CIRCUITO IMPERIAL…TERESÓPOLIS, 2008

Anísio Campos, manda email com um rápido relato do que foi sua participação no rally de carros antigos nas serras de Petrópolis e Teresópolis.

“Gente bonita, automóveis ocupando espaços, paisagens de sobra, hospedagens á vontade, transporte de autos atualíssimo e seguro, reuniões receptivas, e a vez da natureza previlegiada. Diante dos olhos, a Serra dos Orgãos e seus landscape, o Golf Club verdejante, o sol raiando, a musica ao vivo noturna, cocktails, jantares e almoços, instalações publicitárias, nichos e recantos de atendimento, funcionarios atenciosos, destacados pelas roupagens, organização positiva, presença de jornalistas e fotógrafos profissionais, revistas, serviços desejados de comes e bebes, cafezinho, secretaria atenciosa à participantes, iluminações coloridas, plasmas mandando ver imagens no conteúdo dinâmico, como se faltasse alguma coisa, se quer esquecida. A nota? Bastante alta!
Abs a todos…
Anísio Campos”

(reprodução/fotos anapana)

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

86 comentários em “CIRCUITO IMPERIAL…TERESÓPOLIS, 2008

  • 16 de setembro de 2008 em 20:34
    Permalink

    No último carro da fila, um Ford 28 parece, a meia calva inconfundível do nosso brother Caíque Pereira, tirando uma de navegador…

    Resposta
  • 16 de setembro de 2008 em 20:34
    Permalink

    No último carro da fila, um Ford 28 parece, a meia calva inconfundível do nosso brother Caíque Pereira, tirando uma de navegador…

    Resposta
  • 16 de setembro de 2008 em 22:36
    Permalink

    E o MG branco imediatamente à frente do Fordinho, pode ser de outro comparsa não menos famoso: Sr. Vicente Miranda.
    A conferir.

    Resposta
  • 16 de setembro de 2008 em 22:36
    Permalink

    E o MG branco imediatamente à frente do Fordinho, pode ser de outro comparsa não menos famoso: Sr. Vicente Miranda.
    A conferir.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 08:50
    Permalink

    Saloma:
    Repassei pra você um porrilhão de fotos, que tio Mahar enviou.

    Romeu:
    Tenho a impressão que o Vicente foi de 914. O MG dele tem placa preta…

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 08:50
    Permalink

    Saloma:
    Repassei pra você um porrilhão de fotos, que tio Mahar enviou.

    Romeu:
    Tenho a impressão que o Vicente foi de 914. O MG dele tem placa preta…

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 09:21
    Permalink

    Romeu,
    Eu estava pré-inscrito no rally com meu MGB Roadster 1967. Esse 1971 (algumas diferenças para os pré 1968) que aparece na foto é do Gilbert. Decidi não participar porque meu MG apresentou problemas de carburação (já solucionados) e, como não gostaria de participar da prova com o Porsche 914, devido à média relativamente baixa, preferi inscrever o Porsche na exposição comemorativa dos 40 anos do Veteran Car Club do Brasil – RJ, evento simultâneo ao rally.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 09:21
    Permalink

    Romeu,
    Eu estava pré-inscrito no rally com meu MGB Roadster 1967. Esse 1971 (algumas diferenças para os pré 1968) que aparece na foto é do Gilbert. Decidi não participar porque meu MG apresentou problemas de carburação (já solucionados) e, como não gostaria de participar da prova com o Porsche 914, devido à média relativamente baixa, preferi inscrever o Porsche na exposição comemorativa dos 40 anos do Veteran Car Club do Brasil – RJ, evento simultâneo ao rally.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 09:52
    Permalink

    Caro Romeu ,
    Tb observei . Mas acho que o não menos charmoso MG Branco da foto não é o do Vicente . Não distingui com clareza as placas pretas , mas notei que o retrovisor externo é diferente do impecável exemplar do amigo e comparsa , mas posso estar enganado . Bom dia a todos .

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 09:52
    Permalink

    Caro Romeu ,
    Tb observei . Mas acho que o não menos charmoso MG Branco da foto não é o do Vicente . Não distingui com clareza as placas pretas , mas notei que o retrovisor externo é diferente do impecável exemplar do amigo e comparsa , mas posso estar enganado . Bom dia a todos .

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 11:57
    Permalink

    Assino em baixo. Estive lá e foi muito divertido.
    O meu carro é o laranja na frente da fila.
    O Caíque fez dupla com Alexandre Murad, navegando o Fordinho. Receberam até uma homenagem especial por participarem com o carro mais antigo.
    Aliás o Caíque deve estar descascando a pele até hoje de tanto sol que tomou sem protetor.
    O MG é branco é do Gilbert.
    Se quiserem ver mais fotos tenho no meu blog.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 11:57
    Permalink

    Assino em baixo. Estive lá e foi muito divertido.
    O meu carro é o laranja na frente da fila.
    O Caíque fez dupla com Alexandre Murad, navegando o Fordinho. Receberam até uma homenagem especial por participarem com o carro mais antigo.
    Aliás o Caíque deve estar descascando a pele até hoje de tanto sol que tomou sem protetor.
    O MG é branco é do Gilbert.
    Se quiserem ver mais fotos tenho no meu blog.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 13:53
    Permalink

    Gostei muito do blog, cheio de fotos e super antenado com o mundo do esporte, parabéns. Fica aqui uma sugestão para acessarem o novo portal esportivo http://www.newsport.com.br .
    Um Abraço

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 13:53
    Permalink

    Gostei muito do blog, cheio de fotos e super antenado com o mundo do esporte, parabéns. Fica aqui uma sugestão para acessarem o novo portal esportivo http://www.newsport.com.br .
    Um Abraço

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 14:52
    Permalink

    Devo participar do Rally Cidade Maravilhosa, a ser realizado aqui no Rio, com o MG. Pena ser um rally bem curto. Adoraria ir a SP participar do rally do MG Clube a se realizar em Campos do Jordão, mas aí vai uma grana violenta e mais dias de trabalho a serem faltados, por mim e pela minha navegadora.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 14:52
    Permalink

    Devo participar do Rally Cidade Maravilhosa, a ser realizado aqui no Rio, com o MG. Pena ser um rally bem curto. Adoraria ir a SP participar do rally do MG Clube a se realizar em Campos do Jordão, mas aí vai uma grana violenta e mais dias de trabalho a serem faltados, por mim e pela minha navegadora.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 20:22
    Permalink

    Xííí…
    Tô achando que este MGB do Vicente é o “Belo Antônio” ! Seria o famoso Maestro ? (em cada esquina, um conSêrto?)
    Hehehehehhh…
    Vicente, se precisar de um trato nos SU, disponha !
    (cobro honorários em Scotch/hora)

    Mas…que lorota é esta de “média baixa” para o 914 ?
    Quer correr, bota na pista !
    Abraços !

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 20:22
    Permalink

    Xííí…
    Tô achando que este MGB do Vicente é o “Belo Antônio” ! Seria o famoso Maestro ? (em cada esquina, um conSêrto?)
    Hehehehehhh…
    Vicente, se precisar de um trato nos SU, disponha !
    (cobro honorários em Scotch/hora)

    Mas…que lorota é esta de “média baixa” para o 914 ?
    Quer correr, bota na pista !
    Abraços !

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 21:31
    Permalink

    Queria ter ido, mas pensei como o Vicente e desisti, a média era muito baixa e ia sujar as velas. Estou comprando um Gurgel BR 800 Versão Cargo para ir no próximo ano.

    Sem brincadeira, o 914 suporta andar devagar muito melhor que o MGB, este último é um forno nos pés e tem aquele motor de trator agrícola da BMC.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 21:31
    Permalink

    Queria ter ido, mas pensei como o Vicente e desisti, a média era muito baixa e ia sujar as velas. Estou comprando um Gurgel BR 800 Versão Cargo para ir no próximo ano.

    Sem brincadeira, o 914 suporta andar devagar muito melhor que o MGB, este último é um forno nos pés e tem aquele motor de trator agrícola da BMC.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 22:02
    Permalink

    Zullino, Zullino…
    Agora tú arrumou briga !
    Não se atreva a falar mal de MG(s), Austin-Healey(s), Triumph(s) e jostas similares da terra de Sua Majestade, aquí ou em um raio de 1500 km !
    Ou serei obrigado a desafiar seu carrinho de plástico para 3 voltas em Interlagos !
    CALUDA ! O campeão vai tomar binóculo de um olho-de-sapo de 1.000 c.c. !
    E tenho dito !!!!!

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 22:02
    Permalink

    Zullino, Zullino…
    Agora tú arrumou briga !
    Não se atreva a falar mal de MG(s), Austin-Healey(s), Triumph(s) e jostas similares da terra de Sua Majestade, aquí ou em um raio de 1500 km !
    Ou serei obrigado a desafiar seu carrinho de plástico para 3 voltas em Interlagos !
    CALUDA ! O campeão vai tomar binóculo de um olho-de-sapo de 1.000 c.c. !
    E tenho dito !!!!!

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 22:38
    Permalink

    ano proximo vai ter outro malzoni com certeza
    jc
    sete lagoas

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 22:38
    Permalink

    ano proximo vai ter outro malzoni com certeza
    jc
    sete lagoas

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 22:50
    Permalink

    M,
    Deixa de onda. Como diria o Tim Maia, “não vem de escada que o incêndio é no porão” ou “não vem de garfo que hoje é dia de sopa”. Te cuida malandragem!
    Em primeiro lugar, a média era de 50 a 60 km/h, se você não sabe. O MG é muito dócil para andar em baixa velocidade, praticamente dispensando trocas de marchas em baixa rotação e, quando necessário, é bem mais agradável que a malfadada caixa 901 do 914.
    Em segundo lugar, se meu MG tivesse SU, não me assustaria nem um pouco porque já tive carros com SU, a coisa mais simples do mundo. Uso no meu MG um Weber 45 DCOE, cujo batente da marcha lenta descravou e, com a vibração, girava e o entalhe mudava de posição o que fazia a lenta variar de 800 a quase 1500 rpm.
    E quanto ao MG ser Belo Antonio, sinceramente, … me poupe. Estou careca de fazer rallies, viagens interestaduais e provas do tipo Classic Endurance com o MG.
    Continuando, colocar meu 914 na pista!… Que coisa ridícula. Faria um Puma ou outro carro cujo conserto de uma eventual pancada não custasse as partes íntimas de um marajá. Carro para a nossa SuperClassic tem que ser coisa barata, pelo menos para os meus padrões. Mas como nem isso posso fazer, rodo com meus dois carros antigos no dia-a-dia, quando tenho vontade. Carro antigo meu roda, não roda somente aos finais de semana, nem fica não fica escondido em fundo de garagem, nem sendo mostrado em fotografia como “avis-rara”. Pode vir aqui agora e virar na chave.

    Zullino,
    Engano seu. Meu MG é isolado termicamente por baixo da tapeçaria. O carro é muito dócil e gostosíssimo para andar nesse tipo de rally. A única coisa que atrapalha é a pouca altura do escapamento. E quanto ao 914, ele anda bem em baixa velocidade sim, mas em marcha baixa. Para mim, sem sombra de dúvida, o MG é melhor para os rallies em estradas abertas com essas médias baixas. Além do que o banco do MG é muitíssimo mais confortável qe o do 914.
    E para dar respaldo ao que eu disse, repare que o MG do Gilbert foi segundo colocado no rally, perdendo apenas para o Hudson “Carrera Panamericana” dos gaúchos.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 22:50
    Permalink

    M,
    Deixa de onda. Como diria o Tim Maia, “não vem de escada que o incêndio é no porão” ou “não vem de garfo que hoje é dia de sopa”. Te cuida malandragem!
    Em primeiro lugar, a média era de 50 a 60 km/h, se você não sabe. O MG é muito dócil para andar em baixa velocidade, praticamente dispensando trocas de marchas em baixa rotação e, quando necessário, é bem mais agradável que a malfadada caixa 901 do 914.
    Em segundo lugar, se meu MG tivesse SU, não me assustaria nem um pouco porque já tive carros com SU, a coisa mais simples do mundo. Uso no meu MG um Weber 45 DCOE, cujo batente da marcha lenta descravou e, com a vibração, girava e o entalhe mudava de posição o que fazia a lenta variar de 800 a quase 1500 rpm.
    E quanto ao MG ser Belo Antonio, sinceramente, … me poupe. Estou careca de fazer rallies, viagens interestaduais e provas do tipo Classic Endurance com o MG.
    Continuando, colocar meu 914 na pista!… Que coisa ridícula. Faria um Puma ou outro carro cujo conserto de uma eventual pancada não custasse as partes íntimas de um marajá. Carro para a nossa SuperClassic tem que ser coisa barata, pelo menos para os meus padrões. Mas como nem isso posso fazer, rodo com meus dois carros antigos no dia-a-dia, quando tenho vontade. Carro antigo meu roda, não roda somente aos finais de semana, nem fica não fica escondido em fundo de garagem, nem sendo mostrado em fotografia como “avis-rara”. Pode vir aqui agora e virar na chave.

    Zullino,
    Engano seu. Meu MG é isolado termicamente por baixo da tapeçaria. O carro é muito dócil e gostosíssimo para andar nesse tipo de rally. A única coisa que atrapalha é a pouca altura do escapamento. E quanto ao 914, ele anda bem em baixa velocidade sim, mas em marcha baixa. Para mim, sem sombra de dúvida, o MG é melhor para os rallies em estradas abertas com essas médias baixas. Além do que o banco do MG é muitíssimo mais confortável qe o do 914.
    E para dar respaldo ao que eu disse, repare que o MG do Gilbert foi segundo colocado no rally, perdendo apenas para o Hudson “Carrera Panamericana” dos gaúchos.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 23:27
    Permalink

    M e Vicente,
    Amanhã estou comprando o BR 800 Versão Cargo e vou mandar amansar o motor que tenho medo, também é de plástico e ele será suficiente, mas tem que ser cinco voltas.

    1000cc deve ser um sprite, anda bem, mas não aguenta mais que umas três voltas que os fios de pano queimam ou dão pane. Se é que pega sem empurrar com aquele motor de arranque Lucas. Evidentemente, a bomba elétrica deixará de funcionar no final da terceira volta, essas bombas não gostam de trabalhar pesado.

    O carburador Weber foi rejeitado pelo MGB do Vicente, uma pena.

    Falo mal das jostas de sua alteza real, mas é de dor de cotovêlo. Quando estudei na Califórnia em 78, comprei um MGB 1972 com 73 mil milhas, nunca queimou uma lâmpada. Vendi para o premio Nobel de Economia, o professor Willam Sharpe que o tem até hoje, virou um MGB nobre ou Nobel.

    A única coisa que me aconteceu foi perder um escapamento inteiro passando por uma linha de trem voltando da Speed Week de Monterrey/Carmel. Chovia e o escapamento bateu num trilho, saiu inteiro bem na altura que juntam os 4 canos e ficou na estrada. Tive que voltar e catar a bagaça. Nessa hora que foi problema. Onde ia caber a josta de 4 metros num carro que para entrar tem que cortar as unhas? Não dava para abaixar a capota. Minha mulher ria e eu não sabia se dava com o escape na cabeça dela ou se a deixava lá, só não a matei porque não devo ter espírito assassino, mas faltou pouco, eu todo molhado e ferrado e ela rindo. No final, arrumei um arame, entrei debaixo do carro na lama e amarrei a desgraça de qualquer jeito mesmo. O escape nem amassou, foi só levar numa boca de porco que o camarada soldou o cano de topo e nunca mais quebrou. MAs como o Vicente falou, o escape desses carros é baixo e tudo isso que aconteceu foi culpa do carro, se eu estivesse de 914 não teria passado a vergonha.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 23:27
    Permalink

    M e Vicente,
    Amanhã estou comprando o BR 800 Versão Cargo e vou mandar amansar o motor que tenho medo, também é de plástico e ele será suficiente, mas tem que ser cinco voltas.

    1000cc deve ser um sprite, anda bem, mas não aguenta mais que umas três voltas que os fios de pano queimam ou dão pane. Se é que pega sem empurrar com aquele motor de arranque Lucas. Evidentemente, a bomba elétrica deixará de funcionar no final da terceira volta, essas bombas não gostam de trabalhar pesado.

    O carburador Weber foi rejeitado pelo MGB do Vicente, uma pena.

    Falo mal das jostas de sua alteza real, mas é de dor de cotovêlo. Quando estudei na Califórnia em 78, comprei um MGB 1972 com 73 mil milhas, nunca queimou uma lâmpada. Vendi para o premio Nobel de Economia, o professor Willam Sharpe que o tem até hoje, virou um MGB nobre ou Nobel.

    A única coisa que me aconteceu foi perder um escapamento inteiro passando por uma linha de trem voltando da Speed Week de Monterrey/Carmel. Chovia e o escapamento bateu num trilho, saiu inteiro bem na altura que juntam os 4 canos e ficou na estrada. Tive que voltar e catar a bagaça. Nessa hora que foi problema. Onde ia caber a josta de 4 metros num carro que para entrar tem que cortar as unhas? Não dava para abaixar a capota. Minha mulher ria e eu não sabia se dava com o escape na cabeça dela ou se a deixava lá, só não a matei porque não devo ter espírito assassino, mas faltou pouco, eu todo molhado e ferrado e ela rindo. No final, arrumei um arame, entrei debaixo do carro na lama e amarrei a desgraça de qualquer jeito mesmo. O escape nem amassou, foi só levar numa boca de porco que o camarada soldou o cano de topo e nunca mais quebrou. MAs como o Vicente falou, o escape desses carros é baixo e tudo isso que aconteceu foi culpa do carro, se eu estivesse de 914 não teria passado a vergonha.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 23:57
    Permalink

    Zullino,
    O motor BMC que é um trator agrícola é o 3000 cm3 6 cilindros do Austin Healey 3000, que também equipava o MGC. O 4 cilindros 1800 cm3 (5 mancais de 1965 em diante) do MGB é uma delícia. Mais suave que qualquer boxer 4 cilindros.

    Resposta
  • 17 de setembro de 2008 em 23:57
    Permalink

    Zullino,
    O motor BMC que é um trator agrícola é o 3000 cm3 6 cilindros do Austin Healey 3000, que também equipava o MGC. O 4 cilindros 1800 cm3 (5 mancais de 1965 em diante) do MGB é uma delícia. Mais suave que qualquer boxer 4 cilindros.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 05:39
    Permalink

    M:
    Falar mal dos pitéuzinhos do Vicente é pior que xingar as gêmeas. Abra seus olhinhos!!!

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 05:39
    Permalink

    M:
    Falar mal dos pitéuzinhos do Vicente é pior que xingar as gêmeas. Abra seus olhinhos!!!

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 07:17
    Permalink

    M,

    Brincadeiras à parte, o Weber 45 do meu MG perdeu a regulagem de lenta antes do rally mas quem descarburou fui eu. Quem disse:

    Nem Vem Que Não Tem
    Nem vem de garfo
    Que hoje é dia de sopa
    Esquenta o ferro
    Passa a minha roupa
    Eu nesse embalo
    Vou botar prá quebrar
    Sacudim, sacundá
    Sacundim, gundim, gundá!…

    Nem Vem Que Não Tem
    Nem vem de escada
    Que o incêndio é no porão
    Tira o tamanco
    Tem sinteco no chão
    Eu nesse embalo
    Vou botar prá quebrar
    Sacudim, sacundá
    Sacundim, gundim, gundá!…

    Foi Wilson Simonal e não Tim Maia …

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 07:17
    Permalink

    M,

    Brincadeiras à parte, o Weber 45 do meu MG perdeu a regulagem de lenta antes do rally mas quem descarburou fui eu. Quem disse:

    Nem Vem Que Não Tem
    Nem vem de garfo
    Que hoje é dia de sopa
    Esquenta o ferro
    Passa a minha roupa
    Eu nesse embalo
    Vou botar prá quebrar
    Sacudim, sacundá
    Sacundim, gundim, gundá!…

    Nem Vem Que Não Tem
    Nem vem de escada
    Que o incêndio é no porão
    Tira o tamanco
    Tem sinteco no chão
    Eu nesse embalo
    Vou botar prá quebrar
    Sacudim, sacundá
    Sacundim, gundim, gundá!…

    Foi Wilson Simonal e não Tim Maia …

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 08:55
    Permalink

    Zullino,
    Você não entendeu. Meu MGB tem um Wewber 45 DCOE, como os “works cars” de época. E o problema que deu foi uma besteirinha. Eu até poderia participar do rally (pagando mais R$ 750,00 e mais uma diária de Hotel Alpina) mas já havia inscrito o Porsche na exposição, e como meu dinheiro não dá em árvore, preferi curtir o fim de semana simplesmente deixando o carro exposto no gramado. E olhe que o Loic ainda tentou me convencer a participar da segunda etapa como “gentleman driver”, só pelo ´passeio. Como abusei um pouco do Prosecco na recepção, dormi demais e nem na largada apareci.
    Quanto ao arranque Lucas, paciência, ele faz o motor pegar na segunda ou terceira tentativa. E a parte elétrica, se estiver em ordem, não dá problema.
    Um macete para minimizar o problema do escapamento baixo pode ser um pedaço de chapa, como a ponta de um ski para suavizar a transição entre o cano e o silencioso, evitando que o mesmo fique preso em algum obstáculo e arranque tudo. O meu carro e o do Gilbert têm isso. Eu já passei por um problema parecido chegando em Águas de Lindóia em 2006 e indo para um rally em 2002 ou 2003 (com um navegador pesado) em que o escapamento abriu logo após o coletor de descarga. Improvisei na hora com um parafuso achado e arame. Recentemente levantei o sistema um pouco o sistema inteiro, instalei um silencioso mais achatado e o problema, se não foi eliminado, pelo menos foi minimizado.
    Em tempo, pelo que soube, o Frog Eye do M é um rojão, …. take care!

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 08:55
    Permalink

    Zullino,
    Você não entendeu. Meu MGB tem um Wewber 45 DCOE, como os “works cars” de época. E o problema que deu foi uma besteirinha. Eu até poderia participar do rally (pagando mais R$ 750,00 e mais uma diária de Hotel Alpina) mas já havia inscrito o Porsche na exposição, e como meu dinheiro não dá em árvore, preferi curtir o fim de semana simplesmente deixando o carro exposto no gramado. E olhe que o Loic ainda tentou me convencer a participar da segunda etapa como “gentleman driver”, só pelo ´passeio. Como abusei um pouco do Prosecco na recepção, dormi demais e nem na largada apareci.
    Quanto ao arranque Lucas, paciência, ele faz o motor pegar na segunda ou terceira tentativa. E a parte elétrica, se estiver em ordem, não dá problema.
    Um macete para minimizar o problema do escapamento baixo pode ser um pedaço de chapa, como a ponta de um ski para suavizar a transição entre o cano e o silencioso, evitando que o mesmo fique preso em algum obstáculo e arranque tudo. O meu carro e o do Gilbert têm isso. Eu já passei por um problema parecido chegando em Águas de Lindóia em 2006 e indo para um rally em 2002 ou 2003 (com um navegador pesado) em que o escapamento abriu logo após o coletor de descarga. Improvisei na hora com um parafuso achado e arame. Recentemente levantei o sistema um pouco o sistema inteiro, instalei um silencioso mais achatado e o problema, se não foi eliminado, pelo menos foi minimizado.
    Em tempo, pelo que soube, o Frog Eye do M é um rojão, …. take care!

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 09:58
    Permalink

    Vicente,
    Sei lá, não gosto das jostas de sua majestade, pelo menos aqui. Tem muito buraco e os carros ingleses tem curso de suspensão muito pequeno e fico com medo de cair uma roda. Sem dúvida, o sucesso da linha VW/Porsche nos anos 50 e 60 foi graças à robustez geral. Os fuscões como os 356 nunca eram vistos quebrados.
    Não acho o motor BMC 1800 muito suave, mas se você o diz temos que acreditar.
    Pior é um motor 4 cilindros grande que equipava os primeiros Austin Healey 100, aqui nunca vi, só tem Austin Healey 6 cilndros, mas os primeiros eram 4 com esse motor da Standard Vanguard. Tinha mais de 2 litros e o carro vibrava todo mesmo em giro alto.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 09:58
    Permalink

    Vicente,
    Sei lá, não gosto das jostas de sua majestade, pelo menos aqui. Tem muito buraco e os carros ingleses tem curso de suspensão muito pequeno e fico com medo de cair uma roda. Sem dúvida, o sucesso da linha VW/Porsche nos anos 50 e 60 foi graças à robustez geral. Os fuscões como os 356 nunca eram vistos quebrados.
    Não acho o motor BMC 1800 muito suave, mas se você o diz temos que acreditar.
    Pior é um motor 4 cilindros grande que equipava os primeiros Austin Healey 100, aqui nunca vi, só tem Austin Healey 6 cilndros, mas os primeiros eram 4 com esse motor da Standard Vanguard. Tinha mais de 2 litros e o carro vibrava todo mesmo em giro alto.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 11:41
    Permalink

    Zullino,
    Eu adoro os carros de Sua Majestade, a despeito da suspensão com curso reduzido. O charme deles compensa. E fique tranquilo, roda nenhuma cai. E carro esporte não é SUV.
    Quanto aos motores 4 cilindros que equipavam os Austin Healey 4 cilindros eram mesmo barra pesada. Dou razão a você nesse ponto. Os Triumph TR2, TR3 e TR4 usavam motores Standard Vanguard 4 cilindros 2200 cm3 reduzidos para 2 litros e sei que são carros ásperos.
    E quanto aos alemães, como você sabe, tenho um. Agora pergunto: existe coisa pior que aquela maldita suspensão traseira que Ferdinand Porsche criou, o terrível sistema swing axle, que equipou os Fuscas, os 356 e até mesmo algumas Mercedes, dentre outros? Ainda bem que meu 914 possui sistema de 4 homocinéticas na traseira (IRS). Medo tenho eu de entrar numa curva forte com um VW que não tenha a suspensão traseira preparada, caso contrário aparece o fantasma da cambagem positiva e aí a coisa pode ficar mais feia que mudança de pobre. Veja as fotos de um VW azul que recentemente participou de um evento em Interlagos.
    E antes que você fale mal dos ingleses, falo eu. Lá na ilha também fizeram suspensões traseiras ruins, como o sistema dos Jaguares Mk I e Mk II que consistia de eixo rígido com molas (na verdade meia mola de cada lado) semi-elípticas em cantilever sem barra Panhard. Mike Hawthorn morreu num pega de rua a bordo de um Mk I. Para competições, o preparador John Coombs fazia um kit que resolvia o problema e os Jaguares Mk I e Mk II barbarizavam nas provas de turismo na Inglaterra nos anos 50 / 60.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 11:41
    Permalink

    Zullino,
    Eu adoro os carros de Sua Majestade, a despeito da suspensão com curso reduzido. O charme deles compensa. E fique tranquilo, roda nenhuma cai. E carro esporte não é SUV.
    Quanto aos motores 4 cilindros que equipavam os Austin Healey 4 cilindros eram mesmo barra pesada. Dou razão a você nesse ponto. Os Triumph TR2, TR3 e TR4 usavam motores Standard Vanguard 4 cilindros 2200 cm3 reduzidos para 2 litros e sei que são carros ásperos.
    E quanto aos alemães, como você sabe, tenho um. Agora pergunto: existe coisa pior que aquela maldita suspensão traseira que Ferdinand Porsche criou, o terrível sistema swing axle, que equipou os Fuscas, os 356 e até mesmo algumas Mercedes, dentre outros? Ainda bem que meu 914 possui sistema de 4 homocinéticas na traseira (IRS). Medo tenho eu de entrar numa curva forte com um VW que não tenha a suspensão traseira preparada, caso contrário aparece o fantasma da cambagem positiva e aí a coisa pode ficar mais feia que mudança de pobre. Veja as fotos de um VW azul que recentemente participou de um evento em Interlagos.
    E antes que você fale mal dos ingleses, falo eu. Lá na ilha também fizeram suspensões traseiras ruins, como o sistema dos Jaguares Mk I e Mk II que consistia de eixo rígido com molas (na verdade meia mola de cada lado) semi-elípticas em cantilever sem barra Panhard. Mike Hawthorn morreu num pega de rua a bordo de um Mk I. Para competições, o preparador John Coombs fazia um kit que resolvia o problema e os Jaguares Mk I e Mk II barbarizavam nas provas de turismo na Inglaterra nos anos 50 / 60.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 14:40
    Permalink

    Pois é, o Mike Hawthorn morreu com um Jaguar tirando racha contra uma Mercedes Asa de Gaivota com Swing Axle by Ferdinand. Ironia do destino.

    Você tem razão, muitos creditam que Porsche fez as maiores e melhores contribuições, mas ao mesmo tempo conseguiu fazer a pior que é o swing axle. Para piorar as coisas como é uma solução fácil de fabricar acabou pegando.

    Na realidade o swing axle dá problema mesmo quando se deixa a cambagem negativa, pois as barras não estão tensionadas e para fechar as rodas é dois palitos. A maioria dos motoristas não lembra de acelerar para a traseira do carro sentar no chão. Não tem maneira, porsche, vw, mercedes velha só tem um jeito de guiar, slow in, fast out, esses carros simplesmente não fazem as curvas redondinho, mas fazem. No meu 550 resolvi o problema colocando uma espécie de parafuso tensionador da barra e limitador de cambagem. Monta-se o carro com cambagem positiva e vai se apertando o parafuso até que fique com cambagem zero ou levemente negativa. Vira um kart, mas fica duro para cacete.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 14:40
    Permalink

    Pois é, o Mike Hawthorn morreu com um Jaguar tirando racha contra uma Mercedes Asa de Gaivota com Swing Axle by Ferdinand. Ironia do destino.

    Você tem razão, muitos creditam que Porsche fez as maiores e melhores contribuições, mas ao mesmo tempo conseguiu fazer a pior que é o swing axle. Para piorar as coisas como é uma solução fácil de fabricar acabou pegando.

    Na realidade o swing axle dá problema mesmo quando se deixa a cambagem negativa, pois as barras não estão tensionadas e para fechar as rodas é dois palitos. A maioria dos motoristas não lembra de acelerar para a traseira do carro sentar no chão. Não tem maneira, porsche, vw, mercedes velha só tem um jeito de guiar, slow in, fast out, esses carros simplesmente não fazem as curvas redondinho, mas fazem. No meu 550 resolvi o problema colocando uma espécie de parafuso tensionador da barra e limitador de cambagem. Monta-se o carro com cambagem positiva e vai se apertando o parafuso até que fique com cambagem zero ou levemente negativa. Vira um kart, mas fica duro para cacete.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 15:47
    Permalink

    Zullino,
    Pense que o Hawthorn morreu rachando com uma MB Gullwing, que é um carro esportivo, e o MK I que ele dirigia, um belo saloon de 4 portas.
    A receita de endurecer a suspensão e limitar a cambagem, você bem o sabe, é antiga, desde os tempos da D3, transformando o carro num kart. Mais um pouco, seria melhor eliminar as molas (ou barras de torção) e amortecedores e deixar o carro trabalhar somente sobre a flexibilidade dos pneus.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 15:47
    Permalink

    Zullino,
    Pense que o Hawthorn morreu rachando com uma MB Gullwing, que é um carro esportivo, e o MK I que ele dirigia, um belo saloon de 4 portas.
    A receita de endurecer a suspensão e limitar a cambagem, você bem o sabe, é antiga, desde os tempos da D3, transformando o carro num kart. Mais um pouco, seria melhor eliminar as molas (ou barras de torção) e amortecedores e deixar o carro trabalhar somente sobre a flexibilidade dos pneus.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 19:13
    Permalink

    Mas a Gullwing tinha o swing axle e pelos testemunhos era um carro apavorante. Não lembro que a guiava, talvez o Rob Walker. O outro era um campeão mundial e o Jaguar dele tinha um monte de modificações, inclusive a que o matou, ele tinha instalado um acelerador de mão. O camarada da Gullwing testemunhou que o Jaguar passou acelerado.

    Resposta
  • 18 de setembro de 2008 em 19:13
    Permalink

    Mas a Gullwing tinha o swing axle e pelos testemunhos era um carro apavorante. Não lembro que a guiava, talvez o Rob Walker. O outro era um campeão mundial e o Jaguar dele tinha um monte de modificações, inclusive a que o matou, ele tinha instalado um acelerador de mão. O camarada da Gullwing testemunhou que o Jaguar passou acelerado.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 00:52
    Permalink

    É só eu passar um dia sem aparecer aqui, que o negócio vira bagunça ! Hahahahahhh…
    Como dizia o Jack, vamos por partes:
    1.- Cutucar o Vicente é festa ! Falar mal do 914 é briga certa ! E se for do MG então, nem se fala !
    Mas eu também já perdí o escapamento inteiro de um MGB GT, no descuido, saindo do meu prédio.
    E foi um ótimo negócio ! Explicando: Tinha feito um rojão no motor da josta. Tinha todos os brinquedos, um puta cabeçote com 2 Weber 45, mas a porra não pegava no breu. Quando arranquei o escape, virou um bicho !
    2.- Motor BMC 1.000 c.c. – Foi bastante usado nos F Junior e F3. Há 40 anos, os malucos tiravam 135 HP da josta, girando a 9.000 rpm. E o troço não quebra !
    3.- O motor-de-caminhão é o do A-H 2600 e dos primeiros 3000. Mas com o cabeçote de 6 bocas e 3 SU de 2″, a josta até que engana. Vitaminado com 3 Weber DCOE, assusta muita gente ! Mas o difícil mesmo é manter a barata no chão.
    4.- A-H 100/4 – Conheço 3 no braZil.
    5.- Motor de Arranque Lucas – Zullino, pare de falar mal do coitado. O meu NUNCA encheu o saco. O dinossauro tá lá quietinho na prateleira…
    Porque nos BMC, uso os mini desmultiplicados do nosso amigo Martin Ferrillo. Perfeitos !
    6.- Bomba elétrica SU – Tenho umas 18 ou 20. NENHUMA enche o saco. Estão todas na prateleira, ao lado dos motores de arranque Lucas.
    Nos carros, uso as rotativas desde 1812…
    7.- Suspensão swing axle da MB – um lixo !
    8.- BR 800 Versão Cargo – Zullino, se vc comprar uma

    merda 

    desta, vai ser multado pelo IBAMA, preso e extraditado para as Falklands !

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 00:52
    Permalink

    É só eu passar um dia sem aparecer aqui, que o negócio vira bagunça ! Hahahahahhh…
    Como dizia o Jack, vamos por partes:
    1.- Cutucar o Vicente é festa ! Falar mal do 914 é briga certa ! E se for do MG então, nem se fala !
    Mas eu também já perdí o escapamento inteiro de um MGB GT, no descuido, saindo do meu prédio.
    E foi um ótimo negócio ! Explicando: Tinha feito um rojão no motor da josta. Tinha todos os brinquedos, um puta cabeçote com 2 Weber 45, mas a porra não pegava no breu. Quando arranquei o escape, virou um bicho !
    2.- Motor BMC 1.000 c.c. – Foi bastante usado nos F Junior e F3. Há 40 anos, os malucos tiravam 135 HP da josta, girando a 9.000 rpm. E o troço não quebra !
    3.- O motor-de-caminhão é o do A-H 2600 e dos primeiros 3000. Mas com o cabeçote de 6 bocas e 3 SU de 2″, a josta até que engana. Vitaminado com 3 Weber DCOE, assusta muita gente ! Mas o difícil mesmo é manter a barata no chão.
    4.- A-H 100/4 – Conheço 3 no braZil.
    5.- Motor de Arranque Lucas – Zullino, pare de falar mal do coitado. O meu NUNCA encheu o saco. O dinossauro tá lá quietinho na prateleira…
    Porque nos BMC, uso os mini desmultiplicados do nosso amigo Martin Ferrillo. Perfeitos !
    6.- Bomba elétrica SU – Tenho umas 18 ou 20. NENHUMA enche o saco. Estão todas na prateleira, ao lado dos motores de arranque Lucas.
    Nos carros, uso as rotativas desde 1812…
    7.- Suspensão swing axle da MB – um lixo !
    8.- BR 800 Versão Cargo – Zullino, se vc comprar uma

    merda 

    desta, vai ser multado pelo IBAMA, preso e extraditado para as Falklands !

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 10:15
    Permalink

    Acho o BR 800 um ícone, de como não se fazer um carro. Escolheram a pior maneira de fabricar, motor dianteiro e tração traseira. Não sou fã de tração dianteira, mas para a fábrica é muito mais fácil e barato juntar motor, câmbio e diferencial num lugar só. É meu sonho de consumo, hahahahah.

    Esse motor 1000 BMC era usado antes do Cosworth baseado no Ford 105E. O Graham Hill era diretor da empresa que preparava os BMC e era piloto da Lotus na época. O Mike Costin dizia que o Hill tentou vetar o uso dos Cosworth pela equipe, mas não conseguiu e os BMC foram abandonados. Já vi um MG Midget Azul, acho que do Baby Maia Rosa, fazer barbaridades em Interlagos e empurrar muito carro. Isso faz tempo, era quando organizavam uma espécie de corridas com os carros antigos. Hoje só tem uma espécie de rallye ou antigos preparados para corrida mesmo. Bons tempos.

    Os equipemantos Lucas ficam muito bem na prateleira, além de enfeitarem, não dão problema algum lá.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 10:15
    Permalink

    Acho o BR 800 um ícone, de como não se fazer um carro. Escolheram a pior maneira de fabricar, motor dianteiro e tração traseira. Não sou fã de tração dianteira, mas para a fábrica é muito mais fácil e barato juntar motor, câmbio e diferencial num lugar só. É meu sonho de consumo, hahahahah.

    Esse motor 1000 BMC era usado antes do Cosworth baseado no Ford 105E. O Graham Hill era diretor da empresa que preparava os BMC e era piloto da Lotus na época. O Mike Costin dizia que o Hill tentou vetar o uso dos Cosworth pela equipe, mas não conseguiu e os BMC foram abandonados. Já vi um MG Midget Azul, acho que do Baby Maia Rosa, fazer barbaridades em Interlagos e empurrar muito carro. Isso faz tempo, era quando organizavam uma espécie de corridas com os carros antigos. Hoje só tem uma espécie de rallye ou antigos preparados para corrida mesmo. Bons tempos.

    Os equipemantos Lucas ficam muito bem na prateleira, além de enfeitarem, não dão problema algum lá.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 11:14
    Permalink

    Zullino,
    Nunca tive problemas com bomba elétrica SU. Agora eles lançaram uma eletrônica, solid state, com visual idêntico à antiga e até o tic-tac eles mantiveram para manter o charme. E quanto aos motores de arranque Lucas, também não tenho do que reclamar, mesmo quando o carro fica parado por muito tempo. E como Mister M falou, existem agora uns com maior redução que viram até motor colado.
    Entrando no campo recreativo-esportivo, aguardo detalhes sobre a preparação a ser desenvolvida no seu BR 800 para desenvolver as estonteantes médias de 50 a 60 km/h. Quem sabe Mister M aceita preparar o poderoso engenho e ser seu navegador no próximo rally?

    M,
    Já te falei, te cuida malandragem. Leia (ou cante) os versos de Wilson Simonal. Pode fazer gozação que eu seguro a onda.
    Pare de criar caso com o Zullino quanto à escolha do BR 800 Cargo. Acho que você deve estar morrendo de inveja e cheio de vontade de preparar aquele maravilhoso “flat twin” e/ou passar 8 horas navegando no próximo rally. Oito horas, isso mesmo, imagine trechos de 200 a 300 km em regime de navegação, com paradas para almoço, etc…
    Quanto às bombas elétricas, tenho SU, algumas Facet solid state (uso no meu 914 e gosto muito, apesar do barulho chato) e uma alemã rotativa (esqueço o nome), também de baixa pressão, equipada com válvula reguladora de pressão para maior precisão, e tem um som suave, lindo. Se você quiser, “Salim vender barratinha a alemã rotativa”.
    E quanto aos AH-100/4, você já viu um vermelho raríssimo 100S ou 100M existente no Rio Grande do Sul? Estava em Águas de Lindóia, se não me engano em 2006.
    Finalizando, escapamento baixo não é privilégio dos MGBs. O próprio Gilbert, certa vez saindo da garagem de sua casa, prendeu o silencioso do seu Jag E Type no ferro que serve de batente para o portão e lá se foi tudo para o chão, do coletor para trás.

    Saloma,
    Acho que urge que eu vá a SP para uma pizza com a galera.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 11:14
    Permalink

    Zullino,
    Nunca tive problemas com bomba elétrica SU. Agora eles lançaram uma eletrônica, solid state, com visual idêntico à antiga e até o tic-tac eles mantiveram para manter o charme. E quanto aos motores de arranque Lucas, também não tenho do que reclamar, mesmo quando o carro fica parado por muito tempo. E como Mister M falou, existem agora uns com maior redução que viram até motor colado.
    Entrando no campo recreativo-esportivo, aguardo detalhes sobre a preparação a ser desenvolvida no seu BR 800 para desenvolver as estonteantes médias de 50 a 60 km/h. Quem sabe Mister M aceita preparar o poderoso engenho e ser seu navegador no próximo rally?

    M,
    Já te falei, te cuida malandragem. Leia (ou cante) os versos de Wilson Simonal. Pode fazer gozação que eu seguro a onda.
    Pare de criar caso com o Zullino quanto à escolha do BR 800 Cargo. Acho que você deve estar morrendo de inveja e cheio de vontade de preparar aquele maravilhoso “flat twin” e/ou passar 8 horas navegando no próximo rally. Oito horas, isso mesmo, imagine trechos de 200 a 300 km em regime de navegação, com paradas para almoço, etc…
    Quanto às bombas elétricas, tenho SU, algumas Facet solid state (uso no meu 914 e gosto muito, apesar do barulho chato) e uma alemã rotativa (esqueço o nome), também de baixa pressão, equipada com válvula reguladora de pressão para maior precisão, e tem um som suave, lindo. Se você quiser, “Salim vender barratinha a alemã rotativa”.
    E quanto aos AH-100/4, você já viu um vermelho raríssimo 100S ou 100M existente no Rio Grande do Sul? Estava em Águas de Lindóia, se não me engano em 2006.
    Finalizando, escapamento baixo não é privilégio dos MGBs. O próprio Gilbert, certa vez saindo da garagem de sua casa, prendeu o silencioso do seu Jag E Type no ferro que serve de batente para o portão e lá se foi tudo para o chão, do coletor para trás.

    Saloma,
    Acho que urge que eu vá a SP para uma pizza com a galera.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 11:33
    Permalink

    Um detalhe …. Reparem na foto do Anisio Campos de costas olhando a paisagem.
    Achei esquisitíssima a camisa comemorativa aos dois eventos, Rally Circuito Imperial e Exposição comemorativa aos 40 anos do Veteran Car Club do Brasil – RJ ter DOIS emblemas nas costas! Será uma tendência de moda primavera-verão?

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 11:33
    Permalink

    Um detalhe …. Reparem na foto do Anisio Campos de costas olhando a paisagem.
    Achei esquisitíssima a camisa comemorativa aos dois eventos, Rally Circuito Imperial e Exposição comemorativa aos 40 anos do Veteran Car Club do Brasil – RJ ter DOIS emblemas nas costas! Será uma tendência de moda primavera-verão?

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 12:55
    Permalink

    Vicente…venhaaaaaaaaaaaaaaaa!
    LS

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 12:55
    Permalink

    Vicente…venhaaaaaaaaaaaaaaaa!
    LS

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 15:23
    Permalink

    Zullino,
    O Midget azul(1968)do Baby era da minha garagem.
    Até inglês faz piada com a Lucas. Tenho uma ótima escondida em algum computador. Vou tentar encontrar.
    O BR800 foi a obra suprema de uma grande fraude.
    Cuidado ! Soube que vc já está sendo grampeado pela ABIN, só por manifestar interesse em adquirir um.

    Vicente,
    A “mini-jaca-de-competição” do Zullino, além de todos os equipamentos necessários para navegação noturna (astrolábio, ampulheta, calendário e S.Cristóvão), ainda está equipada com churrasqueira, freezer e micro-ondas ! Infelizmente não estou preparado para operar toda esta tecnologia.
    Estas bombas Facet são ótimas ! Sempre aconselho os amigos a instalarem uma. É melhor o barulho do que ter que resfriar bomba velha.
    O escapamento do E-type até que passa, mas os da Corvette ficam MESMO. A única vantagem é que se pode escolher: direito ou esquerdo ! E aqui nas Alamedas, além dos escapamentos, josta vem enroscando a frente e a traseira nas valetas, em todas as esquinas. Carro mais besta.(está a venda)
    Não sei nada sôbre as tendências para a nova coleção primavera-verão, mas acho que as minhas camisas vão continuar carimbadas… de graxa mesmo !
    Abraços !

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 15:23
    Permalink

    Zullino,
    O Midget azul(1968)do Baby era da minha garagem.
    Até inglês faz piada com a Lucas. Tenho uma ótima escondida em algum computador. Vou tentar encontrar.
    O BR800 foi a obra suprema de uma grande fraude.
    Cuidado ! Soube que vc já está sendo grampeado pela ABIN, só por manifestar interesse em adquirir um.

    Vicente,
    A “mini-jaca-de-competição” do Zullino, além de todos os equipamentos necessários para navegação noturna (astrolábio, ampulheta, calendário e S.Cristóvão), ainda está equipada com churrasqueira, freezer e micro-ondas ! Infelizmente não estou preparado para operar toda esta tecnologia.
    Estas bombas Facet são ótimas ! Sempre aconselho os amigos a instalarem uma. É melhor o barulho do que ter que resfriar bomba velha.
    O escapamento do E-type até que passa, mas os da Corvette ficam MESMO. A única vantagem é que se pode escolher: direito ou esquerdo ! E aqui nas Alamedas, além dos escapamentos, josta vem enroscando a frente e a traseira nas valetas, em todas as esquinas. Carro mais besta.(está a venda)
    Não sei nada sôbre as tendências para a nova coleção primavera-verão, mas acho que as minhas camisas vão continuar carimbadas… de graxa mesmo !
    Abraços !

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 16:15
    Permalink

    Zullino,
    Para você que não abaixa a cabeça para Sua Majestade, aqui vai uma piada sobre parte elétrica Lucas. Eu posso fazer piada porque sou daqueles que, se tiver que falar mal do reino onde o sol nunca se põe, eu o faço sobre um banquinho no Speakers´ Corner no Hyde Park.

    Pergunta:
    Sabe porque inglês toma cerveja quente?
    Resposta:
    Porque a geladeira tem sistema elétrico Lucas.

    Outra que todos sabem, é chamar Joseph Lucas de Prince of Darkness.

    M,
    Adoro as bombas Facet. Compro-as numa loja que vende peças para aviões pequenos (téco-téco) nos EUA por uma micharia.

    Saloma,
    Da mesma forma que um DKW já foi cantado em prosa e verso em outro blog, porque não estimular, digo patrocinar, o Zullino a preparar dois BR800, um para rally e outro, mais brabo, para a SuperClassic?

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 16:15
    Permalink

    Zullino,
    Para você que não abaixa a cabeça para Sua Majestade, aqui vai uma piada sobre parte elétrica Lucas. Eu posso fazer piada porque sou daqueles que, se tiver que falar mal do reino onde o sol nunca se põe, eu o faço sobre um banquinho no Speakers´ Corner no Hyde Park.

    Pergunta:
    Sabe porque inglês toma cerveja quente?
    Resposta:
    Porque a geladeira tem sistema elétrico Lucas.

    Outra que todos sabem, é chamar Joseph Lucas de Prince of Darkness.

    M,
    Adoro as bombas Facet. Compro-as numa loja que vende peças para aviões pequenos (téco-téco) nos EUA por uma micharia.

    Saloma,
    Da mesma forma que um DKW já foi cantado em prosa e verso em outro blog, porque não estimular, digo patrocinar, o Zullino a preparar dois BR800, um para rally e outro, mais brabo, para a SuperClassic?

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 17:20
    Permalink

    Vicente…quer enfartar o brother Zullino!

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 17:20
    Permalink

    Vicente…quer enfartar o brother Zullino!

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 18:07
    Permalink

    Hehehehhh… Gostei !
    Acho que o Zullino deveria mesmo é comprar 3 !
    O terceiro poderia ser ambulância de pequinês lá na Granja…
    (agora o ôme enfarta !)

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 18:07
    Permalink

    Hehehehhh… Gostei !
    Acho que o Zullino deveria mesmo é comprar 3 !
    O terceiro poderia ser ambulância de pequinês lá na Granja…
    (agora o ôme enfarta !)

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 22:57
    Permalink

    Vocês estão com inveja, tenho um vizinho que não deve bater bem da bola e tem um Gurgel Moto Machine com dois escapes de Honda 400 na lateral. Dei uma volta outro dia e é emocionante, principalmente quando o caminhão de trás fica dando luz para a bagaça andar e sair da frente. Como na raposo tavares não tem acostamento é uma emoção só.

    No quesito estabilidade, o carrinho até que se sai bem, faz curvas a 40 por hora sem problemas. Melhor que alguns Dkws e a velocidade máxima deve ser a mesma se não superior. Fora que carro com tração traseira dá para dirigir com o acelerador, desde que acelere evidentemente.

    Acho que essa Moto Machine Gurgel daria um caldo na pista, mas tem que botar um turbo e mais a metade do motor que está faltando, coisa fácil.

    Depois dizem que não temos sorte, a Gurgel quebrar foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

    Usei essa bomba Facet no meu 914 durante anos sem problemas, mas nuca tive muita confiança porque são muito baratas perto das outras. No 550 uso bomba de Golf GTI tamém sem problemas. Vou arrumar uma bomba de Jaguar para ver se fico na rua e ando de guincho.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 22:57
    Permalink

    Vocês estão com inveja, tenho um vizinho que não deve bater bem da bola e tem um Gurgel Moto Machine com dois escapes de Honda 400 na lateral. Dei uma volta outro dia e é emocionante, principalmente quando o caminhão de trás fica dando luz para a bagaça andar e sair da frente. Como na raposo tavares não tem acostamento é uma emoção só.

    No quesito estabilidade, o carrinho até que se sai bem, faz curvas a 40 por hora sem problemas. Melhor que alguns Dkws e a velocidade máxima deve ser a mesma se não superior. Fora que carro com tração traseira dá para dirigir com o acelerador, desde que acelere evidentemente.

    Acho que essa Moto Machine Gurgel daria um caldo na pista, mas tem que botar um turbo e mais a metade do motor que está faltando, coisa fácil.

    Depois dizem que não temos sorte, a Gurgel quebrar foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

    Usei essa bomba Facet no meu 914 durante anos sem problemas, mas nuca tive muita confiança porque são muito baratas perto das outras. No 550 uso bomba de Golf GTI tamém sem problemas. Vou arrumar uma bomba de Jaguar para ver se fico na rua e ando de guincho.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 23:19
    Permalink

    Nem pensar em comprar 3, só queria um para poder falar mal como própriootário, entrar em blogs, entrar em clubes, registros, essas coisas de desocupados, e carregar sogra.
    Que graça tem ter um Carrera novo e entrar no Clube do Porsche? Todo mundo espera que quem tenha um Jaguar, Porsche, Ferrari entre em clubes e teça loas à excelência da bagaça. Quero ver fazer isso com um BR800.
    Ambulância de pequinês é impossível. Aqui na granja o “pogréssio” chegou e a protetora dos animais me fritaria vivo.

    Resposta
  • 19 de setembro de 2008 em 23:19
    Permalink

    Nem pensar em comprar 3, só queria um para poder falar mal como própriootário, entrar em blogs, entrar em clubes, registros, essas coisas de desocupados, e carregar sogra.
    Que graça tem ter um Carrera novo e entrar no Clube do Porsche? Todo mundo espera que quem tenha um Jaguar, Porsche, Ferrari entre em clubes e teça loas à excelência da bagaça. Quero ver fazer isso com um BR800.
    Ambulância de pequinês é impossível. Aqui na granja o “pogréssio” chegou e a protetora dos animais me fritaria vivo.

    Resposta
  • 20 de setembro de 2008 em 17:29
    Permalink

    Vicente,
    Ta vendo ? Foi só vc sugerir ao Saloma para arrumar um “paitrocínio” , que o Zullino já começou a detonar por conta. De BR800 já tá virando para Moto Machine, quer meter turbo e até mais alguns cilindros ! Daqui a pouco, vai querer enfiar até tala-larga. Será que vai bem roda aro 22” com pneu de fita-isolante ?

    Saloma,
    Suspende o “paitrocínio” !

    Zullino,
    A única coisa que presta no BR800 é o conjunto caixa+diferencial, herança do Chevette. Deveriam ter usado toda suspensão, mas aí o desafio tecnológico seria muito para o mago de Rio Claro.
    Gosto de ver quando algum mané-desinformado defende a marca com orgulho bairrista – “foi uma fábrica verdadeiramente nacional”. É mais ou menos como orgulhar-se de ter mal hálito ou furúnculo – “O primeiro furúnculo a gente nunca esquece” !
    Ainda bem que quebrou. O BNDES agradece. Os contribuintes, idem !
    Um conhecido enfiou um VW 2000 em um MotoMachine. Ficou engraçado. Arrancando, a josta tirava a frente do chão. Mas a graça terminava aí.
    BR800 – Nem pequinês merece.
    As bombas Facet são excelentes. Pelo preço, melhor ainda !
    Acho que a bomba do GTI dá muita vazão/pressão para motor carburado.
    Sinto que vc fala do Clube do Porsche com uma certa mágoa. Será que algum gravatinha do clube fez pouco da sua réplica de “prástico” ? Ou será porque vc não foi convidado para almoçar no Helvetia ? Hahahahhhh…

    Abraços !!!

    Resposta
  • 20 de setembro de 2008 em 17:29
    Permalink

    Vicente,
    Ta vendo ? Foi só vc sugerir ao Saloma para arrumar um “paitrocínio” , que o Zullino já começou a detonar por conta. De BR800 já tá virando para Moto Machine, quer meter turbo e até mais alguns cilindros ! Daqui a pouco, vai querer enfiar até tala-larga. Será que vai bem roda aro 22” com pneu de fita-isolante ?

    Saloma,
    Suspende o “paitrocínio” !

    Zullino,
    A única coisa que presta no BR800 é o conjunto caixa+diferencial, herança do Chevette. Deveriam ter usado toda suspensão, mas aí o desafio tecnológico seria muito para o mago de Rio Claro.
    Gosto de ver quando algum mané-desinformado defende a marca com orgulho bairrista – “foi uma fábrica verdadeiramente nacional”. É mais ou menos como orgulhar-se de ter mal hálito ou furúnculo – “O primeiro furúnculo a gente nunca esquece” !
    Ainda bem que quebrou. O BNDES agradece. Os contribuintes, idem !
    Um conhecido enfiou um VW 2000 em um MotoMachine. Ficou engraçado. Arrancando, a josta tirava a frente do chão. Mas a graça terminava aí.
    BR800 – Nem pequinês merece.
    As bombas Facet são excelentes. Pelo preço, melhor ainda !
    Acho que a bomba do GTI dá muita vazão/pressão para motor carburado.
    Sinto que vc fala do Clube do Porsche com uma certa mágoa. Será que algum gravatinha do clube fez pouco da sua réplica de “prástico” ? Ou será porque vc não foi convidado para almoçar no Helvetia ? Hahahahhhh…

    Abraços !!!

    Resposta
  • 20 de setembro de 2008 em 20:06
    Permalink

    M,
    Nem uma coisa nem outra, nunca fui em nenhum evento e não conheço ninguém do clube, sequer sei onde fica. Citei como exemplo apenas. Podia ter citado o da Ferrari que nem sei se existe.

    Não me dou muito bem em clubes, panelinhas, turminhas e registros, sou como o Grucho Marx, jamais frequentaria um clube que me aceitasse como sócio.

    Mas acho legal esses clubes e panelinhas de jostas, os caras fazem a maior ginástica para falar bem das porcarias. Falar bem de Porsche, Ferrari, Mercedes não tem menor criatividade e graça. O duro e criativo é contar as vantagens dos Gurgel, Opalas, Mavericks e outras carroças que o Collorido aposentou.

    Resposta
  • 20 de setembro de 2008 em 20:06
    Permalink

    M,
    Nem uma coisa nem outra, nunca fui em nenhum evento e não conheço ninguém do clube, sequer sei onde fica. Citei como exemplo apenas. Podia ter citado o da Ferrari que nem sei se existe.

    Não me dou muito bem em clubes, panelinhas, turminhas e registros, sou como o Grucho Marx, jamais frequentaria um clube que me aceitasse como sócio.

    Mas acho legal esses clubes e panelinhas de jostas, os caras fazem a maior ginástica para falar bem das porcarias. Falar bem de Porsche, Ferrari, Mercedes não tem menor criatividade e graça. O duro e criativo é contar as vantagens dos Gurgel, Opalas, Mavericks e outras carroças que o Collorido aposentou.

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 00:34
    Permalink

    Eu tambem conheço o Moto Machine do vizinho do Zullino e uma coisa tem que ser dita: A meleca não quebra de jeito nenhum.
    Fica o dia inteiro rodando pra cima e pra baixo pela Granja e os escapes de CB 400 chamam uma atenção danada.
    A trolha pelo visto vai durar muito ainda.

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 00:34
    Permalink

    Eu tambem conheço o Moto Machine do vizinho do Zullino e uma coisa tem que ser dita: A meleca não quebra de jeito nenhum.
    Fica o dia inteiro rodando pra cima e pra baixo pela Granja e os escapes de CB 400 chamam uma atenção danada.
    A trolha pelo visto vai durar muito ainda.

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 14:55
    Permalink

    M:
    Não sou um mané-desinformado, nem tenho orgulho bairrista, mas há de se reconhecer que o Gurgel teve peito de enfrentar as multinacionais e, intencionalmente ou não, lançou a idéia dos carros Mil. Quanto ao BNDES e os contribuintes agradecerem, também é relativo: há coisa de três meses atrás as mesmas multinacionais estavam ensaiando um suposto “socorro”. Como estão vendendo mais que chuchu em fim de feira recolheram a idéia, mas nada impede que voltem à carga na primeira diminuição nas vendas, alegando que vão ter que demitir operários. O Gurgel teve uma grande idéia, rapidamente copiada, que rende frutos e vendas até hoje. Infelizmente ele não tinha infra-estrutura para bancar a idéia e foi atropelado por Fiats Volks, Fords etc etc etc. Acho uma sacanagem esculhambar o BR-800 hoje. É preciso ver o momento do mercado, quando ele foi lançado. Sem isso, DKWs, Gordinis, Simcas e até mesmo Fuscas devem ser execrados também. Quanto ao Collor, o ladrão atirou no que viu e acertou no que não viu, mas não deixou de ser ladrão.

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 14:55
    Permalink

    M:
    Não sou um mané-desinformado, nem tenho orgulho bairrista, mas há de se reconhecer que o Gurgel teve peito de enfrentar as multinacionais e, intencionalmente ou não, lançou a idéia dos carros Mil. Quanto ao BNDES e os contribuintes agradecerem, também é relativo: há coisa de três meses atrás as mesmas multinacionais estavam ensaiando um suposto “socorro”. Como estão vendendo mais que chuchu em fim de feira recolheram a idéia, mas nada impede que voltem à carga na primeira diminuição nas vendas, alegando que vão ter que demitir operários. O Gurgel teve uma grande idéia, rapidamente copiada, que rende frutos e vendas até hoje. Infelizmente ele não tinha infra-estrutura para bancar a idéia e foi atropelado por Fiats Volks, Fords etc etc etc. Acho uma sacanagem esculhambar o BR-800 hoje. É preciso ver o momento do mercado, quando ele foi lançado. Sem isso, DKWs, Gordinis, Simcas e até mesmo Fuscas devem ser execrados também. Quanto ao Collor, o ladrão atirou no que viu e acertou no que não viu, mas não deixou de ser ladrão.

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 16:03
    Permalink

    M,
    também acho que a bomba do GTI é meio forte, uso um regulador de pressão e a maioria do alcool deve votar para o tanque. Vou experiemtar uma Facet que tenho jogada aqui que era do 914. Vou coloocar direto, sem regulador e ver o que acontece.

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 16:03
    Permalink

    M,
    também acho que a bomba do GTI é meio forte, uso um regulador de pressão e a maioria do alcool deve votar para o tanque. Vou experiemtar uma Facet que tenho jogada aqui que era do 914. Vou coloocar direto, sem regulador e ver o que acontece.

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 16:39
    Permalink

    Zullino,
    Estou contigo nesta ! Tb não sou chegado nestes clubinhos – coisa de exibicionistas e desocupados.
    Vale para Ferraris, Porsches ou Carroças.

    Romeu,
    Andar o dia todo de meleca é castigo ou promessa…

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 16:39
    Permalink

    Zullino,
    Estou contigo nesta ! Tb não sou chegado nestes clubinhos – coisa de exibicionistas e desocupados.
    Vale para Ferraris, Porsches ou Carroças.

    Romeu,
    Andar o dia todo de meleca é castigo ou promessa…

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 17:43
    Permalink

    Zullino,
    Eu uso bomba Facet sem regulador. Tenho também uma alemã rotativa que, apesar de ser para carburação (baixa pressão), está equipada com válvula reguladore de pressão. Tem um barulho muito mais bonito que o da Facet, mas necessita de mangueira de retorno, ou seja, mais mangueiras na instalação.
    Caso a sua bomba Facet não esteja 100%, fique tranquilo que eu envio um endereço de um lugar nos EUA, que vende peças para aviões pequenos (téco-téco), onde as Facet saem por US$ 28,00 (each).

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 17:43
    Permalink

    Zullino,
    Eu uso bomba Facet sem regulador. Tenho também uma alemã rotativa que, apesar de ser para carburação (baixa pressão), está equipada com válvula reguladore de pressão. Tem um barulho muito mais bonito que o da Facet, mas necessita de mangueira de retorno, ou seja, mais mangueiras na instalação.
    Caso a sua bomba Facet não esteja 100%, fique tranquilo que eu envio um endereço de um lugar nos EUA, que vende peças para aviões pequenos (téco-téco), onde as Facet saem por US$ 28,00 (each).

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 21:51
    Permalink

    Prezado Cesar Costa,
    É meu costume respeitar as opiniões de pessoas bem informadas.
    Mas posso ver que VC não tem nenhum conhecimento sobre o assunto e não faz a mínima idéia sobre o que está falando.
    O mago de Rio Claro sempre foi muito bom em chupar idéias e atribuir-se a criação (plasteel, seletration e outras besteiras). Expert tb em vender porcarias para estatais por meios pouco recomendáveis. Capaz de mendigar, obter e sumir com financiamento a fundo perdido(mamata) para pesquisa de carro elétrico (importou sucatas inservíveis de veículos obsoletos de distribuição de leite). Demonstrou tb grande capacidade em dar o cano em fornecedores, bancos, empregados e acionistas !
    São Bernardo do Campo tem uma das maiores rendas per capita do braZil, graças as suas execradas multinacionais. E Rio Claro fez um monte de desempregados, por obra do seu herói.
    VC ainda sugere que o malandro “lançou a idéia do carro mil” ! Que delírio é este ???
    Por acaso vc sabe qual é a cilindrada do Citroen 2CV ? Renault 4 ? Dauphine ? Gordini ? DKW ? Fiat 500, 600, 850, 127, 147 ?
    Todos roubaram a idéia dele, né ? Tá bão…
    Perdeste uma ótima chance de ficar quieto !
    CQD, mané-desinformado !

    Resposta
  • 21 de setembro de 2008 em 21:51
    Permalink

    Prezado Cesar Costa,
    É meu costume respeitar as opiniões de pessoas bem informadas.
    Mas posso ver que VC não tem nenhum conhecimento sobre o assunto e não faz a mínima idéia sobre o que está falando.
    O mago de Rio Claro sempre foi muito bom em chupar idéias e atribuir-se a criação (plasteel, seletration e outras besteiras). Expert tb em vender porcarias para estatais por meios pouco recomendáveis. Capaz de mendigar, obter e sumir com financiamento a fundo perdido(mamata) para pesquisa de carro elétrico (importou sucatas inservíveis de veículos obsoletos de distribuição de leite). Demonstrou tb grande capacidade em dar o cano em fornecedores, bancos, empregados e acionistas !
    São Bernardo do Campo tem uma das maiores rendas per capita do braZil, graças as suas execradas multinacionais. E Rio Claro fez um monte de desempregados, por obra do seu herói.
    VC ainda sugere que o malandro “lançou a idéia do carro mil” ! Que delírio é este ???
    Por acaso vc sabe qual é a cilindrada do Citroen 2CV ? Renault 4 ? Dauphine ? Gordini ? DKW ? Fiat 500, 600, 850, 127, 147 ?
    Todos roubaram a idéia dele, né ? Tá bão…
    Perdeste uma ótima chance de ficar quieto !
    CQD, mané-desinformado !

    Resposta
  • 25 de janeiro de 2010 em 17:21
    Permalink

    Saloma….adorei meu nome nas fotos…..tenho muitas…me pede viu ??? bjbjbjbjbj anapana

    Resposta
  • 25 de janeiro de 2010 em 17:21
    Permalink

    Saloma….adorei meu nome nas fotos…..tenho muitas…me pede viu ??? bjbjbjbjbj anapana

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.