FÓRMULA 1 – GRAND PRIX DA FRANÇA – PAUL RICARD

O campeão mundial Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio da França de 2018, à frente de Max Verstappen e Kimi Raikkonen. O inglês, que liderou a classificação manteve a pole e lidera mais uma vez o campeonato mundial. Hamilton está agora com 145 pontos depois de sua 65ª vitória na F1, seguido por Vettel com 131 e Ricciardo com 96 pontos.

 

Hamilton no parque fechado: “Sinto-me muito grato por um fim de semana consistente. Meus mecânicos estão comigo por seis anos e eles estão continuamente superando os limites e nunca desistindo, então sou eternamente grato por todo o trabalho deles. Este é um ótimo dia, realmente”.

 

Grid de largada
Piloto Grid Tempo

L. Hamilton

Mercedes·#44
1 1:30.029

V. Bottas

Mercedes·#77
2 1:30.147

S. Vettel

Ferrari·#5
3 1:30.400

M. Verstappen

Red Bull·#33
4 1:30.705

D. Ricciardo

Red Bull·#3
5 1:30.895

K. Raikkonen

Ferrari·#7
6 1:31.057

C. Sainz Jr.

Renault·#55
7 1:32.126

C. Leclerc

Sauber·#16
8 1:32.635

K. Magnussen

Haas·#20
9 1:32.930

R. Grosjean

Haas·#8
10 DNF

E. Ocon

Force India·#31
11 1:32.075

N. Hulkenberg

Renault·#27
12 1:32.115

S. Perez

Force India·#11
13 1:32.454

P. Gasly

Toro Rosso·#10
14 1:32.460

M. Ericsson

Sauber·#9
15 1:32.820

F. Alonso

McLaren·#14
16 1:32.976

B. Hartley

Toro Rosso·#28
17 1:33.025

S. Vandoorne

McLaren·#2
18 1:33.162

S. Sirotkin

Williams·#35
19 1:33.636

L. Stroll

Williams·#18
20 1:33.729

 

O primeiro grande prêmio na França em dez anos começou com um estrago de Sebastian Vettel da Ferrari ao dividir e tentar passar Valtteri Bottas nas primeiras curvas, mas o toque foi inevitável. Foi para um pit stop prematuro na primeira volta, para trocar a asa dianteira danificada. O finlandês foi para os boxes trocar o pneu esquerdo traseiro furado na colisão, fazendo com que ambos ficassem fora das primeiras posições logo no inicio da corrida.

 

 

 

Os dois jovens pilotos franceses carregando tanto entusiasmo correndo em casa no circuito Paul Ricard conseguiram ficar pelo caminho. Esteban Ocon e Pierre Gasly acabaram assim com as suas esperanças individuais e da equipe de uma grande corrida para os conterrâneos nas arquibancadas.

 

 

O Safety Car saiu na sexta volta, Vettel recebeu uma penalidade de 5 segundos, que ele cumpriu quando fez seu segundo pit stop nos estágios finais da corrida. Na vigésima volta Lewis Hamilton estava confortavelmente na liderança, depois de ter feito uma volta rápida e manten do cinco segundos à frente de Max Verstappen, que por sua vez estava quatro segundos à frente do companheiro de equipe Daniel Ricciardo.

Atrás deles Vettel vinha recuperando terreno, ultrapassando Carlos Sainz, que estava segurando a quinta posição com seu Renault. Fernando Alonso, em 16º lugar, é informado de que a chuva está prevista para os próximos 20 minutos, mais ou menos a meio caminho a corrida. Ricciardo também é informado de uma possível mudança de clima. Apesar destes avisos meteorológicos, Red Bull traz Verstappen para uma troca de pneus e sai em Softs. Três voltas depois Ricciardo também vem para uma mudança para o Softs.

Na trigésima volta tem Hamilton ainda à frente, 18 segundos à frente de Kimi Raikkonen, que é seguido por Verstappen e Vettel. Sergio Perez da Force India, que está em 18º e último lugar, é forçado a abandonar devido a problemas com sua usina da Mercedes, enquanto duas voltas depois, Roman Grosjean recebe uma penalidade de 5 segundos por um incidente anterior.

Dez voltas depois, após uma série de pitstops, Hamilton ainda está na liderança, 4,7 segundos à frente dos dois Red Bull de Verstappen e Ricciardo. Seu companheiro de equipe da Mercedes, depois de uma parada lenta, entra no Top 10 da corrida em nono lugar, subindo para o oitavo na volta 43 e terminando em sétimo.

Com os dois primeiros lugares estáveis, Raikkonen concentrou-se em atacar Ricciardo pelo terceiro lugar e um ponto no pódio. Na volta 47 eles estavam lado a lado e a Ferrari vermelha passou pela Red Bull e o australiano teve que se contentar com o quarto lugar a cinco voltas do final, enquanto Raikkonen conquistou um pódio bem merecido.

O piloto da Haas, Kevin Magnussen, reivindicou o título de “melhor do resto do grid”, o dinamarquês terminando em sexto ao fim de uma corrida inteligente e sem erros. Provavelmente houve alguma decepção para a equipe da casa, a Renault, que esperava reforçar sua pretensão de ser a quarta melhor em frente a multidão entusiasta que lotou o circuito.

Oitavo lugar para Carlos Sainz e nono de Nico Hulkenberg sobre a McLaren que não teve um desempenho favorável, não conseguiu marcar um ponto pela terceira corrida consecutiva. Terminando os dez primeiros ficou Charles Leclerc, apresentando uma performance soberba, para seguir em frente da Sauber.

 

Classificação GP da França – Paul Ricard:
Cla # Piloto Equipe Motor Voltas Tempo Diferença Intervalo km/h Pits Abandono Pontos
1 44 United Kingdom Lewis Hamilton  Mercedes Mercedes 53 1:30’11.385 206.025 1 25
2 33 Netherlands Max Verstappen  Red Bull TAG 53 1:30’18.475 7.090 7.090 205.756 1 18
3 7 Finland Kimi Raikkonen  Ferrari Ferrari 53 1:30’37.273 25.888 18.798 205.044 1 15
4 3 Australia Daniel Ricciardo Red Bull TAG 53 1:30’46.121 34.736 8.848 204.711 1 12
5 5 Germany Sebastian Vettel Ferrari Ferrari 53 1:31’13.320 1’01.935 27.199 203.694 2 10
6 20 Denmark Kevin Magnussen Haas Ferrari 53 1:31’30.749 1’19.364 17.429 203.047 1 8
7 77 Finland Valtteri Bottas Mercedes Mercedes 53 1:31’32.017 1’20.632 1.268 203.000 2 6
8 55 Spain Carlos Sainz Jr. Renault Renault 53 1:31’38.569 1’27.184 6.552 202.758 1 4
9 27 Germany Nico Hulkenberg Renault Renault 53 1:31’43.374 1’31.989 4.805 202.581 1 2
10 16 Monaco Charles Leclerc Sauber Ferrari 53 1:31’45.258 1’33.873 1.884 202.512 1 1
11 8 France Romain Grosjean Haas Ferrari 52 1:30’22.411 1 Lap 1 Lap 201.728 1
12 2 Belgium Stoffel Vandoorne McLaren Renault 52 1:30’38.601 1 Lap 16.190 201.127 1
13 9 Sweden Marcus Ericsson Sauber Ferrari 52 1:30’58.828 1 Lap 20.227 200.382 1
14 28 New Zealand Brendon Hartley Toro Rosso Honda 52 1:31’00.302 1 Lap 1.474 200.328 1
15 35 Russian Federation Sergey Sirotkin Williams Mercedes 52 1:31’17.064 1 Lap 16.762 199.715 1
16 dnf 14 Spain Fernando Alonso McLaren Renault 50 1:27’44.089 3 Laps 2 Laps 199.804 3
17 dnf 18 Canada Lance Stroll Williams Mercedes 48 1:23’49.846 5 Laps 2 Laps 200.747 1 Puncture
dnf 11 Mexico Sergio Perez Force India Mercedes 27 48’43.202 26 Laps 21 Laps 194.332 1 Motor
dnf 31 France Esteban Ocon Force India Mercedes Colisão
dnf 10 France Pierre Gasly Toro Rosso Honda Colisão

 

Castilho de Andrade analisa a volta da Fórmula 1 para a França:

 

Live do Castilho | 25.06.2018

Castilho de Andrade analisa a volta da Fórmula 1 para a França. E os ingressos para o GP Brasil de F1 já estão à venda no único site oficial: www.gpbrasil.com.br. 🏆

Posted by GP Brasil de F1 on Monday, June 25, 2018

 

Drops:

No início do dia, a história a história sendo escrita com Aseel Al-Hamad, o primeiro membro do sexo feminino da Arábia Saudita – Federação de Automobilismo e que representa o seu país na Comissão FIA Women in Motorsport, pilotou o Renault E20, vencedor do Grande Prêmio de Abu Dhabi 2012 com Kimi Raikkonen, por uma volta o circuito de Le Castellet, para celebrar o primeiro dia em que as mulheres puderam dirigir no Reino da Arábia Arábia Saudita.

 

 

Na corrida longa da FIA Formula 2 Championship no sábado, o brasileiro Sérgio Sette Câmara fez mais um pódio na temporada #2018 ao terminar em segundo lugar a primeira corrida da rodada dupla de Paul Ricard. Retornando após o acidente na classificação em Mônaco, o brasileiro ganhou duas posições na largada e atacou até o fim o inglês George Russell, que ficou com a vitória.

 

Mas Russell teve a favor que o líder do campeonato Lando Norris ter ficado parado na largada, terminando na 17ª posição, e sem pontuar. O inglês da Carlin ainda é o líder da tabela, com 98 pontos, mas o compatriota encostou com 91. Com o segundo lugar, Sette Câmara também subiu no campeonato e agora é o quinto, com 64 pontos.

 

Na corrida sprint da FIA Formula 2 Championship no domingo, a vitória foi para o holandês Nyck De Vries (PERTAMINA PREMA Theodore Racing), juntou-se no pódio pelo segundo lugar Louis Deletraz da Suíça (Charouz Racing System) e o italiano Luca Ghiotto (Campos Vexatec Racing) em terceiro.

 

A Corrida 2 da GP3, que foi vencida pelo piloto britânico Calum Ilot, para Art Grand Prix. Foi sua primeira vitória nesta série e ele foi seguido pelo brasileiro Pedro Piquet (Trident) e outro piloto britânico, Joey Mawson (Arden International).

 

Calum Ilot P1, Pedro Piquet P2 e  Luca Ghiotto P3. Foto Divulgação/Pedro Piquet

 

O brasiliense Pedro Piquet se tornou neste domingo o primeiro piloto do Brasil a subir ao pódio numa corrida da GP3, uma das principais categorias de acesso à Fórmula 1, ao terminar em segundo lugar a prova 2 da rodada dupla de Paul Ricard, na França.

Curiosamente seu irmão Nelsinho já havia sido, em 2005, o primeiro brasileiro a ficar entre os três primeiros numa prova da GP2, hoje Fórmula 2, em Barcelona (Espanha), com um segundo lugar.

Com a regra do grid invertido entre os oito melhores da prova de sábado, Pedro largaria na pole position por ter sido o oitavo, mas, com a desclassificação de dois pilotos, ele subiu para sexto, o que lhe fez largar em terceiro neste domingo. Logo nos primeiros metros, Pedro assumiu a ponta após superar o inglês Callum Ilott. Mas ainda na primeira volta o concorrente reassumiu a liderança.

O piloto da Trident tentou o troco, mas, ao mesmo tempo, tinha de neutralizar os ataques de Joey Mawson e Alessio Lorandi, numa bela disputa de quatro pilotos pela liderança da corrida.

Ao longo da prova, porém, Ilott construiu uma vantagem segura, o mesmo acontecendo com Piquet em relação aos seus perseguidores. Com isso, o brasiliense manteve sem problemas o segundo lugar até a bandeirada final. Após a rodada de Paul Ricard, ele está no top10 da tabela em seu primeiro ano na categoria.

 

 

O próximo desafio de Pedro Piquet pela GP3 será já no próximo fim de semana, com a rodada dupla de Spielberg, na Áustria.

O que disse Pedro Piquet:

“Estou muito feliz com o resultado. Fiz uma boa largada e consegui um bom ritmo de corrida. Agradeço à equipe Trident, que me deu um carro muito rápido e me permitiu brigar lá na frente. Foi muito importante subir ao pódio logo na segunda etapa, isso nos dá muita confiança para o restante do campeonato”

 

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *