500 KM DE SÃO PAULO – PROVA EMBLEMÁTICA DE RESISTÊNCIA PARA PILOTOS E CARROS, EMOÇÃO À VISTA!

Largada dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500   Foto Claudio Kolodziej

 

A Lamborghini Huracan pilotada por Chico Longo, Marcos Gomes e Victor Franzoni venceu neste sábado (22) os 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500, prova disputada no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP). O trio largou da segunda posição, teve um início de prova discreto, e apareceu com força a partir da terceira hora de prova, quando Gomes assumiu a pilotagem, e tomou a dianteira da corrida, seguindo para a vitória.

Lamborghini dominou os treinos livres, mas partirá da segunda posição  Foto Claudio Kolodziej

A edição deste ano dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP), foi acompanhada através da internet, pelo do canal do YouTube do “ Programa Ultrapassagem, de Alexandre Navarro. Foi a segunda edição seguida com transmissão online, já que, em 2017, a prova estava no calendário do Endurance Brasil. Para Navarro, a exibição ao vivo dos 500 Kmde São Paulo – Chevrolet Absoluta 500 destaca a importância do evento, um dos mais antigos do esporte a motor brasileiro. “Os 500 Km de São Paulo são uma das principais provas do estado, por isso, decidimos mostrá-la”, diz Navarro. “Transmitir pela internet também possibilitará que pessoas em qualquer parte do mundo possam acompanhar a corrida”, completa.

De acordo com Silvio Zambello, presidente do Automóvel Clube Paulista (ACP), entidade organizadora da prova de longa duração, a transmissão da corrida foi importante também para os pilotos e as equipes que participarem dos 500Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500 e para Ney Faustini dono da marca Absoluta 500 uma oportunidade impar de carimbar como um dos patrocinadores máster do nosso automobilismo, fora ainda participar como piloto com sua própria equipe (veja vídeo abaixo).

 

Os treinos para a edição deste ano dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500 foram abertos na sexta-feira (21), dia que também contou com a definição do grid de largada. A 34ª edição da prova teve largada ás 16h10 do sábado (22), com transmissão do canal Programa Ultrapassagem.

OS TREINOS CLASSIFICATÓRIOS

 

O AJR de Emílio Padron, Fernando Fortes e Henrique Assunção conquistou na sexta-feira (21) a pole position para os 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500. Após serem os segundos mais rápidos dos treinos livres, o trio do protótipo #117 fez o melhor tempo da classificação ao cravar 1min31s980 na última volta rápida da tomada de tempos.

 

A dupla enfrentou problemas com o protótipo após um pequeno acidente no segundo treino livre. A equipe conseguiu recuperar o carro, e obteve seu melhor tempo no dia justamente na classificação, com Fortes ao volante do equipamento. O piloto se mostra confiante em um bom resultado para a corrida deste sábado  Foto Claudio Kolodziej

 

Nós tivemos um problema, pois o Emílio deu uma batidinha em um dos treinos, perdemos algum tempo, mas recuperamos. Nosso carro se tornou confiável durante o ano, com relação a durabilidade. A expectativa é boa, pois brigamos pela ponta da prova. A gente corre junto no Endurance, e em uma prova de longa duração, a gente tem nosso ritmo”, disse Fortes, que ressalta a importância histórica da prova paulista. “Eu gosto das provas tradicionais. Valorizo muito a história, e estamos concorrendo ao bicampeonato. Eu não consegui correr as 12 Horas de Tarumã, semana passada, mas em 2016 eu ganhei lá e os 500 Km de São Paulo”, completou o piloto, na posição de honra na prova.

 

A segunda posição ficou com a Lamborghini Huracan de Chico Longo, Victor Franzoni e Marcos Gomes, que depois de liderar os três treinos livres da sexta, acabaram batidos em 0s943 pelo time do AJR. O tempo de 1min32s923 garantiu ao trio a pole position da classe GT3   Foto Claudio Kolodziej

 

A segunda fila contou com a Mercedes conduzida por Guilherme Figueroa, Ricardo Baptista e Julio Campos   Foto Claudio Kolodziej

 

Porsche dos atuais campeões Visconde, Max e Ricardo Maurício partiram em quarto  Foto Claudio Kolodziej

 

Robbi Pérez e José Córdova fecharam o top-5 do grid em Interlagos  Foto Claudio Kolodziej

 

Renan Guerra e Arthur Felipe largam na frente na classe P3  Foto Claudio Kolodziej

 

Carlos e Yuri Antunes, melhores da classe P2 com um MRX  Foto Claudio Kolodziej

 

Henry Visconde e Tiel de Andrade foram os melhores entre os pilotos que competem na classe GT4, em décimo com um Audi  Foto Claudio Kolodziej

 

Carlos Vallone, Ricardo Kraft e Edgar Amaral, com um Volkswagen Gol, fizeram o melhor tempo entre os concorrentes da classe T  Foto Claudio Kolodziej

 

Veja como ficou o grid de largada dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500:

1º – 117 – Emílio Padron/Fernando Fortes/Henrique Assunção (AJR/P1) – 1min31s980
2º – 19 – Chico Longo/Victor Franzoni/Marcos Gomes (Lamborghini/GT3) – 1min32s923
3º – 8 – Guilherme Figueroa/Ricardo Baptista/Julio Campos (Mercedes/GT3) – 1min33s746
4º – 70 – Marcel Visconde/Max Wilson/Ricardo Maurício (Porsche/GT3) – 1min35s008
5º – 146 – Robbi Pérez/José Córdova (MRX/P1) – 1min41s889
6º – 15 – Renan Guerra/Arthur Felipe (JR/P3) – 1min42s156
7º – 151 – Sérgio Pistilli/Denísio Casarini (Spyder/P3) – 1min42s156
8º – 72 – Carlos Antunes/Yuri Antunes (MRX/P2) – 1min43s258
9º – 25 – Ney Faustini/Edras Soares (Vectra/P1) – 1min43s842
10º – 64 – Henry Visconde/Tiel de Andrade (Audi/GT4) – 1min45s756
11º – 13 – Alexandre Zaninotto/Leandro Guerra (Spyder/P3) – 1min47s690
12º – 77 – Edras Soares/Esdras Soares/Juarez Soares (Vectra/GT4) – 1min49s674
13º – 7 – Paulo Sousa/Mauro Kern (BMW/GT4) – 1min49s753
14º – 125 – Paulo Plutarcho/Davi Plutarcho/Saúva (Spyder/P3) – 1min52s117
15º – 66 – Luc Monteiro/José Vilela (Spyder/P3) – 1min59s756
16º – 222 – Carlos Vallone/Ricardo Kraft/Edgar Amaral (Gol/T) – 2min00s029
17º – 74 – Eduardo Colamarino/Luiz Abbade (Spyder/P3) – 2min00s586
18º – 113 – Ricardo Cimatti/Tiago Regis/Rogério Dudu (Sandero/T) – 2min14s285
19º – 22 – Erick Grosso/Fernando Kfouri/Djalma Fogaça (Alfa Romeo/T) – 5min11s330

 

Antes da prova, tivemos a largada Le Mans, em homenagem aos pilotos que fizeram história na prova e também servindo como um reencontro de todos com a história do automobilismo brasileiro. No evento demonstração tivemos alguns carros clássicos de corridas passadas como o Lotus #4.0 que participou de várias etapas da extinta Fórmula Classic!

 

 

A CORRIDA

 

 

A edição deste ano foi das mais equilibradas, e contou com quatro carros na briga pela vitória. Além da Lamborghini vencedora, o protótipo AJR de Emílio Padron, Fernando Fortes e Henrique Assunção, que largaram da pole position, o Mercedes de Guilherme Figueroa, Ricardo Baptista e Julio Campos, e o Porsche de Marcel Visconde, Max Wilson e Ricardo Maurício. Todos eles lideraram a prova por pelo menos uma volta, e batalharam pela segunda posição até a quadriculada final.

 

 

A segunda posição acabou nas mãos do Mercedes, que teve Campos na pilotagem no stint final. O terceiro colocado do último campeonato da Stock Car assumiu a posição na abertura da última volta, abrindo do Porsche de Ricardinho Maurício, enquanto o AJR, pilotado por Fortes na parte final da disputa, também superou o carro dos vencedores de 2017 nos metros finais para terminar em terceiro, garantindo a vitória na categoria P1.

 

 

A quinta posição terminou nas mãos de Renan Guerra e Arthur Felipe, que correram com um protótipo JR, vencendo entre os competidores da categoria P3. O sexto posto ficou com Henry Visconde e Tiel de Andrade, que triunfaram na classe GT4 com um Audi. Carlos Vallone, Ricardo Kraft e Edgard Amaral venceram na classe T com um Volkswagen Gol, terminando no 13º geral. Carlos Antunes, Yuri Antunes e Alexandre Finardi triunfaram na P2 com um protótipo MRX.

 

 

 

Após a corrida, Longo disse que enfrentou dificuldades no começo da prova, e celebrou a temporada após a vitória. “O carro era muito bom, mas a calibragem estava errada, muito alta, e estava muito difícil de pilotar. A gente achou que tivesse algum problema no carro, mas o problema era a calibragem. No último terço da corrida, a gente viu que tinha chances de vencer. Estava fora dos 500 Km desde 2010, e foi bacana voltar depois de oito anos com vitória, minha terceira na prova, completando um ano em que eu fui campeão brasileiro de Endurance”, disse Longo, após a corrida.

Franzoni celebrou sua primeira experiência com a Lamborghini.“A minha estreia em um carro GT foi melhor do que o esperado, mas tinha a equipe toda por trás, com o Marquinhos e o Chico me ajudando muito. Quero agradecer a Via Itália Racing pelo carro que me deu. A corrida foi difícil, pois eu tive que andar quase 100% o tempo todo. Normalmente, você tenta poupar o carro. Eu tentei fazer o máximo para ganhar tempo e posições para entregar para o Marquinhos em uma boa posição. E foi tudo perfeito”, disse.

Gomes comemorou o bom desempenho na prova. “A corrida foi super emocionante. A gente estava em quarto no começo, depois o Victor recuperou um pouco, mas nosso acerto na estratégia foi vir aos boxes no Safety Car para cumprir a troca de pilotos. Depois, eu imprimi um ritmo forte para tirar a diferença dos três primeiros, e deu certo. Eu não me lembrava que meu pai e meu irmão venceram a corrida, mas é muito legal igualá-los. Nós somos a família que mais venceu os 500 Km”, comenta Marquinhos.

Pódio Geral dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500   Foto Claudio Kolodziej

 

NOTA: O resultado é especial para Chico Longo, que venceu a prova pela terceira vez, repetindo os feitos de 2009 e 2010, quando venceu a prova ao lado de Daniel Serra. O resultado iguala o piloto a Celso Lara Barberis, Luiz Pereira Bueno e Max Wilson, todos tricampeões da prova. Já Marcos Gomes se tornou o terceiro piloto do clã Gomes a vencer os 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500, uma vez que seu pai, Paulo Gomes, e o irmão, Pedro Gomes, triunfaram ao lado de Alcides Diniz em 2003. Victor Franzoni, por sua vez, triunfou em sua primeira corrida com um GT na carreira.

 

 

 

Confira o resultado final dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500:

1º – 19 – Chico Longo/Marcos Gomes/Victor Franzoni (Lamborghini/GT3) – 117 voltas em 3h26min29s
2º – 8 – Guilherme Figueroa/Ricardo Baptista/Julio Campos (Mercedes/GT3) – a 1min10s460
3º – 117 – Emílio Padron/Fernando Fortes/Henrique Assunção (AJR/P1) – a 1min11s814
4º – 70 – Marcel Visconde/Max Wilson/Ricardo Maurício (Porsche/GT3) – a 1min11s904
5º – 15 – Renan Guerra/Arthur Felipe (JR/P3) – a 11 voltas
6º – 64 – Henry Visconde/Tiel de Andrade (Audi/GT4) – a 14 voltas
7º – 13 – Alexandre Zaninotto/Leandro Guerra (Spyder/P3) – a 17 voltas
8º – 125 – Paulo Plutarcho/Davi Plutarcho/Saúva (Spyder/P3) – a 17 voltas
9º – 25 – Ney Faustini/Edras Soares (Vectra/P1) – a 18 voltas
10º – 7 – Paulo Sousa/Mauro Kern (BMW/GT4) – a 18 voltas
11º – 74 – Eduardo Colamarino/Luiz Abbade (Spyder/P3) – a 23 voltas
12º – 66 – Luc Monteiro/José Vilela (Spyder/P3) – a 26 voltas
13º – 222 – Carlos Vallone/Ricardo Kraft/Edgar Amaral (Gol/T) – a 27 voltas
14º – 113 – Ricardo Cimatti/Tiago Regis/Rogério Dudu (Sandero/T) – a 42 voltas
15º – 72 – Carlos Antunes/Yuri Antunes/Alexandre Finardi (MRX/P2) – a 53 voltas
16º – 20 – Fabiano Cardoso/Daniel Keleman/Rafael Lopes/M.Costa (HB20/T) – a 54 voltas
17º – 146 – Robbi Pérez/José Córdova (MRX/P1) – a 54 voltas
18º – 77 – Edras Soares/Esdras Soares/Juarez Soares (Vectra/GT4) – a 62 voltas
19º – 14 – Marconi Abreu/Júnior Victonete/Marcelo Karam (Mercedes/GT4) – a 83 voltas
20º – 151 – Sérgio Pistilli/Denísio Casarini (Spyder/P3) – a 92 voltas
21º – 16 – Esio Vichiese/Alinne Cipriani (Ginetta/GT4) – a 112 voltas

[reprodução]

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.