ENDURANCE BRASIL – ´É HISTÓRICO, MERCEDES AMG GT3 VENCE DE NOVO EM INTERLAGOS NA GERAL NAS QUATRO HORAS DE INTERLAGOS

Dupla da Mercedes Cacá Bueno e Ricardo Baptista, volta a ser o único GT a superar os protótipos na categoria que reúne os carros mais rápidos do Brasil

O autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP), recebeu no fim de semana passado, no sábado dia 21/05, a segunda etapa do Império Endurance Brasil em 2022. Será a primeira prova após a inédita vitória de um protótipo estrangeiro na categoria, o Ligier JPS 320 de Guilherme Bottura e Gaetano Di Mauro, na etapa de abertura realizada em Goiânia (GO). Com isso, a prova na capital paulista prometia uma briga ainda maior da máquina francesa com os demais protótipos estrangeiros e nacionais, bem como disputas intensas nas classes de gran turismo.

“Estamos bem ansiosos. Será a segunda corrida da nossa equipe, a BTZ. Logo na primeira etapa, em Goiânia, tivemos uma vitória inesperada, mas não paramos de trabalhar desde então, pois queremos manter esse bom momento”, destacou Bottura, que ao lado do engenheiro Sérgio Troy fundou o time que cuida do Ligier. “Todo mundo é super competitivo em Interlagos e acho que o trabalho será mais difícil, mas estamos confiantes e vamos tentar manter a liderança do campeonato”, frisou.

Pela GT3, o campeonato começou dominado pela Mercedes, com liderança de Xandinho Negrão e Marcos Gomes, seguidos do trio Max Wilson e Marco e Maurizio Billi. Mas a concorrência foi forte pela hegemonia da categoria.

“Em 2021, a gente ganhou na geral em Interlagos. Nosso carro andou muito bem lá e tomara que a gente ande bem de novo e se recupere da última etapa, que não foi tão boa. É hora de recuperar”, destacou Cacá Bueno, que compete ao lado de Ricardo Baptista e abandonou a prova na abertura do campeonato.

Para a prova de Interlagos, o grid do Endurance teve novidades, como a estreia do protótipo MC Tubarão XI, na classe P1, além dos retornos da Lamborghini Gallardo da equipe Sul Racing, do protótipo ABS 01 da Absoluta Racing e de dois modelos MRX da LT Team.

“Nosso grid recebe reforços etapa após etapa, dentro do espírito proposto pela categoria e a Associação de Pilotos de Endurance (APE), em sermos uma grande família que sempre promove os ajustes necessários para receber novos integrantes e aprimorar o espetáculo”, definiu o presidente da APE, Henrique Assunção.


Fim de dia de classificação Foto Bruno Terena


Grid

A corrida

Cacá Bueno e Ricardo Baptista voltaram a fazer história no Império Endurance Brasil. Assim no ano passado, a dupla da equipe RCM colocou a Mercedes AMG GT3 no topo do pódio das Quatro Horas de Interlagos. Cacá e Baptista conquistaram a vitória superando não apenas os rivais da própria categoria, mas também os protótipos da P1 que ficaram pelo caminho na prova válida pela segunda etapa do campeonato. 


“Não foi uma corrida fácil. No final ainda tivemos um desafio enorme que foi a aproximação da Porsche enquanto eu precisava salvar combustível para conseguir terminar a prova. De todas as provas de Endurance que fiz na minha vida, essa foi com certeza uma das mais difíceis”, declarou Cacá Bueno. “Depois de largar da última colocação por conta de uma penalização, jamais imaginava que conseguiríamos repetir o feito do ano passado e vencer tanto na GT3 quanto na Geral”, completou Ricardo Baptista.
Foto Bruno Terena MS2


Pódio de Xandinho Negrão e Marcos Gomes
(Bruno Terena)

A segunda colocação das Quatro Horas de Interlagos ficou com Xandinho Negrão e Marcos Gomes, que também competem na GT3 a bordo de uma Mercedes AMG.

O principal objetivo de Xandinho Negrão e Marcos Gomes foi atingido na segunda etapa do Império Endurance Brasil, disputada neste sábado (21) no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Após a vitória na classe GT3 em Goiânia, a dupla da equipe A. Mattheis chegou ao circuito paulistano de olho em defender a liderança do campeonato. E conseguiu, ao receber a quadriculada na segunda colocação da categoria e da classificação geral da prova de quatro horas de duração.

O resultado veio mesmo com uma penalização e um problema no sistema de alimentação de combustível do Mercedes AMG GT3 #9.

“Uma pena o problema, acabou tirando nossa chance de vitória. Tínhamos ritmo para conseguir, mas deu para salvar um segundo lugar importante para o campeonato”, destacou Gomes. “Foram bons pontos para o campeonato, com todos os problemas que tivemos. Foi uma corrida bem movimentada, acho que o segundo lugar ficou de bom tamanho”, emendou Xandinho. (Bruno Terena)

O problema em questão, que chegou a fazer o carro perder de três a quatro segundos por volta, foi identificado pela equipe ainda na metade da primeira hora de corrida. “Foi uma prova totalmente de administração e sobrevivência. Ainda tomamos um drive thru no meio da prova, por um acidente de corrida, mas ficamos vivos na briga esperando nossa oportunidade. Nas últimas cinco voltas, o problema se intensificou bastante. Mas se em toda prova em que der tudo errado como esta conseguirmos chegar em segundo, vamos estar fortes no campeonato”, destacou o engenheiro Guilherme Gonçalves, o Guiga.


Leo Sanchez e Átila Abreu
[Bruno Terena]

A dupla Léo Sanchez e Átila Abreu, a bordo de uma BMW, ficaram em terceiro. O terceiro lugar geral conquistado em Interlagos também marca o primeiro troféu para o novo BMW M4 GT3 que a dupla trouxe para a categoria em 2022.

Após largarem da 18ª posição, Abreu e Sanchez encararam quatro horas de prova no principal palco do automobilismo nacional. A nova máquina mostrou durabilidade e confiança ao longo da prova inteira, a dupla se beneficiou de problemas mecânicos dos concorrentes da classe P1 e de acidentes ao longo das quatro horas, o que colocou os carros da GT3 em condição de disputar a vitória geral. Cada dia mais adaptado ao carro, Sanchez liderou a prova tanto na classe quanto na geral e entregou o carro para Átila Abreu com chances de disputar a vitória nas duas modalidades. Abreu também mostra cada dia mais intimidade com a nova máquina e os tempos têm melhorado a cada volta na pilotagem do #17.

A dupla vinha na quarta posição geral até conquistar a terceira posição nos instantes finais da prova e subir no terceiro degrau do pódio.

O único protótipo a “invadir” o pódio dominado por carros de Gran Turismo foi o AJR #28 de Salim Carlesso, Gustavo Martins e Rob Perez, que apareceu na quarta colocação na Geral, resultado que valeu a vitória na P1.


“Estou muito feliz em alcançar esta vitória. O trabalho da equipe JLM Racing na preparação deste carro está sendo fantástico. Todos os pilotos conseguiram realizar stints muito bons e foi essa somatória de esforços que nos trouxe ao alto do pódio”, definiu Rob Perez após receber o troféu em Interlagos. Foto Bruno Terena MS2


Bandeirada para o 718 Cayman GT4 Clubsport vencedor
(Ricardo Saibro/Rodrigo Guimarães)
Festa dos pilotos da Stuttgart Motorsport no pódio da GT4
(Ricardo Saibro/Rodrigo Guimarães)

Na categoria GT4, vitória da Porsche 718 que ingressou no Império Endurance Brasil este ano e guiada por Marcel Visconde, Luiz Landi e Bruno Xavier.

A alegria da Stuttgart Motorsport nas 4 Horas de Interlagos poderia ter sido ainda maior, pois um grande resultado esteve ao alcance do Porsche 911 GT3 R de Marcel Visconde/Ricardo Mauricio/Marçal Müller. Mauricio assumiu o primeiro lugar da GT3 e o segundo na geral na primeira hora de corrida, cabendo a Visconde a pilotagem no segundo turno. Marçal Müller pilotou na terceira hora e, ao longo de seu stint, subiu do quinto para o segundo lugar. Durante três voltas, antes da abertura para a janela de pit stops, Müller precisou controlar um furo no pneu traseiro esquerdo, que perdeu pressão rapidamente, até poder entrar no box para fazer a parada e “devolver” o 911 GT3 R para Mauricio.


Porsche 911 GT3 R: Marcel Visconde/Ricardo Mauricio/Marçal Müller
(Ricardo Saibro/Rodrigo Guimarães)

Faltando meia hora para a bandeirada, o Porsche 911 GT3 R ocupava o segundo lugar na classificação geral, atrás do Mercedes AMG GT3 pilotado por Cacá Bueno. Mauricio descontou uma diferença superior a 8 segundos e abriu a penúltima volta a menos de meio segundo do líder. Tudo indicava que as duas voltas finais veriam uma batalha titânica pela vitória, mas um furo no pneu traseiro esquerdo obrigou Mauricio a encostar na beira da pista para evitar danos maiores ao Porsche. Mesmo sem completar as duas voltas finais, o 911 GT3 R foi classificado em sexto lugar em sua classe e em oitavo na geral.

Na P2, Rodrigo Lemke e Julio Martini levaram e melhor e na P2 Light Ricardo Haag e Gustavo Marcondes foram os grandes vencedores da prova válida pela segunda etapa do campeonato. 


Pódio geral Foto Bruno Terena MS2
Classificação geral

Classificação por categorias

O Endurance volta às pistas para a terceira etapa do campeonato no próximo dia 18 de junho. O palco será o autódromo Zilmar Beux, em Cascavel, no oeste do Paraná.


Copyright © 2022 Conexão Saloma. Todos os Direitos reservados

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.