Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

14 comentários em “MAVECOS D3…

  • 19 de novembro de 2008 em 18:22
    Permalink

    Este Maverick da Mercantil finasa pilotado pelo Bob Sharp, para mim, o mais bonito de todos que conheci. Quando corria aqui em Brasilia eu ficava nos boxes namotando ele e contemplando aquelas rodas largas e as cornetas saindo pelo capô do carro.
    Jovino

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 18:22
    Permalink

    Este Maverick da Mercantil finasa pilotado pelo Bob Sharp, para mim, o mais bonito de todos que conheci. Quando corria aqui em Brasilia eu ficava nos boxes namotando ele e contemplando aquelas rodas largas e as cornetas saindo pelo capô do carro.
    Jovino

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 22:17
    Permalink

    Jovino
    Concordo com vc, mas sou suspeitíssima. Ele é mais bonito, ficou por mais tempo no pedaço e sempre ganhou do branquinho bonitão.

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 22:17
    Permalink

    Jovino
    Concordo com vc, mas sou suspeitíssima. Ele é mais bonito, ficou por mais tempo no pedaço e sempre ganhou do branquinho bonitão.

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 22:45
    Permalink

    Olá Adriana, foi bom te rever no evento do Bird…sinto não ter podido ficar mais tempo,
    mas valeu e apareça mais no nosso espaço…

    Resposta
  • 19 de novembro de 2008 em 22:45
    Permalink

    Olá Adriana, foi bom te rever no evento do Bird…sinto não ter podido ficar mais tempo,
    mas valeu e apareça mais no nosso espaço…

    Resposta
  • 21 de novembro de 2008 em 14:09
    Permalink

    Adriana, você não tem idéia do quanto eu era fã deste carro e me lembro que haviam vários mavericks mercantil finasa, um do grupo 1 FIA que foi pilotado pelo Paulo Gomes e que corria nos Mil km de brasília e outros 2, se não me engano, um deles era pilotado pelo Raif Gibran, aqui de brasília, mas de 4 cilindros, se não estou enganado.
    Agora, o Maverick branquinho da Hollywwod tinha motorzão canhão preparado pelo Berta,mas aquele aerofólio não me agradava muito.
    Jovino

    Resposta
  • 21 de novembro de 2008 em 14:09
    Permalink

    Adriana, você não tem idéia do quanto eu era fã deste carro e me lembro que haviam vários mavericks mercantil finasa, um do grupo 1 FIA que foi pilotado pelo Paulo Gomes e que corria nos Mil km de brasília e outros 2, se não me engano, um deles era pilotado pelo Raif Gibran, aqui de brasília, mas de 4 cilindros, se não estou enganado.
    Agora, o Maverick branquinho da Hollywwod tinha motorzão canhão preparado pelo Berta,mas aquele aerofólio não me agradava muito.
    Jovino

    Resposta
  • 21 de novembro de 2008 em 16:08
    Permalink

    Jovino,
    O Mavecão do Camillo também andava uma barbaridade mas só nas retas. Não tinha a elaboração de suspensão do Mecantil-Finasa nem do branco-e-vermelho da Hollywood.
    Para você ter uma idéia, o regulamento da Divisão 3 impedia que o conceito da suspensão fosse alterado, mas outros sistemas poderiam ser adicionados. Por isso, tanto o carro do Greco quanto o da Hollywood tinham 2 amortecedores e molas em cada balança dianteira. E mais, lendo o regulamento com olhos de advogado, Berta substituiu as lâminas dos feixes de molas traseiros do Maverick por um ÚNICA lâmina de acrílico de cada lado e adicionou um sistema de molas helicoidais, semelhante às utilizadas nos Opalas.

    Resposta
  • 21 de novembro de 2008 em 16:08
    Permalink

    Jovino,
    O Mavecão do Camillo também andava uma barbaridade mas só nas retas. Não tinha a elaboração de suspensão do Mecantil-Finasa nem do branco-e-vermelho da Hollywood.
    Para você ter uma idéia, o regulamento da Divisão 3 impedia que o conceito da suspensão fosse alterado, mas outros sistemas poderiam ser adicionados. Por isso, tanto o carro do Greco quanto o da Hollywood tinham 2 amortecedores e molas em cada balança dianteira. E mais, lendo o regulamento com olhos de advogado, Berta substituiu as lâminas dos feixes de molas traseiros do Maverick por um ÚNICA lâmina de acrílico de cada lado e adicionou um sistema de molas helicoidais, semelhante às utilizadas nos Opalas.

    Resposta
  • 22 de novembro de 2008 em 01:59
    Permalink

    Dos Mavecos D3 a turma já falou tudo, só me resta parabenizar Maurício Morais que, como sempre, arrasou nas ilustras.
    Parabéns, Maurício!

    Resposta
  • 22 de novembro de 2008 em 01:59
    Permalink

    Dos Mavecos D3 a turma já falou tudo, só me resta parabenizar Maurício Morais que, como sempre, arrasou nas ilustras.
    Parabéns, Maurício!

    Resposta
  • 22 de novembro de 2008 em 11:10
    Permalink

    A comparação do Maverick Berta Hollywood em relação aos da equipe Mercantil Finasa, não pode ser simplória, e principalmente há que se ter presente alguns aspectos. O carro do Berta foi absolutamente pioneiro e trouxe os conhecimentos que permitiram fazer todos os demais Maverick D3 que se destacaram no Brasil. Quando surgiu em 1974 estraçalhou com a concorrência. O da equipe Hollywood praticamente só correu em 1974/75 enquanto que os do Greco começaram mais em 1975 e continuaram sem enfrentar esse adversário. Nenhum Maverick teve suspensões e estrutura similares e tão complexas como as do Berta; que teve muitos problemas com pneus, quebras e protestos por regulamentos técnicos. As corretas observações do Vicente tiveram também a ver com a tentativa de esmiuçar e entender o funcionamento da suspensão traseira do carro do Berta que também apresentavam dispositivos inéditos. Os do Greco ficavam mais bonitos sem asa? OK é que tinham sido proibidas. Todos esses bólidos marcaram momentos mas os enfrentamentos raramente aconteceram em condições de igualdade e na verdade em pouquíssimas ocasiões.

    Resposta
  • 22 de novembro de 2008 em 11:10
    Permalink

    A comparação do Maverick Berta Hollywood em relação aos da equipe Mercantil Finasa, não pode ser simplória, e principalmente há que se ter presente alguns aspectos. O carro do Berta foi absolutamente pioneiro e trouxe os conhecimentos que permitiram fazer todos os demais Maverick D3 que se destacaram no Brasil. Quando surgiu em 1974 estraçalhou com a concorrência. O da equipe Hollywood praticamente só correu em 1974/75 enquanto que os do Greco começaram mais em 1975 e continuaram sem enfrentar esse adversário. Nenhum Maverick teve suspensões e estrutura similares e tão complexas como as do Berta; que teve muitos problemas com pneus, quebras e protestos por regulamentos técnicos. As corretas observações do Vicente tiveram também a ver com a tentativa de esmiuçar e entender o funcionamento da suspensão traseira do carro do Berta que também apresentavam dispositivos inéditos. Os do Greco ficavam mais bonitos sem asa? OK é que tinham sido proibidas. Todos esses bólidos marcaram momentos mas os enfrentamentos raramente aconteceram em condições de igualdade e na verdade em pouquíssimas ocasiões.

    Resposta

Deixe uma resposta para Sidney Cardoso Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.