazer , certo ? Mesmo porque o Guaraná , Teléco , Julio Caio , Carióca e outros , tambèm eram Vaca Brava e ganhavam corridas direto . Carros feitos para provas curtas como as do Campeonato Brasileiro de Div.3 , tem que aguentar uma hora de pau , se quebrar é porque não estava bom , concorda ? O Seu protótipo Kinko em uma prova do Campeonato Brasileiro de Div.4 , você faz idéia do tamanho e da grossura do Nabo que vocês tomariam ?
    Vou lhe dar um exemplo bem prático , que você vai entender bem a diferença de um carro com Alto Desempenho e outro só confiável . O Stock Car que você chegou em 2º lugar nas Mil Milhas de 1983 e só não ganharam por um monte de bobagens que fizeram , é exatamente o mesmo carro que o LUIZINHO PEREIRA BUENO pilotando e o Mike tambèm porque a diferença de tempo de um pro outro éra de aproximadamente 1(UM) segundo , óbviamente em favor do Luizinho , no Campeonato Brasileiro de Stock Car , o mesmo carro tomava 15 (QUINZE) segundos dos ponteiros .
    Então , carros com Alto Desempenho E Confiáveis , na época só o Robertinho o Amador o Anézio e o Roger , os outros éram café com leite . Entendeu ?
    É isso
    Fui …

    Resposta
  • 25 de novembro de 2008 em 12:11
    Permalink

    Caros Luca,,/ Vicente,, eu entendi sim claro vcs tem toda razão….O Kenith andava em cima do motorzão mesmo,,e quebrava sempre,, acho que nunca chegou no final ..Qto ao protótipo Kinko,,No 72 o carro foi desenvolvido para provas longas,,nunca disputamos provas contra os Pinicões..que eram super rápidos e utilizavam pneus Slicks. Nós ( eu e o Stanley ) corremos sempre com pneus radiais !! Cinturatto HS. Depois que vendemos o carro para o Tenente Pedro Melo, ele modificou totalmante a carroceria do Kinko e colocou pneus slicks e um motor mais forte de 1900 cc..Nosso tempo nos 1500 Kms de 1971 era de aprox 3.33/volta.. e depois com o Pedro ele baixou para uns 3.15 !! era muito mais rápido mais quebrava muito.. Com relação ao Opala das Mil Milhas de 1983,,eu solicitei e paguei ao Silvano Pozzi,,para preparar dois motores,, novos para treinos e corrida… Todos os Stock Car quebravam a 3a marcha pq o torque era muito alto. A única modificação que feita , foi a substituição do coletor de escapamento da Stock por outro do Opala 250s e com isso o Gigleur do carburador foi diminuido em quase 20 pontos,,dai a nossa estrategia,,nosso carro tinha autonomia de 2 1/2 horas contra as 1.1/2 hor dos outros ,,que acabaram quebrando a 3a. . Largamos com o 15o tempo,, claro mais lento que os ponteiros,,mais numa prova longa,, vcs conhecem bem – o negocio é chegar,!!! foi o que aconteceu..quase vencemos.. Qto a loja de moto dos irmaos gemeos Ricardo e Stanley, eu tambem me recordo ; estive la algumas vezes, mais eles nao se deram bem, pois, não tinham capital de giro para bancar as compras de motos novas e acabarem fechando a firma abraçao a todos.. Águia

    Resposta
  • 25 de novembro de 2008 em 12:11
    Permalink

    Caros Luca,,/ Vicente,, eu entendi sim claro vcs tem toda razão….O Kenith andava em cima do motorzão mesmo,,e quebrava sempre,, acho que nunca chegou no final ..Qto ao protótipo Kinko,,No 72 o carro foi desenvolvido para provas longas,,nunca disputamos provas contra os Pinicões..que eram super rápidos e utilizavam pneus Slicks. Nós ( eu e o Stanley ) corremos sempre com pneus radiais !! Cinturatto HS. Depois que vendemos o carro para o Tenente Pedro Melo, ele modificou totalmante a carroceria do Kinko e colocou pneus slicks e um motor mais forte de 1900 cc..Nosso tempo nos 1500 Kms de 1971 era de aprox 3.33/volta.. e depois com o Pedro ele baixou para uns 3.15 !! era muito mais rápido mais quebrava muito.. Com relação ao Opala das Mil Milhas de 1983,,eu solicitei e paguei ao Silvano Pozzi,,para preparar dois motores,, novos para treinos e corrida… Todos os Stock Car quebravam a 3a marcha pq o torque era muito alto. A única modificação que feita , foi a substituição do coletor de escapamento da Stock por outro do Opala 250s e com isso o Gigleur do carburador foi diminuido em quase 20 pontos,,dai a nossa estrategia,,nosso carro tinha autonomia de 2 1/2 horas contra as 1.1/2 hor dos outros ,,que acabaram quebrando a 3a. . Largamos com o 15o tempo,, claro mais lento que os ponteiros,,mais numa prova longa,, vcs conhecem bem – o negocio é chegar,!!! foi o que aconteceu..quase vencemos.. Qto a loja de moto dos irmaos gemeos Ricardo e Stanley, eu tambem me recordo ; estive la algumas vezes, mais eles nao se deram bem, pois, não tinham capital de giro para bancar as compras de motos novas e acabarem fechando a firma abraçao a todos.. Águia

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.