HISTÓRICO – FORMULA V 1200 – EX CARRO MADRINHA DA CAR INDY 500

Este carro de Fórmula V de 1964 é um verdadeiro achado. Segundo o proprietário anterior, este carro está guardado por mais de 30 anos. Ele correu no circuito de Indianápolis e foi usado como um carro-madrinha nas corridas da Indy 500.
A corrida de Fórmula V que deu suporte ao Grande Prêmio da Alemanha de 1967, Nurburgring Foto primotipo.com

Esse carro [abaixo] é verdadeiramente único que você não encontrará um segundo igual. O carro funciona perfeitamente, acelera, freia e troca de marchas perfeitas, um verdadeiro achado. Todo revisado e com muitas peças novas. Carro único que usado em competiões clássicas. Está equipado com motor de 1200 cc, o visual patina original foi mantido felizmente e reflete a verdadeira atmosfera dos anos 60.



A categoria Fórmula V saiu do papel nos Estados Unidos por volta de 1963 depois que alguns amadores e empresários contrataram a montadora italiana Nardi para fazer um protótipo de um pequeno carro de corrida de fórmula baseado em peças da Volkswagen, incluindo motor, suspensão dianteira, rodas e transmissão de um comum besouro.

O objetivo era criar uma classe de fórmula única, porém acessível, usando componentes de um carro de rua e popular. A construção de um carro de fórmula baseado nessas peças era relativamente simples e estritamente regulamentada; encenar os carros de corrida foi permitido apenas em uma extensão muito limitada para evitar o aumento dos custos para os participantes.

O uso de asas ou ‘asas’ (na verdade, spoilers) para obter downforce não ocorreu (e não ocorre) na Fórmula V. As primeiras corridas aconteceram nos EUA no circuito de Savannah (Roebling Road). Depois de alguns anos, representantes europeus da Porsche e da VW perceberam o crescente sucesso da ainda pequena classe de fórmula e importaram dez carros das marcas Formcar e Beach para a Europa (na Holanda, entre outros da Ben Pon).

Na Alemanha, o Veeklasse começou após as corridas de demonstração na etapa de subida da montanha de Eberbach em maio de 1965 e no circuito de aeródromo de Mainz-Finthen. A primeira corrida oficial europeia aconteceu com os carros V importados da Porsche no Norisring em Nuremberg.

A Fórmula V teve um sucesso especial depois de 1965. Muitas empresas menores e entusiastas desenvolveram seus próprios chassis com base nos componentes do Beetle/Fusca. A potência do motor Beetle original cresceu no decorrer dos anos 60 de cerca de 40 hp para cerca de 70 hp em 1969. As velocidades máximas aumentaram de cerca de 150 km / h para cerca de 190 km / h.

Devido ao baixo peso dos pequenos monopostos, especialmente em circuitos sinuosos, os tempos de volta alcançados foram muitas vezes ao nível dos carros esportivos profissionais, como o Porsche 911.

Centenas de pilotos eventualmente participaram nas corridas de Fórmula V na Europa como bem como nos EUA e Austrália, incluindo alguns campeões mundiais de F1 posteriores, como Jochen Rindt, Keke Rosberg e Niki Lauda e os múltiplos vencedores da Indy 500 Emerson Fittipaldi e Arie Luyendyk.



A partir de 1970, as regras para carros de Fórmula V foram finalmente relaxadas; por exemplo, o resfriamento de ar padrão anteriormente obrigatório do Fusca poderia ser removido e em vez do carburador único padrão poderiam ser usados dois carburadores.



Velocidades crescentes e custos idem eventualmente resultaram no lançamento da Fórmula Super V, que era parcialmente baseada em peças do Beetle, mas com potências de motor de até 120 cv, asas e velocidades máximas de até 220 km / h, em última análise se assemelhava a uma Fórmula 3. Devido ao rápido aumento dos custos, a classe Super V acabou perdendo popularidade.

A Fórmula V em sua forma mais original, com motores VW de 1200 a 1600 cc, permaneceu bastante popular como classe de entrada até depois do ano 2000, embora o número de participantes não tenha atingido os recordes da década de 1960.

Os carros da V ainda correm mais ou menos de acordo com a receita original nos EUA, Canadá e Austrália, embora algumas séries permitam o uso de slicks.

Devido às regulamentações estritas, as velocidades máximas alcançadas e as potências do motor de aproximadamente 60 cv respeitando o regulamento original, estão aproximadamente no nível dos anos 60, de modo que os carros FV mais antigos e recupetrados muitas vezes podem acompanhá-los. Estes V originais também são usados ​​em corridas clássicas e históricas.


Por aqui a categoria teve um upgrade nos carros, passando pelas mãos do saudoso Ricardo Divila e Wilson Fittipaldi que atualmente está envolvido com a categoria na FVee Jr. + aqui = https://www.fvee.com.br/


Fonte consulta e imagens Wikipedia/www.classiccarbothers.nl

Copyright © 2022 Conexão Saloma. Todos os Direitos reservados.

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.