CLÁSSICOS – PORSCHE 911 GT3 RS

Foi no autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), que a concessionária autorizada Stuttgart Veículos, apresentou oficialmente o novo 911 GT3 RS durante o 18° Porsche Racing Festival, realizado pelo Porsche Club Brasil. Além do modelo de 2016, a Stuttgart expôs cinco 911 RS clássicos, fabricados entre 1973 e 2012, dando aos convidados uma oportunidade rara de acompanhar a evolução do modelo nos últimos 42 anos.

Porsche 911 GT3 RS

Os seis 911 RS reunidos no Velo Città

 

Os seis 911 RS na reta dos boxes do Velo Città

 

Durante a Porsche Parade, os 911 RS à frente do pelotão de Porsches

 

Na linha Porsche, a sigla RS (do alemão “rennsport”, esportivo de corrida) é exclusiva de modelos específicos para competição ou, como nos seis modelos expostos, que representem o estágio mais próximo possível disso em um automóvel homologado para uso em vias públicas. O novo 911 GT3 RS tem motor de 3.996 cm³ com 500 HP de potência. É capaz de chegar a 310 km/h de velocidade máxima e de acelerar de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos – e de 0 a 200 km/h em 10,9 segundos.

Não é só no desempenho que o 911 GT3 RS se equipara a um carro de corrida. Ele tem funções como desengate de marcha por meio da “alavanca em neutro” (o equivalente a pisar na embreagem em um carro com câmbio manual tradicional) e botão “pit speed” para limitação de velocidade nos boxes. No interior, os bancos são típicos de competição e o pacote Clubsport, opcional, acrescenta gaiola de segurança montada por trás dos bancos, cinto de segurança de seis pontos, preparação para chave geral da bateria e extintor de incêndio com suporte de fixação.

Fala Marcel Visconde, presidente da Stuttgart Veículos: “Além de apresentar o novo 911 GT3 RS aos convidados, pudemos proporcionar uma oportunidade rara de ver seis exemplares de diferentes épocas reunidos em um mesmo evento”“Mesmo no exterior, é raro ver um RS nas ruas. Seis juntos, de épocas diferentes, é um acontecimento. São carros muito exclusivos, até porque a produção deles foi limitada.”

Explicando em números, o 911 Carrera RS de 1973 teve somente 1.580 unidades produzidas, das quais somente 15 vieram para o Brasil na época. Os demais modelos foram produzidos em quantidades ainda menores (quase todos em torno de 500 unidades) e vieram para o Brasil um máximo de cinco unidades de cada – no caso do GT3 RS 4.0, de 2012, somente dois foram importados.

Segue,  um rápido perfil de cada veículo exposto durante o 18° Porsche Racing Festival, evento de encerramento da temporada 2015 do Porsche Club Brasil:

Porsche 911 Carrera RS – 1973

Foi apresentado para homologação como carro de corrida: as regras da FIA exigiam uma produção mínima de 500 unidades. Para reduzir peso, foram usados materiais mais leves ou de medidas menores e equipamentos e detalhes de acabamento como banco traseiro, sistema de som e carpetes. A aerodinâmica foi melhorada com a colocação de spoilers dianteiro (abaixo do para-choque) e traseiro (integrado à tampa do motor). Este último, por causa de seu formato, recebeu o apelido “ducktail” (cauda de pato). A faixa lateral vazada com a palavra “Carrera” completou o estilo do carro. O sucesso foi tão grande que as 500 unidades previstas foram vendidas apenas uma semana depois do lançamento do Carrera RS, no segundo semestre de 1972. Outras 1.080 foram produzidas até julho de 1973.
Motor: 2,7 litros – 6 cilindros contrapostos
Potência: 210 HP a 7.300 rpm
Torque: 254 Nm a 5.100 rpm
Câmbio: manual de 5 marchas
Velocidade máxima: 245 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h: 5,5 s

 

911 GT3 RS “996” – 2004

Apenas um mês depois de apresentar o 911 da geração “996” (a primeira com motor refrigerado a água), em 1997, a Porsche já tinha prontas 50 unidades de corrida preparadas para a Supercup. Em março de 1999, o público conheceu o 911 GT3 de rua. E, quatro anos depois, a Porsche lançou o GT3 RS, sigla que já era usada nos 911 construídos para as corridas de longa duração. Assim como o Carrera RS, ele serviu para homologar o modelo em diversas categorias de GT. Mais leve (cerca de 50 kg menos), o GT3 RS recebeu alterações na suspensão que o deixavam ainda mais estável e rápido que o GT3 “normal”, apesar de a potência do motor ser a mesma em ambas as versões.
Motor: 3,6 litros – 6 cilindros contrapostos
Potência: 381 HP a 7.400 rpm
Torque: 385 Nm a 5.000 rpm
Câmbio: manual de 6 marchas
Velocidade máxima: 306 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h: 4,4 s

911 GT3 RS “997” – 2007

Lançada em 2004, como ano-modelo 2005, a geração “997” representava uma evolução na linha 911. Mudanças de estilo, motores mais potentes e alterações significativas no habitáculo (incluindo otimização do espaço interno) tornaram o 911 ainda mais desejável. Em 2006, a marca apresentou o 911 GT3 RS de rua, já modelo 2007. A proposta era a mesma de seu antecessor: homologá-lo em competições de GT e ainda oferecer ao público um carro com caráter de carro de competição. Foi o primeiro “RS” equipado com controles de tração e estabilidade.
Motor: 3,6 litros – 6 cilindros contrapostos
Potência: 415 HP a 7.600 rpm
Torque: 405 Nm a 5.500 rpm
Câmbio: manual de 6 marchas
Velocidade máxima: 310 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h: 4,2 s

911 GT2 RS “997 II” – 2011

Trata-se de um Porsche especialíssimo: somente 500 foram fabricados e apenas cinco deles foram vendidos no Brasil. É simplesmente o 911 de rua mais potente construído até hoje: seu motor de 6 cilindros boxer tem 620 HP – apenas para comparação, o superesportivo Carrera GT, de 2003, equipado com motor V10, tem 612 HP. Para torná-lo mais leve, a Porsche construiu vários componentes em fibra de carbono. As rodas possuem travamento central, típico de carros de corrida. Sua característica de estilo mais marcante é o capô oferecido pela fábrica sem pintura, deixando à mostra o acabamento da fibra de carbono. Pode-se dizer que o 911 GT2 RS radicaliza a proposta de oferecer ao motorista a sensação de pilotar um carro de corrida.
Motor: 3,6 litros biturbo – 6 cilindros contrapostos
Potência: 620 HP a 6.750 rpm
Torque: 700 Nm entre 2.250 e 5.500 rpm
Câmbio: manual de 6 marchas
Velocidade máxima: 330 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h: 3,5 s

911 GT3 RS 4.0 “997 II” – 2012

Um dos últimos 911 da geração “997” a ser lançado, o GT3 RS 4.0 é outro modelo produzido em série limitada: somente 600 unidades. Foi o primeiro 911 com motor de aspiração natural a atingir a marca de 500 HP de potência e também o primeiro a chegar a 4 litros de cilindrada. Tal potência foi conseguida com o uso de bielas de titânio e do virabrequim do motor aproveitado do 911 GT3 RSR, a versão homologada para corridas de longa duração. A otimização aerodinâmica também foi baseada nos 911 de competição. O detalhe de estilo exclusivo está nas faixas decorativas aplicadas no capô dianteiro, capota, tampa traseira e laterais.
Motor: 4,0 litro – 6 cilindros contrapostos
Potência: 500 HP a 8.250 rpm
Torque: 460 Nm a 5.750 rpm
Câmbio: manual de 6 marchas
Velocidade máxima: 310 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h: 3,9 s

911 GT3 RS “991” – 2016

A mais recente versão do 911 GT3 RS possui atrativos de sobra para quem deseja satisfazer seus desejos de pilotagem. Vários equipamentos fazem dele um verdadeiro carro de corrida. Funções como o desengate da marcha por meio da “alavanca em neutro” (comparável a pisar na embreagem em um carro com caixa de câmbio manual tradicional) e limitação de velocidade em box determinada pelo botão “pit speed” aproximam-no ainda mais das pistas. Nele, o pacote Sport Chrono conta com o aplicativo Track Precision, que permite registrar os dados de desempenho em um smartphone.
Motor: 4,0 litros – 6 cilindros contrapostos
Potência: 500 HP a 8.250 rpm
Torque: 460 Nm a 6.250 rpm
Câmbio: PDK de 7 marchas
Velocidade máxima: 310 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h: 3,3 s

(reprodução/Stuttgart Veículos/Assessoria de Imprensa-LetraNova Comunicação-Luiz Alberto Pandini)

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.