FÓRMULA 1 – A COR VERMELHA CONTINUA NO MANDO

Sebastian Vettel, quatro vezes vencedor em Cingapura e pela Ferrari em 2015, aumentou sua estatistica em prol da Ferrari, e a casa de Maranello coleciona três vitórias seguidas.
Charles Leclerc segundo lugar no GP e o melhor retrospecto da equipe Ferrari Foto Ferrari

A Mercedes ficou surpresa com o desempenho de seus rivais em Cingapura, uma pista que não era esperado para se adequar ao SF-90. Embora a Ferrari tenha adicionado algumas peças novas ao seu carro, Wolff suspeita que eles tenham sacrificado mais o desempenho de sua corrida para melhorar o ritmo em uma única volta.

“Acho que não se trata de atualizações. Trata-se de tirar o melhor proveito do seu pacote.”, disse Wolff.

“Eles têm um mecanismo tremendamente poderoso, que é um ingrediente importante que permite escolhas talvez mais estratégicas na configuração. Mas isso não é desculpa. No geral, trata-se de tirar o melhor proveito do seu pacote e acho que tínhamos um pacote capaz de receber pole. Hoje tivemos uma oportunidade de vencer. Cometemos muitos erros, muitas oportunidades perdidas e estamos muito conscientes disso.”

Wolff disse que focar nas atualizações da Ferrari seria uma “história fácil”, mas seu final de semana de sucesso se resumia a “ter um pacote forte em geral e acertar as coisas”.

“Eles ajustaram o carro para uma volta, o que foi poderoso [no sábado]”, explicou. “Dava para ver que eles não estavam em nenhum lugar no ritmo das corridas, mas muito rápidos desde o início. Se tivéssemos menos carros de segurança – ‘teríamos‘, acho que já é esperado carros de segurança por aqui – acho que qdo a corrida começou, teríamos um bom carro no final e talvez até uma oportunidade de vencer. Mas não era a estratégia certa hoje, não era a decisão certa “.

A Mercedes ficou “brava” consigo mesma após a derrota em Cingapura, admitiu Wolff.

“Estamos todos com raiva e tivemos apenas uma pequena reunião com os engenheiros e os pilotos e há uma sensação geral de ‘entendemos errado. Entendemos tudo errado neste fim de semana. Mas isso não significa que isso tenha um impacto a longo prazo sobre nós.”

Não foi um fim de semana em que Vettel pegou um carro de setup ruim e usou seus conhecimentos nos procedimentos para melhorar.
Se classificou atrás do companheiro de equipe – pela oitava vez consecutiva – e teria terminado ali se a estratégia da Ferrari não o colocasse à frente.

Por que a equipe fez isso e por que não inverteu? Mais ao ponto, eles estavam totalmente no controle de onde sua estratégia os levou?

A Ferrari não deveria ser tão rápida. O carro que ficou meio segundo fora do ritmo na Hungria, outra pista de força máxima, ganhou vida no sábado em Cingapura. Leclerc surpreendeu seus rivais ao conquistar sua terceira pole position consecutiva.

A combinação de turbulência e traçado estreito de Cingapura dificultam as ultrapassagens, e o líder pode ditar um ritmo lento para evitar ameaças por trás. Isso é exatamente o que a Ferrari se propôs a fazer e eles conseguiram. Hamilton teve que afastar de Vettel no início e caiu imediatamente 1,7s atrás de Leclerc. Mas Leclerc havia diminuído seu ritmo antes do início da primeira volta e Hamilton começou a segunda volta dentro de um segundo dele.

Leclerc gradualmente aumentou sua velocidade a partir da volta 14. Na volta 17, ele caiu para 1’47,8, mas Hamilton trás ainda conseguiu dar voltas um pouco mais rápido. A chamada para o pit ainda não havia chegado e, na volta seguinte, Leclerc diminuiu novamente. O tempo da sua volta aumentou mais de um segundo, para 1’49,0. Ele continuou o ritmo constante na próxima volta. Apesar do aumento de velocidade de Hamilton, a Mercedes se recusou a trazê-lo neste momento para os pits. Segundo Hamilton, ele foi combinado antes da corrida, aproveitar a oportunidade de “diminuir” para o Leclerc.

Em vez disso, foi a equipe de Vettel que o chamou. Na curva 20, a algumas centenas de metros da entrada do pit lane, e tarde demais para que qualquer um dos carros o seguisse na mesma estratégia.

A equipe de Leclerc não disse a ele que Vettel havia entrado. Isso foi muito significativo, pois ele claramente diminuiu o ritmo após a volta 17 e, se tivesse sido avisado, seu companheiro de equipe havia dito que teria entendido a necessidade de manter o ritmo e provavelmente encontrou os décimos de segundo que precisava. impedir Vettel de ficar à frente dele.

Depois que Leclerc voltou ao circuito atrás de Vettel, ele perguntou à equipe se eles pretendiam trocar de posição. Afinal, a Ferrari fez exatamente isso em circunstâncias semelhantes na Hungria. A Ferrari disse a ele que o assunto não seria resolvido até depois de Hamilton entrar nos pits.

Isso levou algum tempo, já que a Mercedes havia esgotado suas opções estratégicas e só podia deixar Hamilton na pista o maior tempo possível, na esperança de que dar a ele pneus mais novos para o final da corrida o ajudasse a atacar nos estágios finais. Era uma esperança vã para começar, e foi destruída quando uma série de incidentes causou três períodos separados de

As táticas das duas equipes revelaram uma diferença acentuada na maneira como gerenciam as estratégias dos seus carros que podem estar em competição e em cooperação ao mesmo tempo. A Mercedes considerou que eles não deveriam tirar vantagem do seu próprio piloto em relação ao seu companheiro de equipe. Como resultado, Bottas foi instruído pelo estrategista da Mercedes, James Vowles, a diminuir o ritmo a certa altura para garantir que Hamilton ficasse à sua frente .

A Ferrari, no entanto, não viu necessidade de devolver a Leclerc a posição que lhe haviam custado. Essa foi uma decisão ainda mais curiosa, tendo em vista o fato de Leclerc ser o principal piloto do campeonato.

Leclerc não era o único descontente com sua estratégia. De acordo com o chefe da equipe da Mercedes, Toto Wolff, Vowles assumiu a responsabilidade pelo fracasso da equipe sem pódio.

RESULTADO DO GP DE CINGAPURA #2019:

Pos Piloto TempoPts
1S. VettelFerrari·#51:58:33.66725
2C. LeclercFerrari·#16+2.641s18
3M. VerstappenRed Bull·#33+3.821s15
4L. HamiltonMercedes·#44+4.608s12
5V. BottasMercedes·#77+6.119s10
6A. AlbonRed Bull·#23+11.663s8
7L. NorrisMcLaren·#4+14.769s6
8P. GaslyToro Rosso·#10+15.547s4
9N. HulkenbergRenault·#27+16.718s2
10A. GiovinazziAlfa Romeo·#99+27.855s1
11R. GrosjeanHaas·#8+35.436s0
12C. Sainz Jr.McLaren·#55+35.974s0
13L. StrollRacing Point·#18+36.419s0
14D. RicciardoRenault·#3+37.660s0
15D. KvyatToro Rosso·#26+38.178s0
16R. KubicaWilliams·#88+47.024s0
17K. MagnussenHaas·#20+86.522s0
18K. RaikkonenAlfa Romeo·#7Não concluiu0
19S. PerezRacing Point·#11Não concluiu0
20G. RussellWilliams·#63Não concluiu0

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.