ENDURANCE BRASIL – ULTRAPASSAGENS, BOAS DISPUTAS, SUPERAÇÃO E TROCAS DE POSIÇÃO ATÉ A QUADRICULADA, ESSA FOI A TERCEIRA ETAPA EM TERRAS SULISTAS

Foram três horas de corrida de muitas ultrapassagens, boas disputas e troca de posições da largada até a quadriculada, onde 28 carros alinharam no grid da terceira etapa da Endurance Brasil, neste sábado de sol e muito frio no Autódromo de Tarumã, no Rio Grande do Sul.

 

Largada da terceira etapa da Endurance Brasil no Autódromo de Tarumã   Foto Bruno Terena/MS2

 

Pole nas duas primeiras etapas da temporada o AJR #88 sempre se credenciava a vitória e dessa vez ela veio, com o trio formado por Carlos Kray, David Muffato e Julio Campos   Foto Bruno Terena/MS2

 

 

O primeiro stint da corrida foi dominado pelo pole position o AJR #65 de Nilson e José Ribeiro, mas com uma intervenção do safety car as posições foram mudando e os GT3 acabaram revezando a liderança da prova, onde tanto a Mercedes AMG GT3 #09, de Xandy e Xandinho Negrão, quanto a Lamborghini Huracán #19, dos líderes do campeonato Daniel Serra e Chico Longo, ocuparam a primeira posição e promoveram momentos de muita emoção durante toda a prova. O AJR #65 finalizou a etapa com uma sólida sexta colocação, com apenas duas corridas.

 

Nilson Ribeiro/Jose Ribeiro #65 AJR, categoria P1  Foto Bruno Terena/MS2

 

Xandy Negrão-Xandinho Negrão-MercedesAMG #09-GT3   Foto Bruno Terena/MS2

 

Chico Longo-Daniel Serra com o Lamborghini #19 categoria GT3   Foto Bruno Terena/MS2

 

Correndo por fora o AJR #88 vinha fazendo uma ótima prova com regularidade nos primeiros stints, apesar do susto nas voltas iniciais (vídeo) tanto de Kray, quanto de Muffato e já dava indícios que seria uma grande ameaça no final da prova e foi o que aconteceu. O estreante Julio Campos assumiu o comando do carro emplacou as melhores voltas e deu uma volta no segundo colocado, a Mercedes AMG GT3 #09, para conquistar a segunda vitória do modelo criado por Juliano Moro e fabricado pela Metalmoro.

 

 

“Estou muito feliz. Achei a categoria sensacional. Sou amigo do Juliano (Moro) da vida inteira e acompanhei desde o início o desenvolvimento do protótipo e todo o esforço dele para que o carro fique cada vez mais competitivo. Foi uma grande vitória, fui convidado para correr essa e espero correr a temporada toda agora. O Kray e o Muffato, que são os titulares do carro, com o Vicente Orige, estão de parabéns. Hoje tudo deu certo”, destacou Campos.

A segunda colocação foi da Mercedes AMG GT3 #09, de Xandy e Xandinho Negrão, que conquistou a vitória na GT3 seguidos pelos líderes do campeonato, Chico Longo e Daniel Serra com a Lamborghini Huracán #19, com o quarto lugar da dupla do Porsche 911 GT3 #70, de Miguel Paludo e Ricardo Mauricio, e a quinta posição do MCR Lambo #18 de Cláudio Ricci, Fernando Poeta e Humberto Giacomello.

Na categoria P2, a primeira posição foi do Tubarão #32 de Paulo Sousa e Mauro Kern. Na classe P3, o topo do pódio ficou com o MRX #43 dos “Gustavos” Tomazini e Frey. Na GT4, a dupla Henry Visconde e Marcio Basso conquistou mais uma vitória com o Audi RS3 #64.

 

 

Os pódios:

 

Pódio Geral das Três Horas de Tarumã Foto Bruno Terena/MS2

 

Pódio da categoria GT3   Foto Bruno Terena/MS2

 

Pódio da categoria P1 Foto Bruno Terena/MS2

 

Pódio da categoria P2 Foto Bruno Terena/MS2

 

Pódio da categoria P3 Foto Bruno Terena/MS2

 

Resultado final – Endurance Brasil – 3° Etapa

1º) 88 – C.Kray/D.Muffato/J.Campos (AJR, P1), 151 voltas em 3:00:36.990

Foto Bruno Terena/MS2

 

2º)   9 – Xandy Negrão/Xandinho Negrão (MercedesAMG , GT3), a 1 volta

Foto Bruno Terena/MS2

3º) 19 – Chico Longo/Daniel Serra (Lamborghini , GT3), a 1 volta
4º) 70 – Miguel Paludo/Ricardo Mauricio (Porsche 911 , GT3), a 3 voltas
5º) 18 – C.Ricci/F.Poeta/H.Giacomello (MCR Lambo , P1), a 5 voltas
6º) 65 – Nilson Ribeiro/Jose Ribeiro (AJR , P1), a 6 voltas
7º) 155 – Peter Ferter/Ricardo Mendes (Ferrari , GT3), a 9 voltas
8º)   5 – Tiel Andrade/Julio Martini (Tubarao , P1), a 12 voltas
9º) 35 – Jair Bana/Duda Bana (Predador , P1), a 12 voltas
10º) 32 – Paulo Sousa/Mauro Kern (MC Tubarao , P2), a 12 voltas

Foto Bruno Terena/MS2

11º) 43 – Gustavo Tomazini/Gustavo Frey (MRX , P3), a 13 voltas

Foto Bruno Terena/MS2

12º) 75 – H.Assuncao/F.Fortes/E.Padron (MRX , P2), a 13 voltas
13º) 56 – Gustavo Simon/Rafael Simon (MRX , P3), a 16 voltas
14º) 226 – Sergio Cardoso/Luciano Borghesi (Spyder , P3), a 21 voltas
15º) 89 – Renato Stumpf/Matheus Stumpf (Radical SR3 , P2), a 21 voltas
16º) 64 – Henry Visconde/Marcio Basso (Audi RS3 , GT4), a 23 voltas

Foto Bruno Terena/MS2

17º) 96 – Alejandro Cignetti (MRX , P3), a 25 voltas
18º) 63 – Sergio Ribas/Guilherme Ribas (Mercedes , GT4), a 25 voltas
19º) 25 – Ney Faustini/Ney Desá Faustini (Geebee R1 , P1), a 30 voltas
20º) 80 – Alexandre Finardi (MRX , P1), a 83 voltas
21º) 44 – João Cardoso/Rubens Ghisleni (MRX , P2), a 88 voltas
22º) 37 – Stuart Turvey/Thiago Riberi (Scorpion , P1), a 88 voltas
23º) 117 – H.Assuncao/E.Padron/F.Fortes (AJR , P1), a 93 voltas
24º) 72 – Carlos Antunes/Yuri Antunes (MRX , P2), a 100 voltas
25º) 71 – Ian Ely/Daniel Claudino (MRX , P1), a 108 voltas
26º)   7 – Aldoir Sette (MRX , P2), a 121 voltas
27º)   3 – Cali Crestani/Fernando Stedille (Tornado , P2), a 136 voltas
28º) 10 – P.Ventura/T.Tecchio/C.Almeida (Mercedes , GT4), a 150 voltas

Melhor Volta: C.Kray/D.Muffato/J.Campos, 58.999 (185.4 km/h)

 

Espírito da Endurance:

Assim foi a maratona deste fim de semana, em Tarumã do Protótipo #25 (Geebee R1 , P1) da dupla Ney Faustini/Ney Desá Faustini, pai e filho.

 

Foto Bruno Terena/MS2

 

“Nos treinos de 5ª feira, com pouco mais de 3 voltas, uma repentina queda de pressão de óleo do nosso motor mais forte, fez com tivéssemos que trocar pelo antigo, mas confiável, Chevrolet V8 350.

 

 

Na sexta-feira, meu filho Ney Faustini, que não conhecia a pista, deu pouco mais de 10 voltas, e voltou rebocado para os boxes, com eixo-piloto quebrado. Apesar de toda a boa vontade das equipes participantes no Endurance, que na realidade é quase que uma grande família, não tínhamos a peça para substituir.

 

Um dos poucos momentos que conseguimos andar nos treinos desta sexta feira  Foto Paolo Reis

 

 

Mas nas conversas com outros participantes, e também com o Zequinha Giaffone, da JL Racing, que se prontificou a nos remeter a peça, mas que não chegaria a tempo, surgiu a ideia de ligar para o Meinha, da equipe Eurofarma da Stock Car, já que a sede de sua equipe, Curitiba, era a mais próxima. O Meinha tinha a peça, e não poupou esforços para que a peça fosse despachada na mesma sexta-feira à noite, isso com pouco mais de duas horas de tempo, já que a Gollog encerrava o recebimento as 23 hs.

Logo cedo no sábado, cheguei ao aeroporto de Porto Alegre e fiquei sabendo do atraso do voo vindo de Curitiba, e que chegaria as 10 horas. Com previsão de quase 2 horas para a logística normal, todo o esforço teria sido em vão, mas a boa vontade do funcionário da GolLog resolveu, e em 15 minutos a encomenda chegou em minhas mãos. Corri pra Tarumã, e as 11 horas a peça estava nas mãos do Carlos Tigueis


Alinhamos na última fila, sem ter aquecido os pneus, e na largada senti o carro totalmente sem aderência, e tive que devolver as posições ganhas, tentando não rodar, o que acabou acontecendo na 2ª volta, na saída da Curva do Laço. Cai novamente pra último, e uma das mangueiras do tanque se soltou na rodada, espirrando gasolina no cockpit, me forçando a uma parada programada.

 

 


Na troca de piloto, até fixar a mangueira, perdemos mais umas 10 voltas, que com as 2 voltas perdidas no início da prova, nos tirou qualquer chance de boa colocação na geral, mas nos deu um 6º lugar na Categoria P1


Um carro em desenvolvimento, exige muito trabalho, e neste caso, o protótipo GeeBee R1, produzido pela GT RaceCars, de Campinas, em 2012, estava parado a muitos anos, e apesar de toda dedicação da equipe Tigueis Super Stock, não temos conseguido eliminar os trabalhos e acertos de última hora. Quem acompanha o trabalho de Carlos Tigueis, sabe que normalmente o carro vem pronto, e raramente se mexe alguma coisa, o que pretendemos que aconteça a partir da próxima etapa, no início de setembro, no Velo Città”. Relato de Ney Faustini.

 

CALENDÁRIO DE 2018

CAMPEONATO BRASILEIRO DE ENDURANCE
1ª ETAPA – 28 DE ABRIL – CURITIBA – PINHAIS (PR)
​2ª ETAPA – 30 DE JUNHO – INTERLAGOS – SÃO PAULO (SP)

3ª ETAPA – 21 DE JULHO – TARUMÃ – VIAMÃO (RS)
4ª ETAPA – 01 DE SETEMBRO – VELOCITTÁ – MOGIGUAÇU (SP)
5ª ETAPA – 29 DE SETEMBRO – SANTA CRUZ DO SUL – SANTA CRUZ DO SUL (RS)
6ª ETAPA – 27 DE OUTUBRO – VELOPARK – NOVA SANTA RITA (RS)
7ª ETAPA – 17 DE NOVEMBRO – TARUMÃ – VIAMÃO (RS)

CAMPEONATO GAÚCHO DE ENDURANCE
1ª ETAPA – 17 DE MARÇO – GUAPORÉ 
2ª ETAPA – 21 DE JULHO – TARUMÃ
3ª ETAPA – 29 DE SETEMBRO – SANTA CRUZ DO SUL
4ª ETAPA – 27 DE OUTUBRO – VELOPARK
5ª ETAPA – 17 DE NOVEMBRO – TARUMÃ

[reprodução]

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *