HISTÓRICO – GP DA ALEMANHA

Vídeo sobre uma volta no circuito alemão de Nurbürgring que abrigou até 1976 provas de F1. Desde a sua estréia no Campeonato de Fórmula 1, em 1951, foi sempre desafiador e cansativo para os pilotos. Existem dois circuitos Nurburgring. O original que foi usado até 1976 e o usado atualmente com 5,1 km de extensão.

Considerado inseguro pela sua extensão de mais de 22 quilômetros, a ponto de uma ambulância ou carro de resgate, levar tempo excessivo para chegar ao acidente, contudo é um circuito que até hoje desafia os pilotos e marcas que ali se confrontam para bater o recorde da pista.


(reprodução)

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

30 comentários em “HISTÓRICO – GP DA ALEMANHA

  • 30 de junho de 2009 em 13:22
    Permalink

    Ainda vou conseguir dar minha voltinha básica nessa pista emblemática.
    Primeiro como passageiro num carro de ponta com uma Loira, pilota excepcional, Depois eu mesmo pilotando a bagaça.

    Resposta
  • 30 de junho de 2009 em 13:22
    Permalink

    Ainda vou conseguir dar minha voltinha básica nessa pista emblemática.
    Primeiro como passageiro num carro de ponta com uma Loira, pilota excepcional, Depois eu mesmo pilotando a bagaça.

    Resposta
  • 30 de junho de 2009 em 18:01
    Permalink

    Me lembro das provas narradas pelo Barão Fittipaldi, a volta levava algo como 11 minutos….era uma eternidade….mas o circuito é desafiador.

    Resposta
  • 30 de junho de 2009 em 18:01
    Permalink

    Me lembro das provas narradas pelo Barão Fittipaldi, a volta levava algo como 11 minutos….era uma eternidade….mas o circuito é desafiador.

    Resposta
  • 30 de junho de 2009 em 21:51
    Permalink

    Não é um F1, e sim um Formula Ve.
    Suspensão dianteira velha conchecida…

    Resposta
  • 30 de junho de 2009 em 21:51
    Permalink

    Não é um F1, e sim um Formula Ve.
    Suspensão dianteira velha conchecida…

    Resposta
  • 30 de junho de 2009 em 23:03
    Permalink

    Exatamente isso, me fez postar o vídeo. pela performance do carrinho…

    Resposta
  • 30 de junho de 2009 em 23:03
    Permalink

    Exatamente isso, me fez postar o vídeo. pela performance do carrinho…

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 06:42
    Permalink

    Hehehehehh…
    Um Fórmula Vee bem vitaminado, né ?

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 06:42
    Permalink

    Hehehehehh…
    Um Fórmula Vee bem vitaminado, né ?

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 07:31
    Permalink

    Um Okrasinha “charutinho”…hehehehehe!

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 07:31
    Permalink

    Um Okrasinha “charutinho”…hehehehehe!

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 08:05
    Permalink

    É a suspensão dianteira do fusca e os carros dão uma “voadinha” de vez em quando. Isto é que é tocar um carro de verdade, pois ele não tem nenhuma pressão aerodinámica o ajudando. É pau puro mesmo.
    Jovino

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 08:05
    Permalink

    É a suspensão dianteira do fusca e os carros dão uma “voadinha” de vez em quando. Isto é que é tocar um carro de verdade, pois ele não tem nenhuma pressão aerodinámica o ajudando. É pau puro mesmo.
    Jovino

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 11:05
    Permalink

    O da frente é um F3 e o seguidor deve ser um Formula V com motorzinho esperto. Pena que não mostraram os locais onde os carros pulam.
    A pista, ao contrário do que muita gente pensa, foi feita desde o início para ser um circuito e não aproveitou trechos de estrada como Spa e Le Mans. Não dá para memorizar, o piloto tem que ir na intuição e no jeitão, o que só é possível com carros mais antigos que “perdoam” mais os erros. Os carros de f1 de hoje não permitem isso e deve ser a maior razão da não organização de corridas nessa pista e não somente as dificuldades de resgate.

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 11:05
    Permalink

    O da frente é um F3 e o seguidor deve ser um Formula V com motorzinho esperto. Pena que não mostraram os locais onde os carros pulam.
    A pista, ao contrário do que muita gente pensa, foi feita desde o início para ser um circuito e não aproveitou trechos de estrada como Spa e Le Mans. Não dá para memorizar, o piloto tem que ir na intuição e no jeitão, o que só é possível com carros mais antigos que “perdoam” mais os erros. Os carros de f1 de hoje não permitem isso e deve ser a maior razão da não organização de corridas nessa pista e não somente as dificuldades de resgate.

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 13:22
    Permalink

    Está muito rápido para um Formula VEE. Acredito que seja um Porsche. MAS em 1967 não correu nenhum em Nurburgring. Portanto o ano do clip esta errado !
    A ultima vez que a Porsche participou do GP de Nurburgring foi em 1963, com 2 carros “flat 8”. MAS estes carros já não usavam esta suspensão.
    Talvez seja 1957 ou 1958, e o carro da frente seria um Cooper.

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 13:22
    Permalink

    Está muito rápido para um Formula VEE. Acredito que seja um Porsche. MAS em 1967 não correu nenhum em Nurburgring. Portanto o ano do clip esta errado !
    A ultima vez que a Porsche participou do GP de Nurburgring foi em 1963, com 2 carros “flat 8”. MAS estes carros já não usavam esta suspensão.
    Talvez seja 1957 ou 1958, e o carro da frente seria um Cooper.

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 14:12
    Permalink

    E a peneusada da barata…canela fina, não!

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 14:12
    Permalink

    E a peneusada da barata…canela fina, não!

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 14:15
    Permalink

    E outra, digo para vcs…em Passo Fundo, quando da visita do Museu do Paulo Trevisan, fomos para Guaporé e o FV dos Fitti, anda redondo na pista e rápido. É só perguntar ao Paulo, o pito que levei por não esperá-lo quando ele estava com a Ranger, nas filmagens.

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 14:15
    Permalink

    E outra, digo para vcs…em Passo Fundo, quando da visita do Museu do Paulo Trevisan, fomos para Guaporé e o FV dos Fitti, anda redondo na pista e rápido. É só perguntar ao Paulo, o pito que levei por não esperá-lo quando ele estava com a Ranger, nas filmagens.

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 14:44
    Permalink

    Saloma, em Nurburgring morreram o Jim Clarck (junto com Senna os dois maiores de todos tempos) e Jochen Rindt. O Emerson era o segundo piloto da Lotus, e bateu na mesma curva que o Rindt.
    Ao vencer o GP dos Estados Unidos (Watkins Glen), Emerson possibilitou que Rindt fosse Campeão Post Mortem.
    Saudades dos papos com João José “Gago” Hingel.
    Abraço a todos.

    Resposta
  • 1 de julho de 2009 em 14:44
    Permalink

    Saloma, em Nurburgring morreram o Jim Clarck (junto com Senna os dois maiores de todos tempos) e Jochen Rindt. O Emerson era o segundo piloto da Lotus, e bateu na mesma curva que o Rindt.
    Ao vencer o GP dos Estados Unidos (Watkins Glen), Emerson possibilitou que Rindt fosse Campeão Post Mortem.
    Saudades dos papos com João José “Gago” Hingel.
    Abraço a todos.

    Resposta
  • 3 de julho de 2009 em 23:32
    Permalink

    Pedro, o Jim Clark morreu em uma prova de F-2 em Hockenheim, e o Rindt em Monza. Ao menos esses dois o velho Nürburgring não teve culpa de levar para outro plano…

    Resposta
  • 3 de julho de 2009 em 23:32
    Permalink

    Pedro, o Jim Clark morreu em uma prova de F-2 em Hockenheim, e o Rindt em Monza. Ao menos esses dois o velho Nürburgring não teve culpa de levar para outro plano…

    Resposta
  • 4 de julho de 2009 em 12:06
    Permalink

    Bianchini, desculpe a falha, deve ser esclerose, rs.
    Teu nome me lembra o de um amigo, piloto daqui da terrinha, o Giovani Bianchi, o Saloma conheceu muito.
    Um abraço.

    Resposta
  • 4 de julho de 2009 em 12:06
    Permalink

    Bianchini, desculpe a falha, deve ser esclerose, rs.
    Teu nome me lembra o de um amigo, piloto daqui da terrinha, o Giovani Bianchi, o Saloma conheceu muito.
    Um abraço.

    Resposta
  • 4 de julho de 2009 em 15:11
    Permalink

    Não só o conheci, como estudei com o filho dele, Dado…mandava bem nas motos. Tinha uma Honda 500 Four, antes do fatídico acidente, em que perdeu a vida. Daí em diante, Giovani se perdeu, o filho era tudo para ele.

    Resposta
  • 4 de julho de 2009 em 15:11
    Permalink

    Não só o conheci, como estudei com o filho dele, Dado…mandava bem nas motos. Tinha uma Honda 500 Four, antes do fatídico acidente, em que perdeu a vida. Daí em diante, Giovani se perdeu, o filho era tudo para ele.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *