FÓRMULA 1 – O HINO AUSTRALIANO TOCOU NO DEGRAU MAIS ALTO NO GP MAIS CHARMOSO DA TEMPORADA

Daniel Ricciardo coroou um final de semana extraordinário no 76º Grande Prémio do Mónaco ao vencer pela primeira vez nas ruas do Principado. Sua segunda vitória nesta temporada e a sétima de sua carreira na F1 carreira e único representante da RBR na turma da frente do grid já que Max Verstappen bateu nos treinos e não conseguiu se classificar para o grid de largada saindo na última posição.

 

“I’m losing power.” – “Estou perdendo potência.”
O que Daniel Ricciardo deve ter sentido ao relatar essas três palavras à sua equipe da Red Bull, com mais da metade da corrida ainda por disputar? Certamente ele não poderia perder uma segunda vitória em Mônaco em três anos? Felizmente, a sorte foi com o australiano desta vez, permitindo-lhe finalmente conquistar o troféu que ele tanto desejava…  Foto formula1.com

Depois de uma performance impecável em que ele superou apenas seis de suas oito marchas, Ricciardo cruzou a linha de chegada com apenas 7,3 segundos de vantagem sobre Sebastian Vettel, da Ferrari, com Lewis Hamilton, da Mercedes, completando o pódio e mantendo sua liderança no campeonato.

Ricciardo foi capaz de controlar o ritmo na frente, com os pneus hypersoft segurando bem, mas a Mercedes jogou os dados e optou por trazer Hamilton no início para o pit, cabendo o campeão mundial com os pneus ultrasoft de paredes roxas.

 

Foto formula1.com – reprodução do frame de vídeo

 

Vettel foi o próximo no pit, com Ricciardo fazendo voltas rápidas e fazendo o pit e voltando à frente de Vettel com Hamilton em segundo. Com a maioria esperando fazer mais uma parada, Ricciardo parecia ter a estratégia certa para a corrida.

Mas não seria tão simples assim. Vettel chegando cada vez mais no aerofólio de Ricciardo. O australiano havia perdido potência. Sua equipe investigou o problema e, enquanto eles identificaram o que era, disseram a Ricciardo que não ficaria melhor.

 

Foto formula1.com – reprodução do frame de vídeo

 

Felizmente para Ricciardo, ultrapassar é muito difícil em Mônaco e o piloto da Red Bull teve ritmo suficiente para manter Vettel para trás. No entanto, permitiu que o resto do grupo fechasse, com Hamilton, Kimi Raikkonen e Valtteri Bottas a reduzirem a distância – apenas oito segundos os separaram nas fases finais da corrida.

Mais para trás, o GP estava ganhando vida, duelo de Max Verstappen e Nico Hulkenberg, ambos em recuperação, com pneus ultrasoft mais duráveis. Isso significava que eles poderiam usar os hypersofts para o período final.

Na Red Bull de Verstappen, que largou em último por não ter conseguido marcar um tempo na classificação, os pneus de marcação rosa estavam evoluindo nos tempos por volta que eram, às vezes, quatro segundos mais rápidos do que qualquer outro.

 

Tal foi o seu ritmo, ele quebrou o recorde de volta e entrou na marca dos pontos, o holandês passando por Carlos Sainz pelo lado de fora na aproximação da chicane para arrebatar o nono lugar  Foto formula1.com – reprodução do frame de vídeo

 

Raikkonen cruzou a linha de chegada, à frente de Bottas, com Esteban Ocon convertendo uma forte qualificação em um sexto lugar para a Force India. Pierre Gasly jogou duro para ser o Driver of the Day – mas uma honra que finalmente foi para Ricciardo – com uma unidade impressionante na Toro Rosso.

O francês fez os hypersofts durarem, em um bom ritmo, por quase metade da corrida, permitindo que ele subisse para o sétimo. Ele então dirigiu brilhantemente os supersofts para defender de Hulkenberg para manter essa posição. Sainz completou o top 10.

 

Houve um drama no final, quando Charles Leclerc entrou na traseira de Brendon Hartley, na saída do túnel para a chicane. O piloto da Sauber, que não conseguiu usar os freios, ficou pela pista. Hartley se encaminhou para as boxes, mas com dano significativo em sua asa traseira significava que ele não poderia voltar  Foto formula1.com – reprodução do frame de vídeo

 

A investigação do acidente estava rolando, e depois de analisar as provas em vídeo e ouvir de todas as partes interessadas, descartaram rapidamente qualquer erro de Leclerc, mas sim uma falha de disco de freio dianteiro esquerdo na Luberber’s Sauber foi a causa.

Após um breve período no Virtual Safety Car, Vettel começou a se afastar de Ricciardo para finalmente liberar a pressão sobre o australiano, com Hamilton na pista em terceiro.

 

Fernando Alonso não conseguiu ver a bandeira quadriculada pela primeira vez nesta temporada quando parou na Ste Devote com fumaça saindo da traseira de seu carro na volta 53  Foto formula1.com – reprodução do frame de vídeo

 

Foi um dia de muita falta de sorte para a Williams também. Sergey Sirotkin correu em 12º no início, mas pegou uma penalidade de 10 segundos para uma infração no grid, enquanto Lance Stroll sofreu dois furos de pneus, um dos quais foi causado quando ele colidiu com Marcus Ericsson na primeira volta.

 

Mas o dia pertenceu a Ricciardo e Red Bull, que apagou as memórias de 2016, quando um erro no pit stop custou a vitória australiana. Ele ainda não teve uma vitória fácil – cada um dos seus sete triunfos na F1 tem sido um desafio – mas ele não se importa. A vitória do Mônaco é finalmente dele.  Foto formula1.com – reprodução do frame de vídeo

 

A citação do vencedor:

“Dois anos fazendo isso, então eu finalmente sinto que a redenção chegou. Nós tivemos problemas, muito o que lidar durante a corrida. Eu acho que foi antes do meio da corrida, senti uma perda de potência e achei que a corrida estava perdida, e chegamos ao final usando apenas seis marchas. Graças à equipe, nós recuperamos, então estou feliz.”Daniel Ricciardo

 

DROPS GP DE MÔNACO:

Daniel Ricciardo venceu no 250º Grande Prêmio da Red Bull, também venceu seus 150º (no Barein 2013) e 100º (na Hungria 2010)

Ricciardo teve um fim de semana perfeito, fez barb, cabelo e bigode

Lewis Hamilton marcou em 31 corridas consecutivas, estendendo seu recorde

O quarto lugar de Kimi Raikkonen marca a primeira vez que o finlandês termina uma corrida nesta temporada e não está no pódio

O oitavo lugar de Nico Hulkenberg deu ao time da Renault seus primeiros pontos em Mônaco desde que Robert Kubica terminou em terceiro em 2010

2018 marcou a primeira corrida sem carros de segurança em Mônaco desde 2009 – embora houvesse uma virtual bandeira amarela

Mônaco tem sido um terreno sadio para pilotos australianos. Ricciardo agora se junta a compatriotas Jack Brabham (1959) e Mark Webber (2010 e 2012) na lista dos vencedores

 

O piloto australiano Jack Brabham recebe a taça do príncipe Rainier e da princesa Grace, depois de ter ganho o Grande Prémio do Mónaco, a 10 de maio de 1959. Neste ano ele se consagraria campeão mundial  Foto www.abc.net.au/reprodução

 

Pódio: P1 Mark Webber, Red Bull Racing, P2 Sebastian Vettel. Red Bull Racing, e P3 Robert Kubica, Renault.  Mark Webber assumiu a liderança do campeonato mundial em 2010 ao vencer seu segundo GP consecutivo no espaço de uma semana. Ficaria com a terceira posição ao final do campeonato  Foto Sutton Motorsport Images/Lat Images

 

 

Pódio: P1 Mark Webber, Red Bull Racing, P2 Nico Rosberg, Mercedes AMG F1, e P3 Fernando Alonso, Ferrari. Neste ano terminaria o campeonato na sexta posição   Foto Sutton Motorsport Images

 

 

Piloto do dia – Daniel Ricciardo

 

CLASSIFICAÇÃO:
POS NO PILOTO CARRO E EQUIPE VOLTAS TEMPO PTS
1 3 Daniel Ricciardo RED BULL RACING TAG HEUER 78 1:42:54.807 25
2 5 Sebastian Vettel FERRARI 78 +7.336s 18
3 44 Lewis Hamilton MERCEDES 78 +17.013s 15
4 7 Kimi Räikkönen FERRARI 78 +18.127s 12
5 77 Valtteri Bottas MERCEDES 78 +18.822s 10
6 31 Esteban Ocon FORCE INDIA MERCEDES 78 +23.667s 8
7 10 Pierre Gasly SCUDERIA TORO ROSSO HONDA 78 +24.331s 6
8 27 Nico Hulkenberg RENAULT 78 +24.839s 4
9 33 Max Verstappen RED BULL RACING TAG HEUER 78 +25.317s 2
10 55 Carlos Sainz RENAULT 78 +69.013s 1
11 9 Marcus Ericsson SAUBER FERRARI 78 +69.864s 0
12 11 Sergio Perez FORCE INDIA MERCEDES 78 +70.461s 0
13 20 Kevin Magnussen HAAS FERRARI 78 +74.823s 0
14 2 Stoffel Vandoorne MCLAREN RENAULT 77 +1 lap 0
15 8 Romain Grosjean HAAS FERRARI 77 +1 lap 0
16 35 Sergey Sirotkin WILLIAMS MERCEDES 77 +1 lap 0
17 18 Lance Stroll WILLIAMS MERCEDES 76 +2 laps 0
18 16 Charles Leclerc SAUBER FERRARI 70 DNF 0
19 28 Brendon Hartley SCUDERIA TORO ROSSO HONDA 70 DNF 0
NC 14 Fernando Alonso MCLAREN RENAULT 52 DNF 0

OBS – Hartley penalizado em 5-segundos no penalty por exceder a velocidade permitida nos boxes ou pit lane.

 

Live do Castilho | 28.05.2018

Castilho de Andrade fala do show de Daniel Ricciardo no GP de Mônaco. E os ingressos para o GP Brasil de F1 já estão à venda no único site oficial: www.gpbrasil.com.br. 🏆

Posted by GP Brasil de F1 on Monday, May 28, 2018

 

 

Qual é o próximo?
A Fórmula 1 faz sua primeira atravessa o Atlântico em 2018, os pilotos e equipes vão para o Grande Prêmio do Canadá no circuito de Montreal Gilles Villeneuve, de 8 a 10 de junho. A notória “Muralha dos Campeões” na reta dos boxes, vai tirar o sono durante as duas semanas que antecedem a corrida!

Em 2017…

(reprodução)

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

Um comentário em “FÓRMULA 1 – O HINO AUSTRALIANO TOCOU NO DEGRAU MAIS ALTO NO GP MAIS CHARMOSO DA TEMPORADA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *