AS INOVAÇÕES NA F1…

…completam 40 anos quando se trata de tentar algo realmente novo! Descobrir o mais recente truque, obtendo uma vantagem sobre a concorrência, há poucos exemplos na Fórmula 1, visualmente impressionante e, obviamente, incomum como o que fez Ken Tyrrell…adicionando mais duas rodas nos seus carros de F1 no conjunto frontal, o P34.
Patrick Depailler_F1 Tyrrell
Apesar de Jody Scheckter vencer o GP da Suécia em sua primeira temporada, o carro não mostrou um potencial acentuado para ser competitivo. March e Williams(abaixo) experimentaram duas rodas extras na parte de trás…
Williams FW08D_Johnathan Palmer Goodwood #1994
Jonathan Palmer em Goodwood em 94…

Formula One World Championship #1982
Duplo eixo traseiro da Williams FW08D…

…mas seis rodas nos monopostos de F1, provou ser um beco sem saída, em vez de o caminho para o futuro. Mas é uma maneira de inovar, mesmo que radicalmente.
Após de 40 anos de inovação na F1, completamos com Nick Wirth (Wirth Research)…

…que defende uma concepção de um carro de F1 puramente por computador, na Marussia Virgin Racing. Antes da Virgin, Wirth trabalhou na principal categoria do automobilismo mundial outras vezes: primeiro na March Engineering, depois na Leyton House Racing e seu último projeto na F1 foi a Simtek, em 1994. E vai para mais uma temporada “atemporal”!
(reprodução/www.f1nostalgia.blogspot.com)

Luiz Salomão

Blogueiro e arteiro multimídia por opção. Dublê de piloto do "Okrasa" Conexão direta com o esporte a motor!

3 comentários em “AS INOVAÇÕES NA F1…

  • 2 de Janeiro de 2011 em 14:17
    Permalink

    Todos eses carros que tentaram mudar os caminhos da F1 (e graças a Deus não conseguiram..) parecem aos meus olhos coisas anacronicas. Desde o Lotus 56B (turbina), o Lotus 63 (4×4), o Matra-Simca 4×4 (não lembro o codigo do modelo e estou compreguiça de procurar) até, no limmite, o Tyrrel P34, e os Williams e Marchs que pareciam filhotes de caminhão trucado, os bichos de 6 rodas, todos eram muito esquisitos.
    O turbina “não fazia” curvas (também 4×4), especialmentre as de baixa onde era dificil manter a alta rotação da turbina para ter retomada, os 4×4 saiam de frente que era um absurdo, os “trucados” nem chegaram a ser testados direito…foram mais peças promocionais. Então, entre mortos e feridos, salve o P34, que ganhou com o Schekter e era colocado “de lado” pelo Depailler, e principalmente, pelo incrivel Ronnie ! Mas esse também era muito feio !!!!
    Xô !!

    Antonio

    Resposta
  • 23 de Fevereiro de 2011 em 17:12
    Permalink

    Pelo menos eles foram loucos de inovar, e isso não tem preço. Mas para formula 1, pelo o que eu li sobre, ficou impossível ter um carro competitivo com 6 rodas. Quem sabe num futuro proximo não apareça um inovação ainda mais agressiva do que estas? Eu torço pra isto, porque a f1 está precisando.

    Resposta
  • 9 de agosto de 2011 em 18:06
    Permalink

    Inovação não tem preço!! Até os carros de hoje em dia da F1 foram frutos de mudanças antes nunca antes sequer imaginadas. É preciso que “um louco” ou uma “equipe de loucos”, nos quais eu sempre chamo de visionarios, para trazer evoluções dramáticas. E é claro, é sempre bem vindo estas mudanças, pelo bem do esporte.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *