PORSCHE 550 spyder for sale…

Comparsas, como na F1, começam as trocas de pilotos nas equipes, na terrinha os cabras começam a repensar sobre os rumos no ano seguinte que seguiram e na dúvida detonam as baratas. E um dos clássicos no mercado, tá aí…

Porsche 550 Spyder:
Originalmente carro de corrida, vice-campeão em 2002 e campeão em 2003 da Fórmula Classic Light.
Motor novo 1600 à alcool, radiador de óleo, correia dentada no alternador, dupla carburação Solex 32, câmbio acionado a cabos, escape 4 em 1 com opção para pista e rua, embreagem hidráulica, cilindros de freio duplos e reguláveis, pedaleira de alumínio billet, para brisas ingleses aeroscreen, instrumentos VDO do Porsche 356, suspensão regulável atrás e na frente, assoalho de alumínio, direção de madeira antiga marca Walrod, pneus Pirelli 195×15, rodas aro 15 especiais, freios a disco ventilados na dianteira e discos simples na traseira com válvulas de alívio. Preparado para andar na rua sem o menor problema.

O carro é documentado como AME-Porsche Spyder, ano 1974. Não paga IPVA.
Contatos…
Roberto da Silva Zullino
FutureTrends Consulting
Rua Realengo,220 – Alto de Pinheiros
São Paulo – SP – 05451-030
55+11+30223032
55+11+99413884

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

58 comentários em “PORSCHE 550 spyder for sale…

  • 24 de setembro de 2008 em 16:07
    Permalink

    O Zullino é uma figuraça com aquele blusão de couro parecendo muito um piloto de B-29 da Segunda Guerra Mundial (sem ofensa, Zullino…).
    Mas é um baita papo que algumas vezes desfrutei nessas conversas de fundo de box em Interlagos…tem muita coisa pra contar do que presenciou no mundo de duas e quatro rodas.
    Vale a pena parar e escutar as histórias do Zullino, sempre temperadas com muito bom humor.
    O Porschinho é uma jóia preciosa; uma vez largamos juntos como carros madrinhas em uma etapa da SuperClassic (lembra Saloma?).
    Pois é, taí à venda, quem se habilita ?

    Resposta
  • 24 de setembro de 2008 em 16:07
    Permalink

    O Zullino é uma figuraça com aquele blusão de couro parecendo muito um piloto de B-29 da Segunda Guerra Mundial (sem ofensa, Zullino…).
    Mas é um baita papo que algumas vezes desfrutei nessas conversas de fundo de box em Interlagos…tem muita coisa pra contar do que presenciou no mundo de duas e quatro rodas.
    Vale a pena parar e escutar as histórias do Zullino, sempre temperadas com muito bom humor.
    O Porschinho é uma jóia preciosa; uma vez largamos juntos como carros madrinhas em uma etapa da SuperClassic (lembra Saloma?).
    Pois é, taí à venda, quem se habilita ?

    Resposta
  • 25 de setembro de 2008 em 02:05
    Permalink

    Zullino,
    “Mil-perdãos”, mas estes seus parabrisinhas Brooklands estão matando a barata. Arranca estas porras, cara !
    Não vou nem falar nada do volante e dos tapetinhos…
    E o bagageiro ? É para carregar as ferramentas ????
    Hahahahahh…
    Abraços !

    Resposta
  • 25 de setembro de 2008 em 02:05
    Permalink

    Zullino,
    “Mil-perdãos”, mas estes seus parabrisinhas Brooklands estão matando a barata. Arranca estas porras, cara !
    Não vou nem falar nada do volante e dos tapetinhos…
    E o bagageiro ? É para carregar as ferramentas ????
    Hahahahahh…
    Abraços !

    Resposta
  • 25 de setembro de 2008 em 09:21
    Permalink

    Joaquim,
    Esse blusão de couro tem história, mas não conto porque a maioria é de quedas motociclísticas vergonhosas.
    Luiz
    Esse carro é uma delícia mesmo de dirigir e com o cambio a cabos eliminamos um dos maiores defeitos que esses carros têm que é a troca de marchas.
    M
    Os parabrisas ingleses são melhores e mais seguros que os de acrílico e não deu para comprar tapetes, o chão que é de alumínio. O carro serve para rallyes e o bagageiro de alumínio e pinho de riga serve para levar as malinhas das primas ou a sogra, isso se o cara não tiver sorte, mas ficar ouvindo os berros da véia não tem preço.

    Resposta
  • 25 de setembro de 2008 em 09:21
    Permalink

    Joaquim,
    Esse blusão de couro tem história, mas não conto porque a maioria é de quedas motociclísticas vergonhosas.
    Luiz
    Esse carro é uma delícia mesmo de dirigir e com o cambio a cabos eliminamos um dos maiores defeitos que esses carros têm que é a troca de marchas.
    M
    Os parabrisas ingleses são melhores e mais seguros que os de acrílico e não deu para comprar tapetes, o chão que é de alumínio. O carro serve para rallyes e o bagageiro de alumínio e pinho de riga serve para levar as malinhas das primas ou a sogra, isso se o cara não tiver sorte, mas ficar ouvindo os berros da véia não tem preço.

    Resposta
  • 25 de setembro de 2008 em 11:55
    Permalink

    Já tive um blusão de couro destes com o couro bem grosso e desbotado e me roubaram num encontro em Barra do Garças.
    O visual tá mais para motociclista dos anos 50, tipo O Selvagem da Motocicleta (Marlon Brando) do que para piloto de Porsche Spyder.
    Mas e o preço? Tem um colega do clube do fusca que está procurando um.
    Jovino

    Resposta
  • 25 de setembro de 2008 em 11:55
    Permalink

    Já tive um blusão de couro destes com o couro bem grosso e desbotado e me roubaram num encontro em Barra do Garças.
    O visual tá mais para motociclista dos anos 50, tipo O Selvagem da Motocicleta (Marlon Brando) do que para piloto de Porsche Spyder.
    Mas e o preço? Tem um colega do clube do fusca que está procurando um.
    Jovino

    Resposta
  • 25 de setembro de 2008 em 23:09
    Permalink

    Alem de todo o charme e beleza do 550 Spyder, este carro especificmente tem um passado automobilístico interessante, e é “famosinho”…

    Resposta
  • 25 de setembro de 2008 em 23:09
    Permalink

    Alem de todo o charme e beleza do 550 Spyder, este carro especificmente tem um passado automobilístico interessante, e é “famosinho”…

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 12:27
    Permalink

    Zullino,
    Quais seus planos para o futuro após a venda do 550? Acho que tive uma premonição… Acesse seu e-mail.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 12:27
    Permalink

    Zullino,
    Quais seus planos para o futuro após a venda do 550? Acho que tive uma premonição… Acesse seu e-mail.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 13:39
    Permalink

    Vicente,
    Já vi e dei muita risada, a tua idéia é sensacional e séria, acho que o que você sugere é correto e não faria nada diferente.
    No entanto, meus planos para o BR800 Racer se frustraram. Estou vendendo o porschinho e depois vejo o que fazer. Tem cinco carros aqui em casa e já está dando confusão de tanta manobra.
    De tempos em tempos vendo minhas coisas e depois faço tudo de novo, hahahahaha.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 13:39
    Permalink

    Vicente,
    Já vi e dei muita risada, a tua idéia é sensacional e séria, acho que o que você sugere é correto e não faria nada diferente.
    No entanto, meus planos para o BR800 Racer se frustraram. Estou vendendo o porschinho e depois vejo o que fazer. Tem cinco carros aqui em casa e já está dando confusão de tanta manobra.
    De tempos em tempos vendo minhas coisas e depois faço tudo de novo, hahahahaha.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 13:57
    Permalink

    Zullino,
    Só não escrevi aquele e-mail aqui no blog para que ninguém roubasse a receita de preparação do BR-800. Imagine só, um bólido preparado com a receita que delineei no e-mail, patrocinado por Sahib Saloma & Brimos?
    “M” está agora no Aeroporto do Galeão em trânsito para outras paragens. Tirei o 914 de casa, o carro está lindo, pretendia ir ao encontro dele com meu screaming orange Porsche but, (estilo Luis Cesar) chove paca aqui no Rio e, como não pretendo sujar o carro todo, acho que vou de taxi.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 13:57
    Permalink

    Zullino,
    Só não escrevi aquele e-mail aqui no blog para que ninguém roubasse a receita de preparação do BR-800. Imagine só, um bólido preparado com a receita que delineei no e-mail, patrocinado por Sahib Saloma & Brimos?
    “M” está agora no Aeroporto do Galeão em trânsito para outras paragens. Tirei o 914 de casa, o carro está lindo, pretendia ir ao encontro dele com meu screaming orange Porsche but, (estilo Luis Cesar) chove paca aqui no Rio e, como não pretendo sujar o carro todo, acho que vou de taxi.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 14:35
    Permalink

    Vicente,
    Se o império Saloma & Brimos abrir a carteira posso repensar no projeto, que faremos a 3.
    Vá com o 914 que carro é para andar, tomar chuva e barro.
    Aprendi que nunca se deve colecionar coisas inanimadas como selos, motos, carros, soldadinhos porque essas coisas acabam colecionando a gente.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 14:35
    Permalink

    Vicente,
    Se o império Saloma & Brimos abrir a carteira posso repensar no projeto, que faremos a 3.
    Vá com o 914 que carro é para andar, tomar chuva e barro.
    Aprendi que nunca se deve colecionar coisas inanimadas como selos, motos, carros, soldadinhos porque essas coisas acabam colecionando a gente.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 15:24
    Permalink

    Xiiii! Saloma & Brimos, costumam ter pelo menos um escorpião em cada bolso…

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 15:24
    Permalink

    Xiiii! Saloma & Brimos, costumam ter pelo menos um escorpião em cada bolso…

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 17:24
    Permalink

    Zullino,
    Agora a chuva parou e vou sair com meu 914, limpinho, maravilhoso. Um pouco de sabedoria carioca para se saber que chuva tem uma hora que pára, ainda mais após ter morrido numa grana com a garagista que deu um banho de noiva no carro.
    Eu e M rodamos adoidado de taxi, sem preocupação com vaga, e vimos algumas raridades (Jaguares, Lancia, Porsches, etc, etc, etc) guardadas nas suas tocas aqui no Rio.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 17:24
    Permalink

    Zullino,
    Agora a chuva parou e vou sair com meu 914, limpinho, maravilhoso. Um pouco de sabedoria carioca para se saber que chuva tem uma hora que pára, ainda mais após ter morrido numa grana com a garagista que deu um banho de noiva no carro.
    Eu e M rodamos adoidado de taxi, sem preocupação com vaga, e vimos algumas raridades (Jaguares, Lancia, Porsches, etc, etc, etc) guardadas nas suas tocas aqui no Rio.

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 19:55
    Permalink

    Saloma, Zullino e M,

    Acho que o boteco Saloma & Brimos poderia financiar a futura equipe baseada em modelos BR-800 e Street Machine preparados para competir na SuperClassic e rallies de carros clássicos.

    Team Manager: Saloma
    Diretor Esportivo: Joaquim
    Chefe de Box: Romeu
    Pilotos: Vicente, Zullino e M
    Mecânicos: qualquer um dos supracitados que estiverem de bobeira, ou algm comparsa não citado, que tenha alguma intimidade com mecânica automobilística
    Preparador: assunto confidencial

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 19:55
    Permalink

    Saloma, Zullino e M,

    Acho que o boteco Saloma & Brimos poderia financiar a futura equipe baseada em modelos BR-800 e Street Machine preparados para competir na SuperClassic e rallies de carros clássicos.

    Team Manager: Saloma
    Diretor Esportivo: Joaquim
    Chefe de Box: Romeu
    Pilotos: Vicente, Zullino e M
    Mecânicos: qualquer um dos supracitados que estiverem de bobeira, ou algm comparsa não citado, que tenha alguma intimidade com mecânica automobilística
    Preparador: assunto confidencial

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 22:30
    Permalink

    Tá querendo a minha aposentadoria…olha que chamo vc pra um racha na pista de terrinha do Ibirapuera! E já tenho a ocupação de team manager, e Deus sabe a dor de cabeça que me dá, equipe com sotaque russo e bafo de vodka…

    Resposta
  • 26 de setembro de 2008 em 22:30
    Permalink

    Tá querendo a minha aposentadoria…olha que chamo vc pra um racha na pista de terrinha do Ibirapuera! E já tenho a ocupação de team manager, e Deus sabe a dor de cabeça que me dá, equipe com sotaque russo e bafo de vodka…

    Resposta
  • 27 de setembro de 2008 em 10:52
    Permalink

    Saloma,

    Racha em pista de tera no Ibirapuera, que coisa pouco ecológica. Prefiro algum lugar mais prop´´icio a tais práticas, até mesmo o kartódromo carioca, que um dia já foi um belo autódromo.
    Quanto á SuperClassic, que eu saiba a única equipe com sotaque russo participava da SuperClassic com uma carretera DKW. Diz-se à boca pequena que um Fiat (ou seria um Lada chegado no Brasil na era Collor?) estaria em fase final de preparação. Você confirma? Poderia dar alguns detalhes técnicos da preparação quanto à carburação, caixa de câmbio, diferencial, suspensões, etc?

    Resposta
  • 27 de setembro de 2008 em 10:52
    Permalink

    Saloma,

    Racha em pista de tera no Ibirapuera, que coisa pouco ecológica. Prefiro algum lugar mais prop´´icio a tais práticas, até mesmo o kartódromo carioca, que um dia já foi um belo autódromo.
    Quanto á SuperClassic, que eu saiba a única equipe com sotaque russo participava da SuperClassic com uma carretera DKW. Diz-se à boca pequena que um Fiat (ou seria um Lada chegado no Brasil na era Collor?) estaria em fase final de preparação. Você confirma? Poderia dar alguns detalhes técnicos da preparação quanto à carburação, caixa de câmbio, diferencial, suspensões, etc?

    Resposta
  • 27 de setembro de 2008 em 17:44
    Permalink

    Vicente…esse Fiat, ops! Lada, está em fase de finalização. Conjunto motor e câmbio é do próprio, mas com suplementos polivitamínico e polimineral para senhores de idade elevada:
    Vitamina A 5.000 UI 187
    Vitamina B1 (mononitrato de tiamina) 1,5 mg 107
    Vitamina B2 (riboflavina) 1,7 mg 106
    Vitamina B6 (cloridrato de piridoxina) 3 mg 150
    Vitamina B12 (cianocobalamina) 25 mcg 2.500
    Vitamina C (ácido ascórbico) 60 mg 100
    Vitamina D 400 UI 200
    Vitamina E (acetato de di-alfa-tocoferila) 45 UI 300
    Vitamina K1 (fitonadiona) 10 mcg 12
    Nicotinamida 20 mg 111
    Ácido fólico 400 mcg 200
    Ácido pantotênico 10 mg 167
    Biotina 30 mcg 20
    Boro 150 mcg
    Cálcio 200 mg 25
    Cloro (como cloreto de potássio) 72 mg
    Cobre (como óxido cúprico) 2 mg 67
    Cromo (como cloreto de cromo) 130 mcg 65
    Ferro (como fumarato ferroso) 4 mg 29
    Fósforo (como fosfato de cálcio) 48 mg 6
    Iodo (como iodeto de potássio) 150 mcg 100
    Magnésio (como óxido de magnésio) 100 mg 33
    Manganês (como sulfato de manganês)3,5 mg 70
    Molibdênio (como molibdato de sódio)160 mcg 64
    Níquel (como sulfato niqueloso) 5 mcg
    Potássio (como cloreto de potássio) 80 mg
    Selênio (como selenato de sódio) 20 mcg 29
    Silício (como metassilicato de sódio) 2 mg
    Vanádio (como metavanadato de sódio)10 mcg
    Zinco (como óxido de zinco) 15 mg 100
    * %Teor em porcentagem referente à quantidade mínima por prova.
    Indicações — Deficiências de retomada de aceleração e velocidade final.
    É isso…
    Dr. LS

    Resposta
  • 27 de setembro de 2008 em 17:44
    Permalink

    Vicente…esse Fiat, ops! Lada, está em fase de finalização. Conjunto motor e câmbio é do próprio, mas com suplementos polivitamínico e polimineral para senhores de idade elevada:
    Vitamina A 5.000 UI 187
    Vitamina B1 (mononitrato de tiamina) 1,5 mg 107
    Vitamina B2 (riboflavina) 1,7 mg 106
    Vitamina B6 (cloridrato de piridoxina) 3 mg 150
    Vitamina B12 (cianocobalamina) 25 mcg 2.500
    Vitamina C (ácido ascórbico) 60 mg 100
    Vitamina D 400 UI 200
    Vitamina E (acetato de di-alfa-tocoferila) 45 UI 300
    Vitamina K1 (fitonadiona) 10 mcg 12
    Nicotinamida 20 mg 111
    Ácido fólico 400 mcg 200
    Ácido pantotênico 10 mg 167
    Biotina 30 mcg 20
    Boro 150 mcg
    Cálcio 200 mg 25
    Cloro (como cloreto de potássio) 72 mg
    Cobre (como óxido cúprico) 2 mg 67
    Cromo (como cloreto de cromo) 130 mcg 65
    Ferro (como fumarato ferroso) 4 mg 29
    Fósforo (como fosfato de cálcio) 48 mg 6
    Iodo (como iodeto de potássio) 150 mcg 100
    Magnésio (como óxido de magnésio) 100 mg 33
    Manganês (como sulfato de manganês)3,5 mg 70
    Molibdênio (como molibdato de sódio)160 mcg 64
    Níquel (como sulfato niqueloso) 5 mcg
    Potássio (como cloreto de potássio) 80 mg
    Selênio (como selenato de sódio) 20 mcg 29
    Silício (como metassilicato de sódio) 2 mg
    Vanádio (como metavanadato de sódio)10 mcg
    Zinco (como óxido de zinco) 15 mg 100
    * %Teor em porcentagem referente à quantidade mínima por prova.
    Indicações — Deficiências de retomada de aceleração e velocidade final.
    É isso…
    Dr. LS

    Resposta
  • 27 de setembro de 2008 em 23:29
    Permalink

    Putz. O Team Manager pirou de vez!
    Acho que foi o tal bafo de Vodka…

    Resposta
  • 27 de setembro de 2008 em 23:29
    Permalink

    Putz. O Team Manager pirou de vez!
    Acho que foi o tal bafo de Vodka…

    Resposta
  • 28 de setembro de 2008 em 02:06
    Permalink

    Pessoal,
    Tudo lorota ! O 914 do Vicente tem medo de agua !
    Alguns poucos pingos de chuva e a josta ficou na garagem !
    Tive que fazer o “circuito-do-mofo-carioca” na sola do sapato ! E com fome !

    Zullino,
    Nao entre nestas estorias do Vicente. Esqueca a aberracao-tecnologica e compre uma bicicleta: tem maior valor de revenda !

    (computador novo – quem foi que disse que esta droga bota acento ?)

    AbraSSos ! ( melhor do que com C…)

    Resposta
  • 28 de setembro de 2008 em 02:06
    Permalink

    Pessoal,
    Tudo lorota ! O 914 do Vicente tem medo de agua !
    Alguns poucos pingos de chuva e a josta ficou na garagem !
    Tive que fazer o “circuito-do-mofo-carioca” na sola do sapato ! E com fome !

    Zullino,
    Nao entre nestas estorias do Vicente. Esqueca a aberracao-tecnologica e compre uma bicicleta: tem maior valor de revenda !

    (computador novo – quem foi que disse que esta droga bota acento ?)

    AbraSSos ! ( melhor do que com C…)

    Resposta
  • 28 de setembro de 2008 em 12:04
    Permalink

    M,
    Naquele dia, exatamente horas antes, o 914 levou um trato daqueles que se dá em véspera de exposição, com direito a cotonete, silicone, etc..
    E que papo é esse de fazer o circuito carioca a pé? Só poucas quadras a pé para ver aqueles Jaguares Mk 7 e “S” naquele estacionamento onde também estava meu 914 no quinto andar. De taxi fomos à periferia a oficinas e garagens na mesma rua, nem 5 minutos de um canto ao outro, dos Porsches, carreterra VW-Porsche 911 entre-eixos e GTO, atravessando a rua para ver aquele caminhão Reo de 3 eixos, pela porta dos fundos entrando no estacionamento para ver aquela Lancia “quattroporte” , e de lá para o Mark I, foi só atravessar outra rua.
    Agora, eu adoraria ver um dos seus carrinhos FORA da garagem, comos pneus no asfalto, andando na estrada, como um autoMÓVEL, não um autoFIXO.

    Resposta
  • 28 de setembro de 2008 em 12:04
    Permalink

    M,
    Naquele dia, exatamente horas antes, o 914 levou um trato daqueles que se dá em véspera de exposição, com direito a cotonete, silicone, etc..
    E que papo é esse de fazer o circuito carioca a pé? Só poucas quadras a pé para ver aqueles Jaguares Mk 7 e “S” naquele estacionamento onde também estava meu 914 no quinto andar. De taxi fomos à periferia a oficinas e garagens na mesma rua, nem 5 minutos de um canto ao outro, dos Porsches, carreterra VW-Porsche 911 entre-eixos e GTO, atravessando a rua para ver aquele caminhão Reo de 3 eixos, pela porta dos fundos entrando no estacionamento para ver aquela Lancia “quattroporte” , e de lá para o Mark I, foi só atravessar outra rua.
    Agora, eu adoraria ver um dos seus carrinhos FORA da garagem, comos pneus no asfalto, andando na estrada, como um autoMÓVEL, não um autoFIXO.

    Resposta
  • 28 de setembro de 2008 em 12:13
    Permalink

    Saloma,
    A “sua” equipe está preparando um Lada? Desde quando um carro importado na era Collor tem idade suficiente para participar da SuperClassic? SE FOSSE um Fiat dos anos 60, tudo bem, ou será que o regulamento foi revisado e eu, como estou distante de SP e não sou piloto nem participo de nehuma equipe da SuperClassic, não soube.

    Resposta
  • 28 de setembro de 2008 em 12:13
    Permalink

    Saloma,
    A “sua” equipe está preparando um Lada? Desde quando um carro importado na era Collor tem idade suficiente para participar da SuperClassic? SE FOSSE um Fiat dos anos 60, tudo bem, ou será que o regulamento foi revisado e eu, como estou distante de SP e não sou piloto nem participo de nehuma equipe da SuperClassic, não soube.

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 09:37
    Permalink

    Os Ladas são réplicas dos Fiats 124. Acho que mudaram o regulamento e carros com 20 anos podem correr.
    Não vio o carro, mas me parece que os motores bi-albero da Fiat/Alfa cabem. Ficaria bem esperto com um Tempra 2 litros e 16 válvulas.

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 09:37
    Permalink

    Os Ladas são réplicas dos Fiats 124. Acho que mudaram o regulamento e carros com 20 anos podem correr.
    Não vio o carro, mas me parece que os motores bi-albero da Fiat/Alfa cabem. Ficaria bem esperto com um Tempra 2 litros e 16 válvulas.

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 09:45
    Permalink

    Zullino…bloco do Lada e preparação by Saúva!

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 09:45
    Permalink

    Zullino…bloco do Lada e preparação by Saúva!

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 09:58
    Permalink

    Zullino e Saloma,
    Não sou expert nesses carros ítalo-russos mas, até onde sei, os Ladas têm faróis quadrados enquanto no Fiat 124 os faróis são redondos.
    Se o carro é um Lada, como tudo indica, deve ter entrado no Brasil a partir da era Collor (1990-1992). Logo, até que alguém prove haver importado algum Lada anteriormente ao período collorido, nenhum desses carros russos que aqui entraram após a flexibilizaçao das importações têm mais de 18 anos de Brasil.
    Se o bloco do carro é original Lada, conclui-se que o regulamento deve ter sido alterado para permitir a inclusão de carros com um mínimo de 18 anos participem da categoria.

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 09:58
    Permalink

    Zullino e Saloma,
    Não sou expert nesses carros ítalo-russos mas, até onde sei, os Ladas têm faróis quadrados enquanto no Fiat 124 os faróis são redondos.
    Se o carro é um Lada, como tudo indica, deve ter entrado no Brasil a partir da era Collor (1990-1992). Logo, até que alguém prove haver importado algum Lada anteriormente ao período collorido, nenhum desses carros russos que aqui entraram após a flexibilizaçao das importações têm mais de 18 anos de Brasil.
    Se o bloco do carro é original Lada, conclui-se que o regulamento deve ter sido alterado para permitir a inclusão de carros com um mínimo de 18 anos participem da categoria.

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 10:28
    Permalink

    Vai ficar bem rápido, é bom soldar as portas traseiras. Tive um Simca Chambord de corrida que era soldado por dentro, não dava para ver.
    O necessário será desenvolver o carro com a contratação de um piloto profissional para testá-lo. Isso é um carro que chegará na freada do S do Senna a mais de 180 km/h. Gasta-se uma nota na construção do carro e não se gasta contratando um piloto para acertar a bagaça.

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 10:28
    Permalink

    Vai ficar bem rápido, é bom soldar as portas traseiras. Tive um Simca Chambord de corrida que era soldado por dentro, não dava para ver.
    O necessário será desenvolver o carro com a contratação de um piloto profissional para testá-lo. Isso é um carro que chegará na freada do S do Senna a mais de 180 km/h. Gasta-se uma nota na construção do carro e não se gasta contratando um piloto para acertar a bagaça.

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 22:51
    Permalink

    Vicente,
    Só de ler este percurso todo que vc citou fiquei cansado novamente ! Hahahahahhh…

    Tô gostando de ver esta lorota de Lada “clássico” !
    Fiat 125 pode. Lada não !
    Mais uma vez, estão metendo a famosa colher-torta no regulamento. E depois reclamam que o “otomobilismo” brazuca vai pro saco.

    Sir Joaquim-Holmes ! Mete o anexo no nariz deles !

    Resposta
  • 29 de setembro de 2008 em 22:51
    Permalink

    Vicente,
    Só de ler este percurso todo que vc citou fiquei cansado novamente ! Hahahahahhh…

    Tô gostando de ver esta lorota de Lada “clássico” !
    Fiat 125 pode. Lada não !
    Mais uma vez, estão metendo a famosa colher-torta no regulamento. E depois reclamam que o “otomobilismo” brazuca vai pro saco.

    Sir Joaquim-Holmes ! Mete o anexo no nariz deles !

    Resposta
  • 30 de setembro de 2008 em 10:02
    Permalink

    M,

    Sou aficcionado por corridas de carros históricos e seus aspectos técnicos. Você que vive numa ponte aérea entre os EUA e o Brasil bem o sabe como são bem definidas as regras da VARA (Vintage Auto Racing Association) e do SCCA (Sport Car Club of America). Aqui no Brasil a FASP define o seguinte:

    VEICULOS HISTORICOS ORIGINAIS
    VEICULOS HISTORICOS DE COMPETIÇÃO
    Regulamento Técnico 2008

    ARTIGO 1 – VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS

    1.1 – VEÍCULOS PERMITIDOS
    Veículos de turismo de produção em série nacionais e importados fabricados até o ano de 1977.
    Veículos esportivos nacionais considerados fora de série fabricados até 1982.
    Veículos réplicas desde que mantenham suas características originais ou com chassi original VW com motor a ar.
    VW Fusca somente com motor a ar até 1.300 cc.

    Acontece que aqui no Brasil, se o regulamento for rígido quanto à motorização, pouquíssimos carros apareceriam no grid. Daí talvez para o próximo ano estejam previstas modificações de modo a permitir que carros não tão antigos sejam admitidos. Qualquer dia desses meu Astra Hatch 2001 (carroceria antiga) torna-se elegível, posso prepará-lo com o auxílio luxuoso de Saloma & Brimos, e aí eu poderei pegar para meu uso diário o Astra 2006 com apenas 9.000 km rodados de minha mãe e tia, as gêmeas de 76 anos.
    Em tempo, apenas escrevi o nome da VARA e SCCA entre parênteses para alguns blogueiros que nos lêem e não conhecem tais entidades.

    Resposta
  • 30 de setembro de 2008 em 10:02
    Permalink

    M,

    Sou aficcionado por corridas de carros históricos e seus aspectos técnicos. Você que vive numa ponte aérea entre os EUA e o Brasil bem o sabe como são bem definidas as regras da VARA (Vintage Auto Racing Association) e do SCCA (Sport Car Club of America). Aqui no Brasil a FASP define o seguinte:

    VEICULOS HISTORICOS ORIGINAIS
    VEICULOS HISTORICOS DE COMPETIÇÃO
    Regulamento Técnico 2008

    ARTIGO 1 – VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS

    1.1 – VEÍCULOS PERMITIDOS
    Veículos de turismo de produção em série nacionais e importados fabricados até o ano de 1977.
    Veículos esportivos nacionais considerados fora de série fabricados até 1982.
    Veículos réplicas desde que mantenham suas características originais ou com chassi original VW com motor a ar.
    VW Fusca somente com motor a ar até 1.300 cc.

    Acontece que aqui no Brasil, se o regulamento for rígido quanto à motorização, pouquíssimos carros apareceriam no grid. Daí talvez para o próximo ano estejam previstas modificações de modo a permitir que carros não tão antigos sejam admitidos. Qualquer dia desses meu Astra Hatch 2001 (carroceria antiga) torna-se elegível, posso prepará-lo com o auxílio luxuoso de Saloma & Brimos, e aí eu poderei pegar para meu uso diário o Astra 2006 com apenas 9.000 km rodados de minha mãe e tia, as gêmeas de 76 anos.
    Em tempo, apenas escrevi o nome da VARA e SCCA entre parênteses para alguns blogueiros que nos lêem e não conhecem tais entidades.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.